domingo, janeiro 12

À Luz do 'SL Eusébio' se derreteu um Dragão de cera

Se surpreende, e irrita, alguém que o FC Porto torne a perder na Luz, então a 'culpa' terá que ser atribuída aos colectivos portistas que, nas passadas três épocas, fizeram parecer fácil a conquista de pontos em casa do Benfica. E dizemos ''fizeram parecer fácil'' porque, obviamente, essas conquistas nunca o foram. Para se ganhar (ou pelo menos não perder) na casa de um dos maiores rivais, o grau de concentração tem de ser máximo e a resposta aos melhores momentos do adversário tem de ser (imensamente) forte, e isso foi coisa que, neste domingo, o FC Porto de Paulo Fonseca, para além de outros erros, nunca teve. O Benfica, com um jogo bastante conseguido em todos os aspectos, regressou assim às vitórias frente ao rival da Invicta, podendo juntar os três pontos - que lhe garantem a liderança isolada da Liga - a uma bonita homenagem ao seu melhor jogador de sempre: Eusébio da Silva Ferreira.


Uma prova de respeito que se estendeu até às camisolas dos jogadores encarnados, onde, em vez do nome dos pupilos de Jorge Jesus, se pôde ler ''Eusébio''. E, mesmo que se queira tirar o contexto emocional da análise ao Clássico, isto de ter onze 'panteras negras' em campo tem que ter ajudado. Ainda para mais se repararmos na forma como o Benfica disputava cada lance, cada bola dividida, cada confronto com um jogador do FC Porto. Por outro lado foi extremamente visível a falta de controle emocional do colectivo portista, principalmente na imensidão de passes errados ao longo de todo o desafio. E nesse 'campo', foi até um regresso que Paulo Fonseca promoveu ao eixo da defesa quem mais esteve em foco - pelo lado negativo. Otamendi não tem um (!) único passe acertado na primeira-parte, não surpreendendo por isso que, já depois de ter errado dois na tentativa (sempre frustrada) de sair a jogar, à terceira, outra das suas 'experiências' acabasse por estar na origem do primeiro golo do Benfica.

Rodrigo - depois de Jackson ter ficado a centímetros do golo, aos 9' - finalizou de maneira extremamente eficaz - fuzilando Helton - numa jogada que demonstra todo o poder de decisão de Lazar Markovic. O sérvio ganhou a tal bola mal endossada por Otamendi e galgou pelo meio-campo portista afora, medindo de forma exemplar o tempo e o espaço para entregar ao avançado espanhol. Uma desvantagem que seria, sempre, para desconfiar, não fossem os portistas 'experts' em gelar a Luz. Mas isso, a acontecer, terá que estar guardado para outro dia, pois este estava destinado a perdurar na memória encarnada como uma homenagem selada com chave-de-ouro. Algo que se foi tornando óbvio de cada vez que o FC Porto tentava imprimir o estilo das épocas anteriores. Passe curto, na tentativa de controlar o ímpeto encarnado, mas uma falta gritante de solução perigosa no último terço, o que, aliado à falta de uma pressão convincente no momento da perda da bola, impedia uma reacção forte, e corajosa, ao melhor período do Benfica.

De modo que neste contexto estar, ao longo do jogo, na pele de um adepto do FC Porto que tenha visto esta partida não deveria ser uma experiência nada agradável. Pela mente ecoariam certamente as conquistas anteriores - ou pelo menos outros jogos em que a equipa praticou na Luz um futebol 'à Porto' - daí que a esperança que as coisas mudassem depois do intervalo terá que forçosamente ser metida na equação. Mas aí, na resposta a mais uma tentativa infrutífera de recriar o futebol das últimas épocas (controlar o Benfica no seu meio-campo usando passes curtos), os encarnados marcaram e gelaram toda a expectativa de que o jogo pudesse ter outro dono que não a equipa de Jorge Jesus. Um golo que surge ainda a segunda-parte não tinha 'aquecido'. Garay, aos 53', 'corrigiu' - com uma excelente movimentação e cabeçada - um erro de Artur Soares Dias na jogada anterior, em que deixou passar um penálti claro (por mão na bola) de Eliaquim Mangala. Contudo o central argentino haveria de aproveitar o canto assinalado, para fazer, com golo, esquecer esse momento infeliz do árbitro da partida, e para dificultar ainda mais uma tarefa portista que já parecia bem improvável.

