sábado, março 12

mais uma - Viva a democracia

Sem comentários. Aqui

32 comentários:

Marco Morais disse...

Sinceramente não sei o que pretendes dizer com isto.

Se pretendes condenar a agressão, se pretendes condenar o FCP. Sinceramente não sei, e não me digas que não tenho razão para não saber.

Se pretendes condenar a agressão, ao menos comentáva-la dizendo que está ao nível de todas as agressões numa qualquer wc da Luz a adeptos com identificação do FCP. Está ao nível de uma qualquer agressão feita por um palhaço qualquer que invoca causas maiores e que julga pertencer a elas.

Se pretendes condenar o FCP, espera ao menos até o Villas-Boas lhe bater. A menos que aches que foi o treinador do Porto que ligou aos capangas. Já faltou menos para alguém acreditar nisso... mas enfim.

Não percebo, sinceramente, não percebo. E caso não esteja implícito devo dizer, antes que alguém me condene também a mim, que é de lamentar esta agressão. Esta e muitas outras que aparecem ligadas ao mundo do Futebol. As que aparecem, algumas na TV e tudo, e as que não aparecem. Todas merecem o meu repúdio. No teu caso, já sei que umas merecem mais - pelo menos destaque - que outras.

Pedro disse...

Sempre os mesmos...enquanto não respondermos à letra nada disto muda. Eles têm q sentir na pele o castigo por estas acções...enquanto se sentirem impunes isto continua, no dia em que avançarmos isto acaba!!!!

luis disse...

Marco, talvez tenha a ver com isto:

"Em entrevista ao Sol, o antigo presidente da Liga de Clubes, Hermínio Loureiro, denuncia pressões do FC Porto para “correr” com Ricardo Costa da Comissão Disciplinar. Uma entrevista imperdível...

Hermínio Loureiro deixou a Liga e concedeu uma entrevista ao Semanário Sol. As palavras do ex-presidente da Liga de Clubes tiveram pouco eco, o que não condiz com a gravidade de algumas afirmações. O Mentira Desportiva dá eco dessas palavras, que ficam assim eternizadas no espaço que eterniza a corrupção do FC Porto, as pressões e os agentes fiéis que agem em nome do clube.

A pergunta do jornalista Luís Rosa: “Valentim Loureiro ou Pinto da Costa nunca lhe disseram para controlar o que Ricardo Costa (presidente da Comissão Disciplinar da Liga) andava a fazer?”

A resposta: “A única pessoa que me falou do Ricardo Costa foi o Adelino Caldeira, vice-presidente do FC Porto, a 3 de Setembro de 2008, num almoço no restaurante Lusíadas, em Matosinhos. Ele foi clarinho e apreciei a frontalidade. Disse-me: ‘Meu caro, ou você corre com o Ricardo Costa e tem a vida facilitada ou vamos fazer-lhe a vida negra’. Certo é que não mudei a orientação de total autonomia que dei desde o início à Comissão Disciplinar. Desde esse dia que percebi que me iam fazer a vida negra e fizeram."

Repra nas parecenças: não foi feito eco da notícia (que no fundo é do que te queixas que o Jorge está a fazer e, aparentemente, te incomoda); restaurante (deve ser uma condição para que agressões e ameaças sejam feitas - além disso, todos nos lembramos daquela conta que alguém pagou ao árbitro quando estavam dirigentes do FCP no mesmo restaurante); ameaças/agressões.

Neste contexto, não sei o que entendes por "vida negra". Eu leio chantagem, ameaça pelo medo e, quem sabe, um olho negro. O mesmo olho negro que o dirigente do SLB deve ter neste momento.

Eu sei. Esta notícia nada prova, porque "vida negra" pode ser uma metáfora qualquer. Vocês têm muito jeito para inventarem metáforas e essa experiência já vos valeu não condenações imensas.

Eu sei, é difícil entender como é que alguém diz o que Loureiro diz, e ninguém tome uma medida penalizadora (porque sei, obviamente, que condenas o que é relatado).

Mas esta é a vossa realidade. Não há nada a fazer. Nós lemos, ouvimos e vêmos isto desde há 25 anos. A impunidade sempre presente. Sempre.

E estamos fartos disto, por isso, temos de promover o debate. Só esta semana, duas agressões a gente do SLB. São dezenas ao fim destes anos.

