terça-feira, julho 24

Pongolle&Bojinov

Num momento em que o Sporting procura uma alternativa a Wolfswinkel (isto é, salvo qualquer lesão grave do holandês, um jogador que possa fazer no máximo 5-10 jogos por época como titular ou os últimos 20-30 minutos de jogos em que o resultado nos é desfavorável), acho importante voltar a falar nestes dois nomes que não há muito tempo eram apresentados como grandes reforços para o clube.

Sinama Pongolle custou 6,5 milhões ao clube há uns dois anos atrás. Contratado numa desesperada tentativa de trazer resultados para o clube, o francês assumiu-se problemático logo nos primeiros meses (alegando problemas pessoais), passando por Alvalade, principalmente, para treinar e ainda a tempo de um autogolo e um penalty naMadeira. Não foi possível ver o jogador em Alvalade na época seguinte. Novo treinador, novas preferências e Sinama lá foi recambiado para o Saragoça. Umano em Espanha, onde marcou 4 golos e na seguinte em França onde voltou a marcar 4 golos ao serviço do Saint-Étienne. Neste momento, nem sei onde anda! Obviamente que não será jogador que justifique os tais 6,5 milhões de euros. Mas com 27 anos não seria a altura para o clube que o contratou, tendo em conta que dificilmente recuperará parte desse investimento, e porque também não anda a nadar em dinheiro, o pudesse resgatar e poder assim ter algum proveito desportivo?

Valeri Bojinov acaba por ser um caso idêntico ao anterior. Contratado por milhões de euros (nem sei bem quanto) era apontado pelas mesmas pessoas que continuam à frente do clube hoje em dia, como um ponta de lança capaz de triunfar em Alvalade. Teve os seus momentos altos (poucos) e os seus momentos baixos (que levaram à saida do clube), mas passado 6 meses lá teve o búlgaro que embalar a trouxa e ir para o grande Lecce. Obviamente que a rábula do penalty que falhou e que o levou à saída de Alvalade terá a sua gravidade. Mas também já vi muita gente a fazer pior e a continuar ao serviço do respectivo clube (havendo apenas algumas medidas disciplinares). Será essa então a razão para mandar o búlgaro embora, passado nem um ano ao serviço do Sporting?

É que entretanto, após 10 milhões e pouco mais de 6 meses dados a estes dois senhores, o Sporting continua à procura de mais avançados. Quantos mais milhões precisamos e quanta paciência vamos ter para encontrar o tal avançado?

Concluindo então este post, e à semelhança do meu post anterior "Boulahrouz&Rojo”, o princípio que está por detrás disto acaba por ser o mesmo. Independentemente dos nomes falados, esta máquina do entra e sai sem qualquer tipo de critério e paciência e pior, sem qualquer tipo de "racionalismo económico", está a levar muitos milhões pelo caminho. Milhões perdidos que depois lá para o fim do ano quando saírem os resultados financeiros nos vão fazer outra vez falar em falência e coisas parecidas!

15 comentários:

JPS disse...

Caro J.:

É pena que considere os reforços do Sporting como operações feitas sem critério. Digo-o porque Sá Pinto teve a oportunidade, mesmo sem ter essa obrigação, de explicar pormenorizadamente o critério que o levou a pretender os jogadores referidos. Imagino que seja tentado a pensar, como é comum ler-se, que as aquisições no plantel do Sporting se fazem a partir de uma cúpula sem intervenção ou planeamento do treinador. Não é assim, asseguro-lhe.

Também aproveito para lhe dizer que não necessita de se preocupar com estas movimentações no que a questões financeiras dizem respeito. O orçamento do futebol será inferior em relação à época passada e o equilíbrio das contas é uma prioridade desta direcção. Não serão estas aquisições que colocarão em perigo a subsistência financeira do Sporting, cujo quadro geral o Presidente já explicou até à exaustão.

E recordo-lhe que, de acordo com o macro-plano decidido, a próxima época será ainda deficitária no que diz respeito à conta de exploração do Clube no consolidado, pois só na época seguinte as receitas se aproximação dos custos em virtude das acções de crescimento em curso.

Saudações Leoninas.

J. disse...

Não se pode falar destas coisas e pensar que sim, está tudo programado e controlado.
Não está!!!
E também sei que é preferível esconder-se atrás de uma certa conversa com ares de profissional da banca dando a ideia que existe competência e currículo empresarial em Alvalade.
Eu acho que todos nós já sabemos onde isso vai dar.
O certo é que andamos a perder dinheiro nos últimos 3 anos como se calhar nunca perdemos na nossa história.E isso vai ter consequências, principalmente, nos tempos que correm.

E depois, nem é tanto por em causa os reforços. É por em causa o contra-ciclo do timing ( do pp clube que ainda não encontrou os tais parceiros e do próprio mercado que entrou em tempos de vacas magras) desses mesmos reforços.

O Sporting podia e devia olhar primeiro para dentro, antes de ir constantemente neste entra e sai de entradas e saidas.

