quarta-feira, março 9

O Vitória faz-se ganhando

Andar com o Mundo virado do avesso não é agradável para ninguém. Quer dizer, até que pode ser... se não arranjarmos maneira de saber que está tudo ao contrário. Impossível, dizem-me. Claro! E num fim-de-semana em que Rui Vitória e Paulo Fonseca foram figuras, o meu ego ressente-se. E o meu 'eu consciente' também por tê-lo - ao ego, entenda-se - deixado tomar o comando. É, o ego exagera sempre. Pode ter uma dose de verdade, ou às vezes uma dose valente de verdade, mas o que é certo é que é sempre irreal. Tem apêgos, necessidades, carências, e que o Mundo lhe diga que sim é uma grande vitória. Mas quando a realidade decide dizer-lhe que não... aí é que são elas.

Juízos. Fazemo-los com base em quê? Intelecto? Intuição? Vontade? Seja lá o que for, ou porque for, não vamos conseguir controlar o Mundo, e, por isso mesmo, vamos sofrer decepções. Isto se deixarmos que os desfechos nos alterem o estado de espírito. Dito isto, não foi surpresa para mim que o Benfica tivesse ganho em Alvalade. Quatro em quatro? Vá lá... até já se estava a ver que o Universo iria impedir (alô Ruiz!) essa brincadeira digna de tetraenxovalho. O que é surpresa para mim, confesso mais uma vez, é que o Benfica, e Rui Vitória, tenham arranjado uma fórmula que lhes permitisse recuperar uma enormidade de pontos aos dois da frente, e chegar a nove jornadas do fim em primeiro lugar e com a moral toda no sítio. Isto depois de perder três jogos contra o rival que mais o espicaçou nesta época, e outros dois com o adversário que mais o tentou contrariar nas últimas cinco. Um caso estranho mas, bem vistas as coisas, merecido. E bem que o FC Porto lhe podia tomar o exemplo para o que falta de Liga - mas falem de título ao Porto e até o Minho se torna na nova Lisboa.

Porém, voltando à realidade - e não às imagens mentais dentro de uma caixa com imagens de Guimarães e de Paços noutros tempos - Rui Vitória é o homem do momento porque se soube adaptar a essa mesma realidade. Andou às voltas com os trincos lado-a-lado, com uma defesa que com uma simples bola na ala se rompia toda (ver golo do Atleti na Luz, e outros que se lembrem pois eu não sou o Rui Tovar) e com um ataque mais afastado do que as pernas do David Luiz a jogar contra o Barça . Mas, contra todas as previsões - e quando já o queriam ir levar ao aeroporto - a coisa engatou. E engatou porque, ao contrário dos primeiros jogos, Rui Vitória - que é quem toma as decisões da equipa - ajustou posições e juntou linhas a defender e a atacar. E ao que já tinha guardado de Jorge Jesus (como as marcações zonais na bola parada que nunca usou em Guimarães) juntou-lhe Renato (à frente do trinco), mandou subir os laterais, intensificou a reacção à perda e melhorou o controle da profundidade da defesa - que é uma excelente arma para quando o Benfica não consegue ter bola. E, ainda por cima, manteve o jogo-directo que tantos, e tantos, golos lhe deu. Para quê mudar, Marco? Por uma questão estética? Porque não dá contra os grandes? Anda vai para dentro, que já são horas! 

É, Jonas e Mitroglou ajudam, e de que maneira. Claro que ainda falta a menção a Pizzi e a coragem na hora de mandar lá para dentro quem quer que tenha de ir. Tudo isto é de enaltecer mas passa nos intervalos da chuva quando não há vitórias. Sem elas o caminho que se faz caminhando não passa de um cliché sem validade, como os iogurtes depois da data, mas a verdade é que é no fim que se fazem as contas. «Fake it til you make it», disse eu acerca de Vítor Pereira quando andou uma primeira época a largar chavões (somos Porto! fomos Porto! pressionámos, não deixámos respirar, excelente exibição) para depois aquilo tudo se tornar realidade numa segunda época fantástica. E com Rui Vitória será igual? Já na primeira? Haveria razão para aquilo tudo? Mesmo que as ideias não sejam totalmente originais e que o legado tenha sido bem aproveitado, não será Vitória, caso o seja, um justo campeão? Será sim, sem dúvida. Até porque não é fácil varrer a Liga quase toda a goleadas. E essa é uma fórmula a não desprezar. Que venham de cruzamentos, e de golos no primeiro lance de perigo? O Marquês estará a borrifar-se.