Não foi o Vilas-Boas que telefonou. Nem eu acredito nisso. Mas, quem foi, então? Alguém que se lembrou de aparecer naquele restaurante com barretes na cara, por acaso?

Não. Isto é um acto premeditado, porque tudo o que o teu Clube faz, é premeditado, lamento. Nada é deixado ao acaso.

Isto não foi um grupo que ia na rua e decidiu agredir alguém só porque veste de cor diferente (como muito bem exemplificas, casos desses são nojentos e existem transversalmente, não haja dúvida).

Mas isto é um mundo diferente. Há controlo. Há uma milícia. Há uma estratégia. Olha, há uma máfia. E tu sabes que ela existe. Há muitos anos.

Obviamente que eu sei que te envergonha, isso nem sequer ponho em discussão, Marco.

Enfim, ficou o desbafo, um abraço.

low desert puke disse...

Pois Pedro, mas se respondermos à letra perderemos a razao.

E a partir daì (aliàs, jà o fazem), tanto portistas como sportinguistas basearao os seus comentàrios em "ah pois, mas daquela vez que também bateram num dos nossos e tal..."

Porque para eles tudo é justificado quando os outros também o fazem, ou o fazem em menor escala ou gravidade. Ou, e em desespero de causa, quando nao o fazem, os iluminados inventam qualquer balela para ver se equilibram a coisa.

Sao pequenos. Nasceram pequenos e morrerao pequenos. E sò o facto de viverem na ignorancia é que lhes permite serem felizes.

Marco Morais disse...

Luís,

Não acho que sejam novidade as pressões que existem neste país para quem incomoda. Obviamente não as defendo, mas também te pergunto o que é que o cu tem a ver com as calças?

A única cena aqui é conotar-se um ataque cobarde ao meu clube. A vossa argumentação aqui não é diferente do que faço eu, e muitos portistas, quando vos acusam de também comprarem árbitros.

Há ataques conotados ao FCP mas que partem quase sempre de uma entidade próxima mas alheia ao clube. Ou também achas que foi o PC que mandou partir o carro ao Adriaanse? Acreditas mesmo que o PC, ou o FCP, têm algo a ver com esta agressão? com as bolas de golfe? com as pedras ao vosso autocarro?

Respeito que pelas escutas já esperem, e queiram, tudo do FCP, mas não sejam hipócritas ao não reconhecerem que o Jorge deu aqui destaque a dois casos alheios ao meu clube e quando o seu treinador fez dois 'forrobodós' perfeitamente lamentáveis, não escreveu nada. Isto é só mais uma das dualidades.

Sei perfeitamente que o Jorge - a quem envio daqui um abraço - não está aqui para defender o Porto. Mas ou defendemos as mesmas coisas quando falamos do Benfica e do Porto, ou então estamos a ter aquilo que vocês se fartam de criticar nos árbitros: a dualidade.

luis disse...

"Há ataques conotados ao FCP mas que partem quase sempre de uma entidade próxima mas alheia ao clube. Ou também achas que foi o PC que mandou partir o carro ao Adriaanse? Acreditas mesmo que o PC, ou o FCP, têm algo a ver com esta agressão? com as bolas de golfe? com as pedras ao vosso autocarro?"

Não tenho a mínima dúvida. Aliás, e porque não sou maluco, relembro-te da cena da chagada de PdC ao tribunal, devidamente escoltado (é a expressão correcta, mesmo) pela sua guarda miliciana (sim, os SuperDragões).

A colagem não é feita por mim. A colagem é feita por essa imagem. aquilo não foi um caso isolado. Aquilo foi a demonstração cabal do sentimento de impunidade com que aquela gente vive.

E discordo contigo nessa questão da dualidade. Este blogues é pluralista. Aliás, a tua "contratação" foi precisamente em resultado da necessidade de ter alguém que "defendesse" mais as cores azuis. Faz a tua parte, porque a podes fazer, com o Gonçalo. Acho que isso é suficiente para garantir, pelo menos, a possibilidade de não haver dualidades.

Voltando ao tema: tens algum comentário a fazer às declarações do Loureiro? Já as conhecias? O que achas que significam? Consideras que o ataque de ontem não foi premeditado? Achas que se pode comparar um ataque num estádio de futebol em dia de jogo com o que se passou ontem (sendo que ambas são graves, apenas revelam realidades diferentes)?

