segunda-feira, abril 27

Puñetazos à parte...

O jogo de ontem na Luz, foi dos "clássicos" mais tristes e mal jogados que me lembro de assistir. Como disse, e bem o Nuno Rogeiro, pagar 25 euros para ver um espectáculo daqueles é demasiado caro.

Para os adeptos do Porto a culpa foi do Benfica que jogando em casa não assumiu, como devia, o jogo. 


Para os adeptos do Benfica o Porto quis ganhar apenas de "paleio" já que Lopetegui armou a equipa com um meio-campo hiperpovoado demonstrando todos receios que tem do Benfica.



Até posso concordar que em termos tácticos o jogo possa ter tido interesse, mas o espectáculo ficou-se pelas bancadas na coreografia inicial.

Devo dizer que é da conjugação de argumentos apresentados por um e outro lado que se chegou àquele triste espectáculo. Anunciado como jogo do ano, foi uma pura desilusão.
Uma oportunidade (?) de golo para cada lado, muita luta a meio campo e nada mais.

Jesus foi mais lúcido na hora de comentar o jogo. Lopetegui esteve de certeza noutro estádio que não o Estádio da Luz.

Ao Porto apenas interessava a vitória. Povoa o meio campo e deixa o seu melhor jogador do momento no banco? o maior desequilibrador? estavam à espera que o Benfica se abrisse todo sem necessidade? O treinador do Porto foi muito pouco ambicioso. Na 1ª parte apostou nas bolas longas, sem qualquer sucesso.

Jesus jogou mais na expectativa. Sabe que o Benfica defende bem e que o Porto com posse, mas inconsequente, iria começar a desesperar. Ainda assim, na saída o Benfica errou muitos passes e acabou a 1ª parte algo pressionado, sem justificação. A equipa tem que estar mais fresca que o adversário, e tinha que estar mais tranquila já que o Porto tinha a maior pressão do seu lado.

A 2ª parte foi melhor, mas pouco. Mais espaço e menos contacto. O Benfica acabou o jogo com uma equipa mais de pendor defensivo, e provavelmente JJ lembrou-se que não se queria ajoelhar de novo. O pragmatismo disse que se não dava para ganhar havia que se segurar o empate, que não sendo bom, era o mal menor.

Jorge Sousa (que muitos chamam de superdragão) teve erros, desculpáveis num jogo desta dimensão. Há quem critique, porventura com saudades de penaltis (Lisandro/Yebda) ou cartões (Hulk/Emerson) à moda de tempos não muito distantes. Espera-se que esses tempos tenham passado.

A ser verdade que Lopetegui ameaçou JJ daquela maneira, apenas posso dizer que o ridículo já passou as barreiras das conferências de imprensa. Até o Antero Henriques pareceu incomodado com a triste figura.

Por último, quero sublinhar bem sublinhado que, estando numa posição favorável, o Benfica ainda não ganhou nada. A posição é confortável, mas pouco. Há que trabalhar muito e não errar para se atingir o grande objectivo: o 34º

17 comentários:

LDP disse...

Não sei se sabem mas antes de ontem houve campeonato.

Pedro disse...

O porto povoa o meio campo e com isso ganha essa "batalha". Teve o controlo do jogo, teve bola, ganhava todas as segundas bolas. Simplesmente não sabia o que fazer com ela. Nem sequer aproveitar uma ala com Talisca e depois a outra amarelada.

Na segunda parte a coisa equilibrou mas sempre muito fraquinho.
De JJ não esperava nada diferente...do parvotegui esperava mais ambição.

Peyroteo disse...

Como é que o Sporting não é campeão??!!!!

LDP disse...

Porque tem defesas risíveis?
Ou atacantes que só marcam a cada 10 jornadas?
Médios que só são notícia quando, pela enésima vez, algum jornalista precisa de encher espaço nalguma página com o nome do Liverpool ou do Arsenal?

Pensa nisso, Peyroteo.

Peyroteo disse...

Nem todos têm dinheiro para investir em grandes jogadores como Colinho...

luis disse...

Colinho como o de ontem, com certeza. Mais um que não conta.

