domingo, novembro 27

A jaula - Parte 2

- A jaula, e a sua colocação no 3º piso, não serviu para melhorar acessibilidade dos adeptos ao estádio, como foi anunciado pelas cabecinhas pensadoras que a legitimaram. Houve pessoas que entraram com 30 minutos de jogo e isto foi deliberado;
- A visibilidade fica de facto afectada com as redes colocadas;
- Se quem pensou na jaula conhecesse a realidade, saberia que muitos adeptos que têm bilhetes para outros sectores, vão para a zona "segura" onde estão os visitantes. A sobrelotação da jaula apenas reflectiu que não pensaram nisto. Ou se calhar até pensaram, o que é mais grave;
- Não é por haver jaula que deixam de arder cadeiras ou serem atirados very lights, ou seja, se os adeptos quiserem arranjar confusão, vão arranjá-la na mesma;
- A jaula, apenas pelo facto de existir, é já um incitamento à ira dos adeptos.
- Já li a teoria contrária, "como são animais porque até pegam fogo a cadeiras a jaula faz todo o sentido". Isto mostra várias coisas: são pessoas que normalmente não acompanham a equipa nos jogos fora, são pessoas com profundo desconhecimento da realidade dos adeptos que vai nas deslocações, e na maioria dos casos são pessoas que tenta legitimar uma anormalidade, se calhar por razões clubísticas, com uma teoria que pega na consequência e não na causa. Se tratares as pessoas como animais, aumenta-se a probabilidade que eles ajam como tal.

Posto isto, mantenho cada vez mais que a jaula é uma anormalidade. Espero que seja apenas uma originalidade idiota destes dirigentes, que vai morrer no curto prazo, porque se a moda pega quem perde serão sempre os mesmos. Tenho a certeza que os adeptos benfiquistas que gostam de ir a Alvalade ou ao Dragão sentem o mesmo que eu.

Não defendo que o Sporting responda na mesma moeda como alguns sugerem. Se querem criar um ambiente adverso, mais vale serem homenzinhos e assumirem essa atitude e não enviarem bilhetes, pagando a respectiva multa. Pelo menos é mais limpo e transparente.

28 comentários:

Pedro disse...

Cá estarei à espera para ver as tuas declarações sobre a "jaula" quando o sporting for jogar a casa de um clube europeu que já tenha a "jaula" instalada à anos.

Achar q a "jaula" é um incitamento à violência diz tudo.

Sobrelotação é de rir. Devem pensar q não estava mais ninguem no estádio nem que não foram filmados pela TV...enfim...

Em relação à entrada tardia do estádio, isso sim, devem criticar e refilar. É uma pena que isso se tenha passado no Estádio da Luz. Infelizmente acontece sempre que vamos a alvalade ou ao dragão.

Miguel disse...

Pedro, bastaria teres lido o que escrevi meia dúzia de posts abaixo...

"Não interessa se em outros campos da Europa (como se vê na foto de Barcelona) se faz o mesmo. É uma anormalidade."

Pedro disse...

É uma anormalidade q nunca mereceu qqr reparo. Cá estarei para ver as reacções quando lá forem...e se depois tb queimarão cadeiras como protesto...

Marco Morais disse...

Esta jaula, o timing de colocação da mesma e a sua função são de facto uma anormalidade. Não entender isso só porque o seu clube acabou de a colocar também me parece uma anormalidade.

Foi um erro, é um erro e será um erro exactamente pelo que o Miguel disse: "Se tratarmos as pessoas como animais é mais provável que elas ajam como tal".

Nada mais certo.

Pelo que me foi dito a jaula sobe. E pergunto eu, se a jaula não é uma anormalidade porque é que sobe? Se fosse rigorosamente igual assistir ao jogo na jaula, porque é que ela subiria para quando os benfiquistas precisarem dos lugares? Não gostam de estar enjaulados? Guess what? Ninguém gosta.

O que é um facto é que não me lembro de nenhum derby na nova Luz com cadeiras a arder. Desta vez houve. A direcção do Benfica poderá pensar seriamente em instalar aspersores na jaula.

Mas mais uma vez isto só prova as dualidades nas apreciações. Fosse o Porto a fazê-lo e logo veríamos os comentários. Se "por isto ou por aquilo" nem no apagão se reconhece que a direcção do Benfica esteve mal, também não seria agora que os benfiquistas iriam dar a mão a palmatória.