Os forrobodós do JJ? Espamos todos que seja castigado, é o que faz sentido. Mas aquilo tem um contexto que não pode ser desprezado. Aquilo não foi um ataque planeado. Nem sequer compares.

Gostava mesmo que me respondesses às questões que te coloco.

Jorge Borges disse...

Marco:
antes de tudo, obrigado pelo abraço que retribuo, com o dobro da força (não, não entendas como violento ;) ).

Quanto ao tema: Compreendo o facto de te sentires incomodado.
Porque é que as pessoas quando se fala de uma situação a hão-de justificar com outras passadas noutros locais? Isso atenua ou legitima os actos?
Eu acho ridículo se, na recepção ao Porto os adeptos do Benfica agredirem os jogadores do porto com Bolas de golf. Não virei aqui dizer: "ah, e tal... e vocês, fizerem-nos o mesmo no Dragão... e na altura calaram-se".

Eu também me sentiria se houvessem 2 anormais (e há-os aos rodos) do meu clube que agredissem alguém, no Porto, em Lisboa, ou na conchichina, só porque essa pessoa se expressa contra o SLB.
O facto relevante aqui é que parece que o Porto se está a tornar um colonato onde só há uma voz (e sabemos bem qual é essa voz), e quem for contra sofre graves consequências. Como natural do distrito do Porto e aí residente a maior parte da minha vida, e como cidadão nacional tenho o dever de me insurgir contra isso. Ou não?
Já nem os filhos da cidade respeitam?
Eu não confundo, nem nunca confundi Porto/cidade com Porto/FCP, ou mesmo Norte/FCP. Há muita gente que tenta confundir a fazer das duas coisas a mesma coisa e esses são responsáveis morais.
O FCP enquanto instituição não pode nem deve ser "condenado" por estes actos de anormais, mas o seu presidente, instigador de ódios, sem dívida que moralmente tem muitas responsabilidades.


Acusares-me de dualidade ao não fazer referência às cenas do Jesus, desculpa lá a expressão ma parece-me patético.
Primeiro, porque não se podem confundir as duas coisas. Uma coisa são os intervenientes no jogo, outra é a violência gratuita praticada por elementos estranhos ao jogo.
Depois, porque não tenho tempo para vir aqui sempre escrever e comentar. Já reparaste que nada escrevi sobre a vitória do Benfica na quinta-feira? Isso quer dizer alguma coisa?
Certamente que se alguém postar sobre situações violentas de adeptos do Benfica, eu não me vou esconder e cá estarei para as condenar.
É verdade que não estou aqui para defender o Porto e acho que nunca o farei, mas darei a cara se um dia o Guilherme aguar for agredido por adeptos do Benfica à saída de um restaurante de Lisboa.

Um dia, e em privado, contar-te-ei, uma frase proferida no início dos anos 90 pelo Alexandre Pinto da Costa, dentro do carro de um amigo que tinhamos em comum na altura. É apenas uma frase, mas aí pode ser que percebas muita coisa.

Só mais uma coisa, Marco: No Benfica, temos liberdade de expressão. os contestatários falam, escrevem, aparecem em todo o lado. No Porto tudo é perfeito. Há contestação? Alguém se levanta contra o presidente? alguém tem a coragem e a ousadia de o questionar acercas das suas más decisões? estranho, não?

Pedro:
Esse não é o caminho. O caminho é denunciar em todos os locais que pudermos, e "obrigar" as autoridades a agir. Não é com mais violência que se reprime a violência. Isso é legitimarmos o que nos fazem.
Recuso-me a pensar assim.

Luis:
Para eles o Hermínio Loureiro era mais um dos lá andava a fazer fretes ao Benfica. Eles não acreditam nessas pressões e nessas conversas. Para eles tudo se resume à já célebre expressão: "o João, pode ser o João" descontextualizando-a e fazer passar a mensagem que é o Benfica que tudo pressiona e corrompe.

Marco Morais disse...

Uma coisa é os Super escoltarem, outra é tudo o que eles fazem ter a ver com o PC. Torno a perguntar se achas mesmo que foi o PC que ordenou que eles partissem o carro ao Adriaanse? ou que atirassem garrafas aos jogadores depois de uma deslocação à Madeira? Desculpa mas não faz sentido.

Desculpa lá, outra vez, mas comparar a importância que tinha o Ricardo Costa com este 'borra-giestas' é de bradar aos céus. Mas que mal pode este homem fazer ao FCP? Fala mal do Porto? pá acreditem no que quiserem, mas darem-se a essa importância é que não.