Algo que tem uma explicação também ela bastante clara. Ao FC Porto 'Série Fonseca' falta-lhe carácter, controle emocional - momentos depois do segundo golo encarnado, foram várias as confusões entre jogadores -, e sobretudo ideia de jogo. O que convenhamos não se constrói lançando jogadores para o relvado na tentativa que algo mude por algum lampejo individual. A entrada de Quaresma (por Licá) o prova, quase tanto como o (novo) desaparecimento de Carlos Eduardo de outro 'jogo grande'. Para o(s) jogador(es) sobressaírem terá que haver colectivo, e uma ideia forte, algo que este FC Porto não tem, por mais vezes que cruze para a área à espera que Jackson resolva. Esse é o principal problema dos campeões nacionais. E ainda que possa haver alguém que se vá lembrar que Artur Soares Dias teve uma tarde para repensar alguns dos seus critérios (esteve manifestamente mal ao não deixar seguir uma bola que deixava Varela isolado e expulsou mal Danilo por alegada simulação - ainda que não fosse penálti o lateral não forçou a queda), tudo isso só retirará a culpa própria da análise que tem ser feita a um jogo onde o Benfica acabou por ser superior em todos os momentos do mesmo.

Benfica-FC Porto, 2-0 (Rodrigo 13' e Garay 53')

Foto: Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens


www.facebook.com/agambeta

18 comentários:

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

bom post mas uma correcção: o jogador que seguia isolado no lance era o jackson e não o varela. como já disse o porto perdeu porque não jogou nem joga nada apesar do árbitro ter prejudicado mais para um lado. assistir aos jogos na benfica tv é como assistir àquelas missas da igreja universal do reino de deus, tem um efeito tremendo na mente dos mais inocentes e influenciáveis

mago disse...

Dizer que o Danilo nao forcou a queda quando este mal se estatela no relvado se vira a olhar para tras com as maos abertas, enfim...

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

danilo de facto já forçou muitas faltas algumas dentro da área quando inclusivé podia ter chutado, enfim, mas a de hoje é um exagero para achar-se simulação. a culpa até foi do primeiro amarelo que levou, foi o primeiro que apareceu à frente do árbitro naquele lance que todos reclamaram por ter parado a jogada com jackson isolado, olha lixou-se, devia ser o mais feio lá do grupo...

luis disse...

O Danilo não forçou a queda. O Danilo mandou-se para o chão.

O FCP com Licá, Varela, Eduardo, Lucho na reforma até podia vencer mas, é abusar da sorte. Então com o Fonseca no banco ainda mais.

Marco, no final da primeira parte o Jackson falhou um golo feito, mas estava um metro adiantado, pormenor que escapou ao fiscal.

Alguns amarelos ficaram no bolso e a partir do segundo golo o árbitro descontrolou-se um pouco. Mesmo assim, ainda deixou um vermelho no bolso para o Jackson quando mandou o Maxi ao chão (nem acho que fosse caso para exp+ulsão, mas quando vejo portistas a falarem do árbitro deste jogo...).

O Benfica foi melhor porque foi mais intenso. Em futebol, ficou ela por ela, com o 442 bacoco a não funcionar na minha opinião.

Markovic no meio sim. Lima é um profissional extremo mas nada lhe sai bem.

Com Cardozo e com Sálvio esta equipa hoje tinha marcado mais dois golos.

Fonseca é péssimo mas ele já disse que o FCP vai ser campeão de certeza. Ou é um optimista ou sabe qualquer coisa que nós não sabemos.

Marco Morais disse...

Tasqueiro, pareceu-me o Varela. De qualquer maneira eu vou ter de rever o jogo e posso confirmar se foi o Jackson.

Luís, não me pareceu simulação, nem caso para segundo amarelo.

Não falei nesse lance do Jackson, mas sim noutro, aos 9'.

Os jogadores do Porto andaram, depois do 2-0, de cabeça perdida e com o mau perder incrível. Em Alvalade não perderam e tiveram períodos parecidos, o que me faz pensar que sabem, como ninguém, que não têm futebol. E isso enerva...

Tanto não têm, que têm medo. E não é pouco. Basta atentar nos 'passes' do Otamendi para perceber como estava o estado anímico da equipa.

O 442 do Benfica funcionou, porque o 433 do Porto não. Com Vítor Pereira e André Villas-Boas, só para dar um exemplo, a batalha táctica seria ganha sem problemas de maior. Com isso não digo que, necessariamente, o jogo seria ganho. Mas o que Jesus hoje fez, já o fez outras vezes - sem resultado. O Porto não tem dinâmica colectiva absolutamente alguma. Fonseca limitou-se, na Supertaça, a aproveitar um pressing criado por VP e a estragar rotinas daí em diante. O Porto tem um bom jogo realizado (Olhanense) e metade de outro (Braga).