Ah e nem imagino se fosse o Sporting a fazê-lo as piadas que não surgiriam daí. Já não chega o fosso... Podem pensar seriamente, na recepção ao Benfica, vender bilhetes para o fosso, de certeza que cabem lá 40.000.

golias17 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N.T. disse...

Eu sou uma das cabecinhas pensadores que falou da acessibilidade e mantenho o que disse. Entraste na porta 23, certo? Antes não entravas na 23. E enquanto entravas numas quantas portas ao lado, os acessos a essa porta 23, por exemplo, estavam fechados. (entro na porta 22 onde, logo a seguir, é desde sempre colocado o primeiro cordão policial para que os visitantes passem) Falei em acessibilidade para todos. Se não quiseres perceber, que alguém te faça um desenho.

A entrada tardia é uma chatice, concordo. Eu no novo estádio do teu Sporting vi 2 pontapés de saída, das duas vezes que fui com a minha ex-namorada para um sector da casa. Quando vou para aquele sector delimitado por grades entro já com o jogo a decorrer. Já festejei, por exemplo, um golo do David Luiz à porta do estádio. Quem vai aos jogos fora, sujeita-se. E se formos honestos, nunca percebemos se a culpa é do clube que recebe, da polícia (que decide a cadência de acessos à porta), se de ambas as instituições. Curioso é que há anos que os adeptos são tratados como gado nos trajectos para os estádios, conduzidos a toque de bastão, e nunca ninguém se indigna.

A história dos bilhetes de outros sectores é uma falsa questão. Nos outros anos também deve ter acontecido. Ali ou divididos por 2 pisos, com ou sem rede, se vocês insistirem em ocupar lugares para os quais não adquiriram bilhete, o sector vai estar sempre sobre-lotado. Isso é culpa de quem? Do clube da casa? Pa, tem juízo...

E pergunto, se havia sobre-lotação, porque ficaram cadeiras lá em cima vazias?

Não há nada pior que falsas virgens ofendidas...

N.T. disse...

Marco, o timing... Há uma coisa chamada calendário de jogos e é isso que define o timing. Que eu saiba há 2 jogos de alto risco por ano, este foi o primeiro. O outro será em Março.

golias17 disse...

Duas coisas a acrescentar, estádio de merda com condições de merda.

Não havia casas de banho suficientes nem comida para quem quisesse. E quem esteve lá viu o quanto sobrelotado aquilo estava. Para quem viu na tv tem de se esperar pela segunda parte para ver como aquilo estava cheio, porque houve quem entrasse depois do golo do Benfica.

Pedro disse...

LOL...estava tão lotado q acabaram de mostrar imagens na SIC onde se vê carradas de cadeiras, como cada um q estava no estádio tb viu, vazias nos sectores lagartos.

Marco só agora queimaram cadeiras como tb anteriormente só um certo grupo de adeptos é q criou confusão quando ficou lá em cima. Cada vez mais iguais...

Subir a rede. A sério? É isso q argumentas??? enfim...

JPS disse...

Fui um dos que tive presente e constatou os factos directamente:

a) os sectores destinados aos adeptos do Sporting eram manifestamente insuficientes face aos bilhetes vendidos. Foram ocupados com uma média de 2 pessoas por lugar. Esse senhor aí atrás que diz que "Sobrelotação é de rir" devia lá ter estado para perceber os riscos de segurança que ontem existiram;

b) a colocação de 5 pontos de controlo para 4000 adeptos foi claramente premeditado. Fomos informados no local que essa medida se destinava a provocar uma entrada o mais tardia possível dos adeptos do Sporting;

c) ficaram cerca de 400 adeptos do Sporting de fora, apesar de terem bilhete válido. O argumento foi o de não haver espaço para eles, o que comprova que a sobrelotação face aos bilhetes vendidos foi também uma atitude premeditada;

d) depois de os adeptos estarem na bancada os sectores foram selados, por forma a não permitir o acesso aos WCs ou aos bares. Outra atitude manifestamente deliberada.

Sejamos claros: o SLB fez tudo o que estava ao seu alcance para tratar os adeptos do Sporting de forma sub-humana, numa atitude terceiro-mundista.

Os incidentes no fim do jogo apenas espelham a revolta dos que lá estiveram.

Quem semeia ventos colhe tempestades.

JPS disse...

Esqueci-me ainda de referir, para quem fala em cadeiras vazias, que essas faziam parte de um cordão de segurança criado pela polícia de intervenção.

Elas estavam de facto vazias mas não podiam ser ocupadas, mais uma vez, por determinação da organização do jogo.