Peyroteo disse...

De facto houve um (belíssimo) golo muito mal anulado ao Moreirense quando havia 3-0. Foi um benefício, de facto. Não que tivesse influência no resultado final mas mesmo assim não gosto, ainda que seja de 30 em 30 jogos

LDP disse...

Foi só isso que viste no jogo de ontem?

Tu nas horas vagas és fiscal de linha, não és?

Peyroteo disse...

Espero que não estejam a falar do golo do mané, visto que o jogador nem em relação à bola estava adiantado, quanto mais em relação ao defesa. Já vi que analisam as jogadas pela posição da câmara e não dos jogadores...

LDP disse...

Outros há que analisam as jogadas pela posição do fiscal de linha :)

Tens aqui pá: http://2.bp.blogspot.com/--YTdEeCP0is/VT6fmidcv3I/AAAAAAAAWfg/ojLBFYj5aEU/s1600/395.png

não sei que questões de prespectiva ou de posição da câmara queres considerar, mas podes também tentar incluir o facto de o cameraman ter comido só salada nesse dia para explicar o golo do Mané.

Peyroteo disse...

Ainda bem que metem as imagens. Mas vocês olham bem para elas ou a vossa linha é a posição da câmara?! Então o jogador que está mais perto da lateral da área (o terceiro do Moreirense visto desta perspectiva), dá uma condição legal ao Mané de quase um metro.
O golo anulado ao Moreirense foi, de facto, um absurdo.

LDP disse...

Quase um metro, portanto entre os 80 e os 95 centímetros. :)
Gosto dessa especificidade mostrada. O chamado olho de falcão.

Já o outro lance penso não ser um golo anulado, pois o árbitro apita antes de a bola entrar na baliza.

Peyroteo disse...

Para mim é um golo anulado pois nenhum jogador foi condicionado pelo apito, nem mesmo o Patrício.

LDP disse...

No meu reduzido conhecimento, a partir do momento em que o árbitro apita, o jogo pára. Foi isso que me ensinaram. Logo foi um não-golo, e logo não pode ter sido anulado algo que não existiu. Pelo menos no meu pc foi essa a sensação auditiva que tive.

E ainda bem que assim é. Mas nem sempre acontece.

Pois, por exemplo, se o árbitro tivesse apitado assim que uma bola foi passada ao William em fora de jogo, talvez o Nacional da Madeira tivesse tido a oportunidade de discutir uma presença na final da Taça nos 9/10 minutos de jogo que restavam ainda...

Mas o árbitro preferiu esperar em vez de apitar, ainda que a bola tenha sido lançada especificamente para onde estava William. Em fora de jogo.

Eu já vi foras de jogo de posição não serem assinalados, mas quando o jogador adiantado está a metros de distância e totalmente incapacitado fisicamente (porque longe) de disputar uma bola. Não foi o caso. Mas como muitos entendidos defendem: "o Nacional não tinha criado perigo até aí, achas que era nos 10 minutos que faltavam para acabar que ia tentar empatar a eliminatória se não tivesse sofrido esse golo?"

"Claro que não", respondo eu - "Até porque o que mais existe num jogo de futebol são as certezas absolutas!" :)

Eu sei que mudei de assunto (de lance apenas), Peyroteo. mas já vi tanto fora de jogo ser assinalado assim que ainda hoje e passadas algumas semanas, me pergunto porque é que um árbitro prefere assistir a uma bola que sobrevoa toda uma área em direcção de um gajo que está sem nenhum defesa entre ele e a baliza e nada faz. São regras novas? Talvez tu me consigas elucidar, Peyroteo.

Mas se não quiseres, não faz mal.

Pedro disse...

Nada que 2500 euros na conta do fiscal de linha não resolva.
:)

Peyroteo disse...

Esse Paulo Pereira Cristóvão tem cara de lampião!

Em relação ao golo contra o Nacional, para a Taça, aceitava perfeitamente que fosse assinalado fora-de-jogo. Se fosse contra o Sporting certamente estaria aqui a protestar.

Mr. Shankly disse...

Eu acho o contrário, acho que o golo é legal.