O bicampeão atropela então os fracos e joga como equipa pequena com os fortes. Azar do Sporting até porque as equipas pequenas lhe têm dado água pela barba em Alvalade. Se calhar foi mesmo a estratégia acertada. Ou então foi só o que foi, sem mais, para não errarmos no julgamento. Mas, adiante, o percurso do Benfica, tirando essa crise de identidade da qual o Jesus encarnado também sofreu, faz lembrar os melhores tempos do duelo Pereira/Jesus, com a diferença de que só o Benfica sabe que já entra a ganhar em todos os jogos onde não estejam Sporting e Porto. E entra a ganhar porque faz por isso. Entra forte, empurra para o último terço, marca, ganha confiança, gere e se for preciso marca outro! Depois perde o controle e deixa jogar - que é para vermos que as brilhantes organizações ofensivas da Liga são mesmo assim: banais. Mas, o que é certo é que a fórmula resulta - goste-se ou não. E isto não é um sonho e eu não quero que me belisquem. Quero aprender com isto, a sério que quero. Para já reduzo-me à ideia de que o Benfica vai na frente porque, como já disse, entra a ganhar (fazendo e bem por isso). O Sporting (com a melhor ideia de futebol da Liga mas sem recursos para marcar tanto como o líder ) nesta altura entra empatado e de lá parece não poder sair. O Porto é terceiro porque, como já todos repararam, entra a perder. Ser contra Paulo Fonseca, e contra um Braga bastante evoluído, ou contra outro qualquer, não muda em nada isso. Não há fórmula - já nem lhe chamo ideia (obrigado, Rui). 

24 comentários:

luis disse...

"O bicampeão atropela então os fracos e joga como equipa pequena com os fortes."

Foi assim com JJ.

De resto, a equipa tem méritos, apesar de todos reconhecermos que há ali uma certa individualidade a sobrepor-se ao colectivo.

Viram-se melhorias, mas poucas, que os últimos três jogos trataram de negar.

O campeonato está longe de estar decidido. Muito longe.

Peyroteo disse...

Eu considero que o Benfica jogou como equipa pequena mas não por jogar com um "autocarro" mas sim pelo anti-jogo que fez em toda a segunda parte. É isso que as equipas pequenas fazem quando vão ao terreno dos grandes e enquanto não estão a perder. As perdas de tempo, as "lesões". Isso eu acho criticável. E não esperava vê-lo no sábado passado. Ainda que tenha noção da importância do jogo e dos três pontos.

Ace-XXI disse...

Bom post, apenas uma pequena adenda o Benfica "só" teve a 7 pontos do primeiro durante uns dias porque o SCP cometeu a proeza de perder com a União, de resto estiveram sempre dentro da luta umas vezes a jogar pior outras a golear mas a uma distância que lhes permitia sonhar, aliás o mesmo sucede com o porto que tem hoje a maior distância para o primeiro desde que o campeonato começou.

Ace-XXI disse...

Peyroteo eu, tu e qualquer adepto podemos dizer isso (que é 1 facto) mas Jesus só tinha é que estar calado porque todos nos lembramos bem como ele venceu alguns jogos no passado.

Pedro disse...

Isso da equipa pequena é chavãozinho de JJ para desculpar seja o que for. Mesmo a conversa do Peyroteo do anti jogo e faltinhas é conversa fiada para amenizar o impacto moral da derrota. Nada disso aconteceu mas sei que é escusado discutir o tema.

Benfica forte com os fracos e fraco com os fortes foi o mote de 6 anos de JJ. RV não conseguiu inverter esse cenário apesar de ter um contexto completamente diferente. No final será feita a análise ao trabalho de RV. Aos seus méritos e suas falhas.