De resto, de lamentar ainda a forma jocosa como o Director de Comunicação do SLB se referiu a um "determinado" fosso, sem nenhum respeito pela condição humana. Mais um atestado de menoridade do clube que representa.

Sem um pingo de dignidade.

N.T. disse...

Vamos lá a ver se percebemos uma coisa...

O clube da casa tem que criar um sector onde caibam os adeptos e exista uma folga de segurança. Esse sector é aprovado pela Liga e pela polícia. Cabe na cabeça de alguém que o Benfica tenha criado um sector onde não caibam os 5% definidos pelos estatutos da Liga? Tenham juízo...

Se compram bilhetes para outros locais e depois não os querem ocupar, isso é da exclusiva responsabilidade de quem adquiriu o bilhete.

O Benfica disponibilizou 6 sectores para criar a bancada visitante. Cada sector tem entre 600 e 700 lugares, façam as contas.

Já agora, falei das filas lá de cima. Essas não configuravam nenhum espaço de segurança. As filas de baixo é que não podiam ser ocupadas.

O João Gabriel foi muito infeliz. Não tenho problema nenhum em admiti-lo enquanto adepto do Benfica.

Pedro disse...

LOLOL...cadeiras vazias dentro da caixa de segurança...é óbvio que não estou a falar das cadeiras vazias atrás dos stewards...

Cadeiras vazias dos lados dentro da caixa, cadeiras vazias em cima junto ao topo, dentro da caixa.

Esquece lá isso.

4000 mil adeptos? Espera lá...se o SLB só enviou 3500...então a suposta sobrelotação é mesmo culpa vossa não?

Marco Morais disse...

Já lhe ouvi chamar tanta coisa. Agora é uma rede...

Mas não sobe a rede, não? Se não subir espero que vejas lá todos os jogos em que fores à Luz e que tenhas muito conforto. =)

Já agora ponham também uma 'rede' para os Diabos de Gaia não entrarem a enfiar calduços nos assistentes.

Curiosamente ainda me lembro de ir às Antas e haver lá uma rede. Sim, só mesmo uma rede. E havia muito boa gente que se agarrava a ela 'querendo' entrar em campo. Agora, no Dragão e sem redes ninguém entra dentro de campo, porque será?

Marco Morais disse...

Agora já é uma caixa...

N.T. disse...

A mim como adepto interessa-me perceber se a rede condiciona a visão. Podem elucidar-me?
É que de fora (estou no sector ao lado) é imperceptível.

luis disse...

"A jaula, apenas pelo facto de existir, é já um incitamento à ira dos adeptos."

Falso. Falso. Falso.

Não é mais do que uma desculpa para darem azo às suas frustrações.

Faço-te uma pergunta: imagina que tu, os teus familiares e amigos, todos eram convidados para assistir ao jogo naquela bancada, dentro daquela estrutura.

Explica-me que tipo de violência iria existir. Ou não existiria? Ou seriam todos adeptos comuns que, apesar de eventualemte frustrados ou irados, nunca se socorreriam da violência para mostrar o desagrado?

Estás a defender o indefensável. Estás a defender gajos que incendeiam bancadas em campos de futebol. E que saem sempre impunes.

luis disse...

"Pelo que me foi dito a jaula sobe. E pergunto eu, se a jaula não é uma anormalidade porque é que sobe?"

Marco, a vontade de te juntares à dor dos sportinguistas leva-te a perderes o sentido.

A resposta: sobe porque é apenas para ser utilizada em jogos considerados de alto risco.

Estavas à espera de uma resposta longa e com grandes justificações. Não há. É simples, como vês.

luis disse...

"Foi um erro, é um erro e será um erro exactamente pelo que o Miguel disse: "Se tratarmos as pessoas como animais é mais provável que elas ajam como tal"."

Pois claro. Ias tu e a tua família para debaixo das claques, não era? Porque eles são gajos absolutamente normais, que nem têm historial nenhum de violência.

Nunca te vi ralado com a carneirada que fazem há anos e anos pelas ruas, com a polícia. Se achas que aquela gente não tem de ser controlada ao máximo, vives num mundo distante. O nível de agressividade é imenso e estão prontos para a cacetada.

E olha, sabes quem paga estas merdas? Eu e tu.

golias17 disse...

Quem não esteve lá para ver fala sem saber, mais vale estar calado. As condições foram más, péssimas, não querendo dizer que o que alguns adeptos fizeram seja bonito, mas até compreendo. Mais uma vez para quem não sabe a policia filmou os incidentes por isso vai identificar e andou no momento foi buscar no meio dos adeptos quem fez a merda.