E como vocês acreditam no que quiserem, não se admirem que os primeiros comentários que lêem à notícia sejam algo do género: 'isto é falso e tudo inventado'. Cada um acredita no que quer, e esta pode bem ser só mais uma notícia na linha das encomendas bem enquadradas. Sou sincero e assim que a li, só me lembrei da suposta agressão ao Dias da Cunha. Ou não há quem se faça valer disso?

Quem é mais ingénuo? quem acredita que tudo é culpa do PC, ou quem acredita que o PC é um santo?

Luís, quando falei em dualidades referi-me às que cada um de nós pode ter. O blog tá bem equilibrado e mesmo que não tivesse não era grave.

Sobre as declarações do Valentim, só tenho a dizer que não é da minha maneira de ser concordar com 'vidas negras'. Não concordo que em Portugal tudo se resolva pela maldade, mas também não concordo que só uns sejam demónios com os anjos por trás na sua cruzada contra o mal. Oh Luís mas temos mesmo de ser ingénuos? ou vocês só 'batem' para se defenderem?

É muito mau que se use a violência para se chegar a qualquer fim e desejo profundamente que isso acabe. Sei que no Porto não há santos mas também sei que o Dr. Ricardo Costa não é um. Não que por isso mereça levar uma sova, mas quem não é isento no seu trabalho não merece trabalhar.

Ah e não comparei o caso do JJ com este, comparei sim o destaque do Jorge num e noutro.

Um abraço, Luís =))

Jorge Borges disse...

Não deixando também que fiques sem resposta minha aos "forrobodós" do JJ:

É óbvio que são situações das quais me envergonho, que não se devem passar num jogo de futebol e que espero que sejam devidamente sancionadas. Assim como as entradas em campo do Rui Costa.

Vês? consegui condenar atitudes de pessoas ligadas ao Benfica sem chamar à conversa situações parecidas passadas noutros clubes com outras pessoas.

Mas também acredito que se fosse o Villas-Boas o actor principal em vez do JJ, TU (e pouca mais gente) também o condenasses.

Pedro disse...

Puke e Jorge, mas ainda acreditam nas autoridades? As autoridades q nada fazem perante pedradas e bolas de golfe? As mesmas autoridades que recusam as escutas como prova? As mesmas autoridades q pedem convites para verem jogos no Dragão?

Continuemos assim então...a sermos apedrejados e agredidos e a procurar as "autoridades".

Jorge Borges disse...

pedro:
as autoridades não recusaram as escutas como prova.
A explicação não é simples e estou a preparar um trabalho sobre isso. espero que na época do defeso consiga escrever sobre isso

Marco Morais disse...

Ops, quando falei em agressão ao Dias da Cunha, queria dizer Dias Ferreira.

Jorge,

Começando pelo JJ, eu sempre acreditei, porque sei com quem falo e porque não preciso de muito tempo para conhecer a essência das pessoas, que tu condenasses e reprovasses os 'forrobodós'. Mas não foi a isso que me referi.

Obviamente que se fosse o AVB, como tu referiste, seria igual para mim e é só isso que defendo para todos os casos.

Compreendo a questão do tempo e referi também que não é o teu 'trabalho' atacares o Benfica. Por isso não é nada pessoal, nem nunca poderia ser e sei que tu separas bem isso.

Sobre o assunto que levantaste, confesso alguma ingenuidade sobre os 'temas, porque não lhes dou muita importância. Devia dar mais confesso.

Mas isso não me impede de não reconhecer que há uma força implantada no Porto e que a sua autoridade está ligada a muita coisa reprovável, como não me impede também de perceber e respeitar as vossas conotações.

Que é para mim reprovável em qualquer parte do Mundo está também implícito e não tem discussão. Mas eu perguntei o que tu pretendias com o assunto e foi para mim óbvio que a ligação do FCP ao ataque foi o teu principal alvo. E é para mim óbvio também que há um claro aproveitamento da má imagem que a administração portista tem colada a si.

Um homem que eu acho inteligente, sabe os seus alvos e este não é um deles só porque anda de águia ao peito. Parece-me evidente também que a contestação no Porto não existe devido às vitórias. Não querendo branquear a 'organização' que existe, repara que em anos que não ganhamos há vozes que se levantam e ninguém morre por isso. Mas a argumentação será sempre fraca para contrapor o presidente mais titulado de sempre na história do futebol.