Nada está ganho e dois pontos neste campeonato tão vulnerável a situações estranhas são uma vantagem irrelevante. Espero que scp e fcp continuem a perder pontos para o SLB ter, então, uma margem confortável que me permita ter mais confiança. Por enquanto continuo com as mesmas dúvidas.

Outro chavão é esse do futebol directo e dos cruzamentos. Mas, tal como os chavões do Peyroteo, sei que não vale a pena discutir.

Peyroteo disse...

Não é conversa fiada e dou-te lances concretos porque no estádio tens uma noção diferente da TV, onde não apanhas tudo:

- Várias vezes jogadores pegaram na bola para fazer lançamento, ficaram com ela algum tempo, e depois deixavam para o lateral, principalmente do lado esquerdo, com o Eliseu.

- Substituição de Mitroglou. Quando viu a placa, começou a mexer nas botas e nas caneleiras, o árbitro foi lá, ele começou a andar devagar e passado um pouco, voltou a baixar-se para mexer nas caneleiras. Demorou mais de um minuto para sair.

- Substituição de Pizzi. Pizzi viu a placa e começou a andar no sentido contrário (ele estava a jogar pelo lado dos bancos), para o lado esquerdo. Isto é algo que vejo muito em Alvalade. É uma estratégia muito utilizada para demorar mais tempo a sair.

- Por duas vezes elementos do banco do Benfica atiraram a bola para dentro do campo para retardar a reposição da bola em jogo em lançamentos para o Sporting. Uma delas foi o guarda-redes suplente Paulo Lopes, outra foi um dos dois elementos que estavam num mini-banco que está ao lado do banco principal.

- Num lance de ataque do Sporting em que a bola sai pela linha final, Eliseu cai para receber assistência.

- Aos 90 minutos, Ederson fez exactamente o mesmo. Ederson esse que mais que uma vez marcava os pontapés de baliza no lado oposto ao da saída da bola para perder um pouco mais de tempo.

Chega? E haveria mais exemplos se fosse visionar novamente o jogo...

Peyroteo disse...

Ace, estou a dar a minha opinião. O que Jesus fez ou deixou de fazer antes e o que disse agora não me interessa. Interessa-me é que o Sporting não utilize este tipo de subterfúgios...

NPI2 disse...

Até parece que foi a primeira vez que um grande fez esse género de teatro para segurar um resultado... Isso acontece em todos os jogos entre os grandes quando se está a segurar uma vantagem mínima. TODOS. Sempre foi assim e não acredito que mude no futuro. Neste caso, especialmente tendo em conta a importância do jogo e o facto de o Benfica ter perdido todos os outros jogos com os grandes.

Keegan disse...

Peyroteo,

Acho que essas tácticas de perda de tempo, que acusas aos jogadores do Benfica, são ainda reflexo dos 6 anos de Jesus. Quem não se lembra de, na Luz com o resultado em 1-0 para o Benfica ele correr pela linha lateral e mandar o Artur deitar-se :)

PS: O adversário desse jogo era o teu clube.

Peyroteo disse...

Já vi muitos derbys e clássicos em Alvalade e infelizmente em muitos deles o Sporting viu-se em desvantagem. Posso dizer que nunca vi nenhuma situação tão flagrante com a de Sábado.
NPI2, eu já disse que compreendo que o jogo era muito importante e que isso tenha sido o principal motivo mas agora virem dizer que não aconteceu, como foi o caso do Pedro...
Keegan, pode ser reflexo de muita coisa mas para mim não me interessa a parte de Jorge Jesus. Interessa-me se o Sporting é vítima dessas situações. E sendo vítima também nesse jogo que falas, acaba por ser vítima em ambos os jogos. Isso é que me importa.
A vocês não vos irrita quando, no Estádio da Luz, aparecem equipas a perder tempo?

Pedro disse...

Parecem-me lances perfeitamente naturais na recta final de um jogo tão importante.

LDP disse...

Vamos querer visionar os outros derbies desta época, aquando da substituição de jogadores do sporting?

Se calhar é melhor não...

Duarte disse...