Não admira por isso que com Cardozo e Salvio a coisa pudesse ser pior.

Fonseca também disse que ia passar aos oitavos da CL e que ia fazer ''isto'' e ''aquilo''. Se queres levar para aí, leva. Este Porto nem com teorias da conspiração se safava. Mas sobre isso sei pouco. De certeza que há quem saiba mais e possa por tudo, com facilidade, no saco da arbitragem. Por mim, é mais um circo: leio azul, o Porto foi prejudicado. Leio vermelho, ''nem com os árbitros se safaram''. Ao tempo que não ligo.

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

quando temos iturbe, quintero, kelvin ou até ghilas parados tá tudo dito sobre o treinador. vamos ser campeões mas não deve ser com ele a comandar. já estou com saudades do vitor pereira sinceramente, muito mais portista que este que quando empata ou perde faz beiçinho e cara de amuado para parecer bem, só lhe falta chamar o papá. conseguimos perder com um benfica a jogar o que costuma jogar, ou seja, pouco (sim o porto joga muito pior), que quando se vê a ganhar tenta controlar o resultado até ao fim, viu-se hoje mais uma vez a jogar contra 10, o que até é capaz de ser uma boa estratégia tendo em conta que o futebol espectáculo já lá vai. este ano o campeão vai ser a equipa mais eficaz e não a que joga bonito, quiça tal e qual aconteceu o ano passado

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

a única certeza que a polémica com a arbitragem de hoje foge é que não teve influência no resultado, de resto é mais do mesmo

Tasqueiro Ultra-Copos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tasqueiro Ultra-Copos disse...

não sei pk fez duplo post. já agora gostava de perguntar ao benfiquistas como vai ser depois da saida de matic?

Marco Morais disse...

Sinceramente não vejo nada que seja no PF. Potencial? Ideia? Nada. Não sei como será possível evolução de um futebol rudimentar para um futebol que possa vencer em termos de pontuação o Benfica de JJ. E ainda há o Sporting. As coisas têm que ser claras. Porque o Porto o fez algumas vezes toda a gente pensa que é fácil ganhar um tetra e ganhar na Luz. Parece obrigação para o Porto, porque normalmente o futebol da equipa chega. Sem futebol, como se vai ganhar algo?

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

sai do chelsea emprestado e volta de novo 25 milhões mais caro? ai o que faz ter "pouco" dinheiro abramovich...

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

este ano e "para já" perdemos tudo, saber defender, saber atacar, saber trocar a bola, até perdemos e pior que tudo a identidade e o espirito de como é jogar à porto e no porto. faz falta um gajo como o jorge costa por exemplo a comandar aquilo

Hugo disse...

Tivemos um Porto fraquíssimo. PF conseguiu descaracterizar completamente a equipa

Pedro disse...

"O 442 do Benfica funcionou, porque o 433 do Porto não."

Acima de tudo isso. Depois a brutal qualidade individual dos jogadores do Benfica com Matic, Enzo e Markovic à cabeça. Desta vez Gaitan este menos genial e Lima continua numa má forma terrível.

Mr. Shankly disse...

"de sair a jogar, à terceira, outra das suas 'experiências' acabasse por estar na origem do primeiro golo do Benfica."

Concordo com o que disseste do Otamendi (a pior primeira parte que já o vi fazer, a defender e a sair a jogar), mas o passe falhado que dá o primeiro golo é do Lucho.

Peyroteo disse...

A verdade é que o Porto não tem os argumentos do Benfica. Falta-lhe qualidade, tem muito poucas alternativas e depois o treinador não é bom o suficiente para transformar o que tem numa equipa minimamente consistente.
Essa frase dele no final que tinha a certeza que ia ser campeão foi uma tentativa desesperada de tentar "ganhar" os adeptos do Porto. Nem ele acredita nisso e parece-me que os adeptos do Porto também não acreditam que isso possa acontecer com ele nos comandos da equipa.

Steal1975 disse...

Eu acredito que o Porto se mantenha na corrida mesmo até ao fim porque já deu mais ou menos para perceber que o Quaresma vai safar muitos jogos. Só ontem por pouco não saca um penalty e isola o (Varela/Jackson?) frente ao Oblak.

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

não sei quantos anos de contrato assinou PF mas acredito que no final da época se tudo se mantiver como está sai de certeza. vitor pereira por menos foi-se embora mas ao menos e ao contrário deste não deixou que "calcassem" o clube. é muito mansinho o paulinho, alguém que lhe dê um alto cachaço a ver se acorda...