Sérgio disse...

Na minha opinião as situações do Pongolle e do Bojinov são distintas sendo que acredito que o Bojinov puderá ainda retornar ao clube, visto que apesar de tudo o que se passou mostrou sempre vontade em regressar e limpar a sua imagem já Pongolle ...

Quando aos centrais discordo considero que foram duas contratações com critério, um defesa central esquerdino (não tinhamos nenhum no plantel) e um central que pode jogar a lateral direito com larga experiência internacional, que acaba
por ser uma excelente solução para jogos mais complicados no aspeto defensivo (Pereirinha e Cédric são jogadores de baixa estatura).

SL,

JPS disse...

Caro J.:

Não entendi bem a sua acusação de me estar a esconder atrás de algo. Não sou profissional da banca mas se o fosse não teria vergonha nenhuma em assumi-lo. E sim, existe currículo empresarial em Alvalade e existe competência. As actuais aquisições estão planeadas e programadas e enquadram-se no quadro orçamental definido para este ano. Terei todo o gosto em explicar-lhe o plano económico do Sporting para o triénio, mesmo ele tendo já sido explicado até à exaustão pela Direcção.
De resto, recordo que esta Direcção não responde pelas contas dos últimos 3 anos, apenas do último, sendo que as opções estratégicas que lhe estão por base são substancialmente diferentes da Direcção anterior.

Em relação à qualidade dos reforços, não discutirei naturalmente a sua opinião, que é tão legítima como a minha. Apenas me esforço em contrariar a sua ideia de que no Sporting não há planeamento ou critério porque isso não é verdade.

J. disse...

Não me referia ao seu discurso, caro JPS,ainda que me tenha feito lembrar o tal carácter profissional de certos discursos dos nossos dirigentes.Daí a colagem.

Mas voltemos por momentos ao título do post. Tendo já gasto 10 milhões de euros em 2 avançados que ainda pertencem aos quadros, que pouco tempo tiveram em Alvalade para mostrar alguma coisa, que ainda não têm clube e que dadas as condições finaceiras do Sporting não serem famosas, poderiam ser muito bem as tais segundas opções, alternativas a Wolfs.

Mas não, dispensa-se ao desbarato olhando sempre para quem vem a seguir e que ainda não está cá, como a opção certa.

JPS, no ano passado foi assim, pela actual direcção:

http://www.sectorb32.blogspot.pt/2011/07/um-onzemilionario.html

LMGM disse...

O Bojinov, custou 3,5 milhões. Tivemos muita sorte do Ricky ter saido um bom jogador, na fasquia de investimento normal do Sporting é dificil comprar com garantias, é um risco sempre grande.

Soluções? Melhores olheiros e capacidade financeira para perante um jogador sobre qu~em existam poucas dúvidas de rendimento avançar decididamente.

Mas eu já vi falhar em Portugal, Fabiano, Fárias, Bergessio, etc, etc, sem isso ser motivo para "mortos e feridos"...

JPS disse...

J.

Sem querer poluir a discussão, gostaria que me explicasse o que é que o incomoda no carácter profissional do discurso dos dirigentes do Sporting?

Partindo do princípio de que os dirigentes devem ser profissionais no que fazem, preferia um discurso mais populista, que na sua definição significa prometer às massas soluções fáceis para problemas difíceis, sabendo que não são realizáveis?

Obrigado pelo tempo dispensado.

J. disse...

JPS, é talvez uma discussão para um outro post.
Mas basicamente é um discurso muito bonito sim, mas que cai por terra quando um clube se apresenta falido e tem uma gestão altamente deficitária.

Outro aspecto, sabem o que custa ao Sporting arrecadar 10 milhões de euros que foi o que custaram estes dois?
- só pela participção na Liga Europa, q chegamos ás meias finais, facturamos 4,25 Meuros
- 1 ano de Gamebox uns 8 milhoes!?
- 1 ano de quotas???
- vendas de jogadores ???

quer dizer, é só para dar alguma ideia do desperdicio...

JPS disse...

J.

Registo que não me conseguiu explicar o que de facto o incomoda no tom profissional do discurso dos dirigentes, como o próprio apelidou. Não se preocupe. Seria feedback precioso, mas paciência. Contudo, refiro que falho em compreender a relação entre o tom do discurso e as consequências que aponta.

Desde já, não me parece adequado que afirme de forma tão peremptória que o Sporting está falido. O Sporting tem de facto dificuldades de financiamento mas tem conseguido resolvê-las. Se porventura a sua referência diz respeito à situação de falência técnica da SAD (que é diferente de estar falido), eu contraponho que isso ficará brevemente resolvido com a fusão entretanto aprovada. No consolidado, o Sporting não está mais falido que a totalidade dos outros Clubes portugueses, nomedamente daqueles (e são muitos) que vivem acima das suas possibilidades.

O Sporting tem basicamente 2 problemas para resolver:

a) o endividamento, para o qual procura parceiros externos;
b) o equilíbrio da exploração, que depende fundamentalmente de nós.