Finalizando sim a direcção do Benfica esteve muito mal e fez de tudo para criar um mau clima, falam que são os maiores e tal eu vejo medo...

JPDB disse...

N.T.

A rede perturba um bom bocado a visão, não estava à espera que perturbasse tanto. Mas só para dar uma ideia, os números das camisolas do Benfica ficam imperceptíveis...

Eu estive lá na jaula, gaiola, caixa, o que quiserem chamar, e acho que o maior defeito daquilo é a des-responsabilização que aquilo dá às pessoas que estão dentro e que estão fora. A ideia de colocar acrílicos a rodear também é infeliz, apenas serviu para quem estava fora passar o tempo a provocar sem sequer ser repreendido pela segurança...

Joao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marco Morais disse...

Luís, falei que a jaula sobe não para me juntar à dor de ninguém mas porque a acho uma medida escabrosa que não tem justificação, nem sequer em jogos de alto risco.

Ou seja se fosse algo que não ofendesse minimamente e que até fosse bom para os adeptos ela nunca subiria.

Obviamente que eu não tenho de ir para baixo de nenhuma claque em jogos de alto risco, porque elas não têm que estar 'em cima' de ninguém. É mau para todas as partes envolvidas que isso aconteça. Mas também é algo que nunca se tentou em mais nenhum estádio do país.

As pessoas de quem tu falas há muito que num país civilizado não poderiam entrar num estádio de futebol. Mas como podem ainda se conseguem arranjar argumentos justificáveis para este tipo de soluções aberrantes.

Veremos a diferença na violência no antes e no depois da jaula e veremos se ela é assim tão justificável e não um incitamento à violência.

E falou-se tanto em outros países por causa do novo pioneirismo encarnado e esqueceram-se como sempre de falar no caso da Inglaterra, onde a violência registada decresceu bastante. Certamente não devido às jaulas.

E bem que se aqui falou em desresponsabilização porque é exactamente isso que demais acontece num jogo de futebol. É só personagens que em bando se armam aos cágados e que são realmente perigosas para quem quer estar em paz a assistir aos jogos. O futebol não é deles mas em Portugal até têm direito a fazer o que querem e o que bem lhes apetece. E com estas jaulas já se justifica que eles possam ir ao futebol. São até feitas de encomenda para eles, o que só revela uma idiotice tremenda.

Há pessoas que já fizeram por demais para perderem o privilégio de ver futebol e enquanto continuarem a permitir a sua entrada a violência não acaba ou pelo menos decresce.

Ó Luís, agora jaulas?!

Eu sinceramente não vejo em mais sítio nenhum do país, as pessoas comportarem-se tão impunemente como nos estádios de futebol. E isso diz muito das medidas que são tomadas para isso não acontecer.

Em qualquer sítio fazes aquelas figuras e és posto na rua, com grandes chances de nunca mais poderes entrar. No futebol tudo se faz e já é considerado normal, daí as jaulas. A essas personagens gostava de as ver a chorar num qualquer tribunal e a pedirem de joelhos para irem à bola outra vez e a resposta ser um rotundo NÃO! Aí se veria os 'rambos' destas Juve Leos NN's e SD's deste país.

Não percebo é o porquê de ir para a pancada e ficar e costas para a bola só pela sede de descarregar raivas oprimidas terem lugar em estádios de futebol.

Ainda achas que não quero que os controlem? Ainda achas que só me juntei por opinião aos adeptos do Sporting só porque o Benfica lhes ganhou ontem? Dizeres que nunca me viste preocupado com situações deste género é falta de memória, porque já foram por demais aqui discutidas. E se bem te lembras das minhas opiniões, onde é que caberia esta jaula nas mesmas?

luis disse...

Marco, continuas sem perceber que o que nos distingue neste assunto é o conceito da estrutura. Tu achas que ela provoca a ira e despreza a liberdade dos adeptos.

Eu acho que a estrutura é benéfica na medida em que possibilita que um grande número de adeptos (do SCP e do SLB) possa estar em segurança a ver o jogo.

"Ou seja se fosse algo que não ofendesse minimamente e que até fosse bom para os adeptos ela nunca subiria."

Mas ofende o quê, Marco? A dignidade? Andamos muito sensíveis. O que ofende é a necessidade de gastar meios especiais para acompanhar as claques. Dinheiro que eu pago com os meus impostos. Para proteger a macacada.