Respeitando imenso a tua ideia, não achas que o 'silêncio' terá algo a ver com isto?

LMGM disse...

Vocês têm mesmo a certeza que não se querem fundir?

Jorge Borges disse...

Acho que não, Marco. Se reparares, em anos que o Porto não ganha, o "target" é específico. Ou foi o Jesualo, ou o Adriaanse, os jogadores que não renderam, mas nunca, nunca o presidente. lembro-me que quando alguém da SAD levantou um pouco a voz contra os gastos excessivos, foi logo silenciado e afastado. A máquina de propaganda dele funciona sem erros e ele sai sempre incólume e por cima.
E se se vir apertado, basta dar uma entrevista e usar da sua "fina ironia" para acalmar as massas. tem sido assim ao longo dos tempos.

Conheces o rosto da oposição no FC Porto?

Marco Morais disse...

Mas porquê questionar um presidente que mostra resultados extraordinários? Os gastos são para mim uma questão muito mal debatida, mas entendo que não se questione porque não sai do bolso a nenhum portista. É uma questão irrelevante quando se ganha. Alguém deixa de sair à rua para festejar um campeonato, só porque há dinheiro (muito) mal gasto pelo clube?

Há contestação no Dragão e isso é um facto que não podes desmentir, mas contra PC ninguém se vira, não com medo de represálias, mas porque criou um estatuto imaculado à custa de títulos, títulos e mais títulos.

A questão é que toda a gente entende que a 'máquina' (e aqui entende como quiseres) funciona, porque já deu provas bastante evidentes disso. Por isso quando se perde a culpa é do treinador e dos jogadores e nunca de PC (esta é a leitura da maioria dos adeptos do Porto).

Obviamente, como todos os outros, ele tem culpas nas más épocas. Mas vais pôr em causa o homem que ganhou a maioria dos títulos do clube? Ao outro ano acerta e fica tudo bem.

Não haver oposição é um indicador do que falo. PC confunde-se com o FCP e até vocês o confundem quando apelidam o clube de 'corrupto'. Nem vocês fazem essa distinção.

Não me recordo de outra figura assim, nem no futebol nem em qualquer outro quadrante. É um estatuto ganho à custa de competência e acho estranho, e demasiado idiota, que seja preciso recorrer à violência para o manter. É como te digo não me parece que esteja aí a razão para o estatuto de PC.

O único exemplo que te consigo arranjar é o do futebol do Barça. Conheces alguém que o questione? E não estou a falar de uma ou outra vitória, estou a falar do futebol da equipa de Guardiola?

No Benfica, neste momento, é difícil perceber-se isso até porque os 'estados de graça' duram muito pouco. Mas por exemplo, na época de Quique porque ninguém se atirou ao RCosta, que foi o principal responsável pelo fracasso desportivo nesse ano?

Apesar de achar a tua teoria válida e pertinente, não a acho como causa maior do que apontas. Mas compreendo até porque quem já ouviu um presidente de um clube a aliciar um árbitro na época em que tem a equipa mais forte da Europa, tem que acreditar em tudo.

Para mim cometer a estupidez e atrocidade de mandar bater no vice-presidente do Benfica é fazer-lhe um favor. (E esta não a entendam negativamente, por favor)

To Ginja disse...

A violencia no desporto é de lamentar e repugnar... em qualquer situação.

Seja quando, em campo um jogador procura castigar o adversário com uma entrada não para disputar a bola mas para acertar no jogador. Seja quando um jogador que agride o adversário, verbal ou fisicamente, desculpando-se na "pressão do jogo".

Seja o treinador ou dirigente que manda insultos gratuitos par ao adversário, por uma qualquer situação que se tenha passado em jogo. Seja o treinador ou dirigente que entende provocar o adversário por ter ganho ou, por ter perdido um jogo qualquer. Seja o treinador ou dirigente que decide, no final de um jogo, agredir verbal ou fisicamente um adversário, por causa de um qualquer desaguisado.

Seja entre jogadores e stewards ou entre stewards e jogadores. Seja entre seguranças que se entendem mandadatados para entrar para dentro de campo para "separar" uma discussão que, em primeiro lugar, não deveria ter acontecido. Seja um qualquer guarda abel que entenda ser dono e senhor de um espaço num estádio, agredindo e provocando, fisica e verbalmente, os adversários da equipa que joga em casa.