Como Sportinguista irritou-me muito mais o derby do ano passado, quando depois de fazer o 1-0 aos 84 minutos, o Sporting não queimou um segundinho que fosse, não simulou uma lesão, não trocou um jogador que ia marcar lançamentos, etc. Pôs-se a jeito, não irritou o SLB e levou um golo escusado.
É feio, irrita-me, mas é uma arma como outra qualquer, desde que não se seja descarado. Mais do que o tempo que passa, que me parece de somenos, há o fator de irritar e indispor o adversário e isso pode ser precioso.

Keegan disse...

Claro que me irrita, mas é uma situação "normal" no futebol e é usada por todos os clubes que assim o entendem. O Sporting com o JJ a treinador estará mais perto de o fazer quando achar necessário. Era aí que queria chegar, só isso.

Keegan disse...

Já agora uma curiosidade. Para mim os erros dos árbitros são postos num plano secundário face à maneira como os conduzem. O Soares Dias, há 3 ou 4 épocas atrás, penso que no primeiro ano do Vitor Pereira, apita na jornada inaugural o Benfica contra o Braga de Peseiro na Luz. Resultado final 2-2 na estreia de Melgarejo a lateral esquerdo (auto golo inclusive). Está o Benfica com a ansiedade e nervosismo normal de quem quer chegar à vitória e num ataque do Braga, já no meio campo do Benfica, o Beto (agora GR do Sevilha) manda-se para o chão e é normal o jogo parar. O Soares Dias atravessa o campo, quase de uma ponta a outra, a andar!!!!!! Nunca visto.
Isto é que é queimar tempo :) e ficou apresentado.

Ace-XXI disse...

E no final de tudo até me parece mais criticável a conveniência do arbitro com esse anti jogo, não vi ele repreender ninguém do banco do benfica quando atiraram as bolas lá para dentro nem o vi a compensar o tempo queimado peelo gr depois de mostrar oa descontos, mas não vamos valorizar isto não foi por aqui que o SCP perdeu bem ou que o Benfica ganhou.

Peyroteo disse...

LDP, acho que podemos visionar sim...

Ace, eu sei que não foi por isso que perdemos mas não é por isso que não o devemos mencionar. E ainda ninguém falou na entrada do Renato Sanches :).

Pedro, não foram todos lances na fase final mas como já disse compreendo pela importância do jogo mas critico na mesma. Provavelmente, se o jogo de hoje estiver a correr bem ao Benfica, vai fazer exactamente o mesmo. Não sei é se vai ter a mesma benevolência do árbitro...

Mike Portugal disse...

Peyroteo,

Não fales do lance do Deus Renato.

LDP disse...

Sim, o Renato fez falta para vermelho.

LDP disse...

PS: Estamos nos quartos da Champions.

Peyroteo disse...

Ainda bem

LDP disse...

E o William Carvalho, em Guimarães?

Ace-XXI disse...

"Jorge Sousa teve nota negativa no jogo entre o Sporting e o Sp. Braga do último domingo. O internacional portuense foi chumbado por não ter mostrado o cartão vermelho a João Mário, pela entrada violenta sobre Rafa."


"Artur Soares Dias voltou a ser avaliado com nível ‘muito bom’ no dérbi Sporting-Benfica disputado no sábado passado."

Coerência...

Curioso que aquela malta que via pênaltis em tudo o que mexia nos outros clássicos neste não tem nada a dizer em relação ao arbitro, o mesmo que neste lance anulou golo ao slimani no bessa.

https://youtu.be/eIrIwFehalE

Sobre a Vitória do Benfica seria mais interessante comentar no post do Luis mas é totalmente justa, foram melhores queo Zenith em tudo,absolutamente miserável o trabalho de AVB tendo em conta os recursos que tem há disposição.

LDP disse...

O Rafa teria mais uns capítulos para contar desse jogo...

Só hoje é que reparaste na falta de coerência da arbitragem? Tenho más notícias para ti...não é só a arbitragem.

E eu já o disse: o Renato deveria ter visto vermelho.
Mas também não percebi porque é que o Mitroglou foi agarrado e mandado ao chão 4 ou 5 vezes na primeira parte quando tentava tabelar ou iniciar contra-ataques rápidos, principalmente pelo Ewerton, e depois do intervalo á primeira acção do género tanto Jonas como Gaitán viram logo o amarelo.
Tu consegues explicar isto, certamente, não?