Ambos os problemas estão a ser trabalhados com afinco pela Direcção, sendo que no 2º ponto os sócios e os adeptos têm uma palavra importante. Basta aderir às campanhas e iniciativas em curso e indo ao estádio apoiar a equipa.

Reitero a minha disponibilidade para explicar, em sede própria, o macro-plano, que pressupõe perder dinheiro esta época e na próxima para ganhar nas seguintes e a sua ligação à estratégia desportiva. Chama-se a isso investimento. Esta foi a estratégia escolhida para o actual mandato. Gestão deficitária como refere, tem outros pressupostos e deve ser mais apontada ao mandato anterior, do qual sempre fui/sou crítico.
Relativamente às contas, não perca tempo em as tentar explicar-me, porque as conheço bem. Eu não me apresentei nem o J. tem obrigação de me conhecer, mas tenho de facto responsabilidades dirigentes no Sporting, embora a minha participação aqui se faça na qualidade de mero adepto, que também sou. Reitero no entanto que tenho todo o gosto em esclarecer aquilo que pode ser tornado público sobre a estratégia, apenas porque, pese embora ela já tenha sido explicada até à exaustão pelo Presidente, a mensagem parece não passar. Seja isso por manifesta falta de vontade de alguma Comunicação Social ou pela falta de interesse de muitos dos adeptos.

Entretanto, e porque o Sporting é muito, mas muito mais que o Futebol, eu sugiro que na qualidade de editor deste blog se debruce sobre o orgulho que é para nós termos apurado 18 dos 77 ateltas olímpicos que se preparam para competir em Londres. E podiam ser 22 se alguns não se tivessem infelizmente lesionado. Ao que acrescento que o Sporting é o único Clube de Portugal que pode celebrar 100 anos de Olimpísmo, com a participação de António Stromp nos jogos de 1912. Que outros Clubes podem gabar-se desta dimensão?

É que o Sporting é e continuará a ser o grande baluarte do Desporto em Portugal, na transmissão dos seus valores universais à sociedade. E isso, meu caro, vale muito mais que alguns títulos conquistados pelos nossos rivais em circunstâncias que todos conhecemos.

Saudações Leoninas.

João Pedro Silva

andreialuz disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
J. disse...

Aprecio o facto de ter alguém de "dentro" a discutir neste humilde "lugar.
Mas ainda assim não posso estar de acordo nem alterar o meu discurso pq simplesmente, atrás de esta tal conversa empresarial - tema sobre o qual já prometi o tal post- há um tema que falha e está a custar ás pessoas entender.

O tal ponto B) o deficit de exploração. Ao contrário do que o JPS diz, não depende dos sócios. Ou melhor, não depende exclusivamente dos sócios. Em clubes com a dimensão do Sporting, está estritamente ligado á gestão de activos, ou seja ao compra e venda da secção futebol do clube.
E não adianta falar dos clubes rivais, pq isso seria atirar areias para os olhos.
É apenas uma análise fria de números. Quanto dinheiro fizemos em vendas/empréstimos, quanto gastamos em compras/dispensas. E depois fazer as contas.

E já dei exemplos atrás. Bojinov e Pongolle. Mas há tantos outros. No ano passado também já falava nisso aqui: http://www.sectorb32.blogspot.pt/2011/07/um-onzemilionario.html

Enquanto esta exploração do negócio futebol não tiver uma perspectiva de racionalismo financeiro e acusar este deficit, o clube nunca sairá do buraco negro onde se encontra.
E digo isto, não por ser contra esta ou outra direcção, mas sim por ser a minha convicção de hoje em dia.

luis disse...

O SCP, o clube da verdade, dos impolutos, dos 2000 euros na conta do outro.

Que mania tão triste, esta.

LMGM disse...

O SCP tem alguma coisa que ver com os dois mil euros na conta do outro?

Se tiver, o dirigente que eventualmente tenha patrocinado esse acto ainda está em funções?

Como correu o concerto? Quando é que se vai comer? Dividas de apostas são para ser pagas!

luis disse...

LMGM, apenas me espanta (é mentira, não espanta nada, já) que exista malta que está convencida que o clube deles está num patamar de moralidade intocável. Sabemos que isso não é bem assim.

Sobre a mistura que o poeta fez entre FCP e SLB nem sequer acho que valha a pena comentar.

Sobre coisas importantes: o concerto foi majestoso e sublime. Porra que (quase) valeu a frustração do Mozz não ter vindo.

O jantar está em águas de bacalhau. Esta fase do ano é complicada por causa das férias da malta, mas não está esquecido, sob minha palavra de honra.

LMGM disse...

Como diria o CEO da Coca-Cola, não confio em ninguém que nunca tenha feito pelo menos uma grande asneira na vida.

A questão não está nos impolutos, a questão está naquilo que tu (leia-se as organizações) fazem perante os factos.

P.S. - Na sexta vou ver os Pink Martini e sábado Alvalade!!!!