Seja entre adeptos que se desloquem ao campo do adversário e que, no caminho, entendam vandalizar tudo e qualquer sítio por onde passam. Seja entre adeptos que recebam o adversário com pedradas na autoestrada, com bolas de golfe ou com incendios num qualquer autocarro. Seja entre adeptos e vice presidentes adversários, seja entre adeptos e presidentes adversários (lembram-se da tentativa de agressão ao Pinto da Costa, na última vez que o porto veio à luz??).

E todas as vezes que actos como este aconteçam, sejam invasões à pedrada a alcochete, num jogo de juniores, seja o incendiar um autocarro de adeptos adversários, sejam bolas de golfe a serem atiradas aos autocarros das equipas visitantes, em autoestrada ou a chegar aos estádios, seja em "esperas" como terá sido, aparentemente, esta a situação, QUE TODOS CONDENEM E NINGUEM SE FAÇA DE VÍTIMA!!!!!!!!!

To Ginja disse...

Então, ao que parece, apesar de ter feito o que lhe é exigido (inclusivé por BENFIQUISTAS), um tal funcionário do Benfica, encarregado da "comunicação", tem a lata DEIXAR NO AR A HIPÓTESE DE TER SIDO O ANDRÉ VILAS BOAS DE TER ENCOMENDADO AS AGRESSÕES!!!

Diga-me lá Sr. Jorge Borges... comente esses comentários desse sujeito!!

Marco Morais disse...

'João Gabriel levantou ainda suspeitas sobre quem terá avisado os agressores da presença de Rui Gomes da Silva naquele restaurante. Questionado sobre André Villas Boas, uma vez que este esteve no local, a resposta ficou no ar: «Vamos ficar por aqui....»'

Ainda não tinha lido e fico estupefacto com a resposta, mas mais com a pergunta. Incrível.

Marco Morais disse...

Ah, mas no meio da história ainda se apanha alguma para rir:

'O treinador do Benfica, Jorge Jesus, também não ficou indiferente ao caso e fez questão de enviar um abraço a Rui Gomes da Silva. E ainda atirou: «O futebol e o desporto em geral precisam de banir este tipo de actos.»'

Anónimo disse...

Marco, esses actos são cobardes, mas é giro é rir.

Pedro Almeida disse...

Que dizes a isto, Marco:

O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, reagiu este sábado de forma viperina ao alegado ataque contra o vice-presidente do Benfica, Rui Gomes da Silva, num incidente que terá acontecido na tarde de sexta-feira, no Porto.

"Podem simular agressões a qualquer palhaço, mas nós vamos continuar o nosso destino, que é vencê-los", afirmou o líder portista durante um discurso na Junta de Freguesia de Rio Tinto.

Alguns minutos mais tarde, já na inauguração da Casa do FC Porto em Rio Tinto mas mantendo o discurso mordaz, Pinto Costa voltou a colocar em causa o incidente. "Isto é mais uma palhaçada", observou.

To Ginja disse...

"Podem simular agressões a qualquer palhaço, mas nós vamos continuar o nosso destino, que é vencê-los", disse o presidente do F. C. Porto, antes de inaugurar a casa do clube em Rio Tinto, freguesia de forte implementação azul e branca."

Estes comentários foram deixados por Pinto da Costa, e são tão ou mais infelizes que os do Jorge Gabriel...

Da mesma forma que acho uma parvoíce acreditar-se que terão sido responsáveis do FC Porto a encomendar esta agressão, digo que acho igualmente uma parvoíce pensar-se que foi uma teatralidade por parte de responsaveis do SL Benfica.

Repito, Sr. Jorge Borges... comente as declações dos seus responsáveis.

TUGA disse...

Especialmente para os CORRUPTOS!!!

http://www.youtube.com/user/PRIMODOTRIPULHA#p/a/u/2/0TW3klocUu8

Jorge Borges disse...

primeiro ó Tó Ginja, não o Sr. que determina minha agenda, o que escrevo e/ou comento. Tal como eu não determino a sua.

Posto isto, sempre lhe vou responder, porque tenho a cara lavada, não tenhjo telhados de vidro, e o que digo hoje, repito-o amanhã, em qualquer circunstância, seja a favor ou contra o meu clube.

O Gabriel, a mim não representa. Desde a triste figura que fez na conferência de imprensa após a final da taça da liga disse quem é e que não merece o meu respeito.
Obviamente a insinuação é absurda e parva. Ou sabe, e diz tudo o que sabe, ou não manda batatas para o ar.

Sugiro-lhe agora que comente as afirmações do seu presidente acerca do caso. E por favor não se desculpe com as palavras do Gabriel. Simplesmente comente. Não me parece que infelizes seja o termo mais correcto. Desafio-o a ir mais longe... se conseguir!

To Ginja disse...

Eu não determino agendas, nem é essa a minha pretensão...

Os comentários do Pinto da Costa foram infelizes e completamente errados. Mesmo que, possivelmente, a coisa tenha efectivamente sido encenada, de forma a criar um qualquer caso ou um qualquer clima de guerrilha, o que, como já referi, não acredito que seja o caso...

O Pinto da Costa deveria ter tido a decendia de condenar esse episódio. Não o fez, errou e eu, como adepto, digo-o claramente. Deu azo a que, quando um responsável portista for a comer a um qualquer restaurante na baixa, tenha o mesmo azar.

Quanto à questão da justiça, a grande verdade é que ela existe... não é é feita nos jornais, e quanto a isso, vou citá-lo "Viva a Democracia!!"

O Anti Lampião disse...

Castigos cirúgicos
Além do aliciamento a adversários, os castigos são igualmente uma arma utilizada pela agremiação corrupta para enfraquecer os adversários.

Tal aconteceu a Pedro Silva, impedido de ser utilizado nesta jornada, assistimos na 6º feira ao início da preparação da difícil deslocação ao terreno do Paços de Ferreira.

"Em alerta para o Benfica - RUI VITÓRIA PERDEU O MEIO-CAMPO
Rui Vitória ficou privado dos três jogadores titulares do meio-campo para a receção ao Benfica e agora terá de encontrar soluções de recurso para equilibrar um sector determinante no processo da equipa. David Simão e André Leão completaram frente ao Beira-Mar uma sequência de cartões amarelos que os obriga a cumprir 1 jogo de suspensão. Por seu turno, Leonel Olímpio foi expulso por vermelho direto, por alegada agressão a um adversário, num lance muito contestado pelos responsáveis pacenses, que consideram não ter existido qualquer contacto entre os dois jogadores que justificasse a sanção disciplinar"
http://oantilampiao.blogspot.com/2011/03/castigos-cirugicos.html

O Anti Lampião disse...

A mesma prática desleal
Tal como acontece na liga portuguesa, também na europa a agremiação corrupta gosta de aliciar os jogadores das equipas que vai defrontar.

"Makonda, defesa-esquerdo do PSG, 21 anos, revelou na quinta-feira, após a derrota na Luz frente ao Benfica, em jogo da Liga Europa, ter mantido "contactos" com os encarnados da Luz."
http://oantilampiao.blogspot.com/2011/03/mesma-pratica-desleal.html

Pedro disse...

Aí estão as declarações do maior monte de esterco do futebol nacional. O homem responsável por tudo o q de mau existe no futebol nacional, o corrputo mor q incita à violência e practica essa mesma violência a por em causa a agressão.

É este monte de merda q faz escola naquele clube, é este monte de merda q alguns seguem e defendem. Este monte de merda representa aquele clube. Ponto final.

To Ginja disse...

Caro Pedro...

Montes de Merda há em todo o lado... uns mandam nos clubes, outros comentam nas televisões, alguns escrevem em jornais.

Deixem-nos louvar e defender os Montes de Merda que nos representam, enquanto ouvimos, lemos e observamos a defesa que vocês fazem aos vossos montes de merda que também representam o vosso clube. Tenhamos é a decência (eu pelo menos procuro tê-la) de não nos vermos entascados num qualquer monte de merda que, aparentemente, cegamente defendemos.

Pedro disse...

"Tenhamos é a decência (eu pelo menos procuro tê-la) de não nos vermos entascados num qualquer monte de merda que, aparentemente, cegamente defendemos."

O teu post contraria totalmente este teu parágrafo...

To Ginja disse...

Quanto a isso, não posso fazer nada... eu escrevi... se quem leu, não entendeu o que está escrito, então sim, o meu post contraria totalmente o meu parágrado.

Pedro disse...

Pois...