Quer queiras quer não queiras, existe o conceito de alto risco. Num jogo entre rivais, seria estúpido juntar os adeptos.

Agora, se achas que há necessidade de isolar dentro daquela estrutura 30 pessoas que vêm acompanhar o Olhanense, só podes estar a brincar.

"Veremos a diferença na violência no antes e no depois da jaula e veremos se ela é assim tão justificável e não um incitamento à violência."

É igual. Prefiro, ainda assim, que incendeiem umas quantas cadeiras do que invadam o campo para agredir jogadores, fiscais de linha ou jornalistas.

"Eu sinceramente não vejo em mais sítio nenhum do país, as pessoas comportarem-se tão impunemente como nos estádios de futebol."

Eu vejo. Na política, onde andam há 35 anos a saquear o país e ninguém vai preso.

Enfim, de resto, estamos de acordo.

Eu não defendo a estrutura implementada (apenas a considero um mal menor, e que não é a causa de nada). Mas também defendo que há gente que não devia entrar num estádio e entra. Desde sempre. Por isso, se estiverem isolados, melhor.

N.T. disse...

Li há pouco uma declaração do Bruno Carvalho. Mais que a jaula, caixa, o que quiserem chamar, é preciso discutir o que ele relata. É uma situação recorrente e que dura há 15 anos, desde que o corpo regular da PSP foi substituído pelos robocops. As cargas indiscriminadas por razões injustificadas (parar para atar um sapato, por exemplo), a prepotência nas barreiras prévias à revista, etc. E isto devia ser discutido em sede da Liga de Clubes, pois é uma matéria que ultrapassa os próprios clubes, são decisões de elementos de uma instituição do Estado Português.
E já nem vou falar das cargas bancada abaixo, onde a acção é ambígua relativamente aos alegados motivos. Uma carga policial nas bancadas é um foco der insegurança.
Agora diz-se que uma rede instiga comportamentos violentos. E a solução anterior, robcops com escudos, bastões e shotguns instiga o quê?

Marco, falas e bem de Inglaterra e da responsabilização individual do adepto. Esse é o caminho. (daí eu ser contra o que chamaram a legalização dos grupos de apoio, que no fundo só promove a preguiça das autoridades) Mas isso por cá parece que dá muito trabalho. É sempre mais fácil varrer uma bancada a toque de bastão.

luis disse...

Marco, apenas mais um reparo. Falaste no timing para justificar uma eventual provocação.

O SCP pedir 10 mil bilhetes foi o quê?

Os dirigentes do SCP afirmarem desconhecer o que se passou no fim do jogo é o quê?

Glorioso11385 disse...

De uma vez por todas, para que percebamos quais os problemas do local onde ficaram os adeptos do Sporting, gostava que alguém que lá esteve nos dissesse exactamente o que se passou. Não puderam ir à casa-de-banho? Estavam proibidos de ir ao bar? Havia mesmo mais gente do que os lugares disponíveis? Levaram pancada dos seguranças? Viram mal o jogo? Isto não é uma provocação. Sinceramente, gostava que alguém respondesse. Até podes ser tu, Miguel, que o 'post' não me elucida.
PS - A questão da demora na entrada no estádio, sendo importante, não me interessa por agora. Infelizmente, não é nova, nem exclusiva do Estádio da Luz. São frequentes as queixas dos adeptos dos clubes visitantes. Eu já entrei em Alvalade com o Benfica a ganhar 2-0.

Miguel disse...

Nuno,

Havia casas de banho que eram "mistas", homens e mulheres. Se nós homens somos um bocado indiferentes a isso, acredito que as mulheres talvez não se sentissem tão à vontade com isso.

Havia pelo menos um bar a funcionar. Pelo menos vendia batatas fritas. Bebidas (água por exemplo) acho que não.

Havia poucos lugares vazios na parte de cima, que não eram compensados pela gente a mais que estava na parte debaixo. Um amigo meu (posso dizer-te quem no FB) não entrou para aquele sector porque a polícia não deixou entrar alegando que já não havia lugares.

Ninguém que eu visse levou pancada dos seguranças. O problema existiu sim à entrada do estádio. Já fui à Luz várias vezes e desta vez o tempo de revista foi ridiculamente demorado. by the way, a melhor solução que já vivi foi a entrada para a garagem e daí entrada directamente para o estádio. Mas claro que isso não é viável quando os bilhetes são para o 3º andar.

Finalmente, vi pior o jogo do que normalmente. Não pelo lugar, mas porque para ver por exemplo o que se passava do meu lado direito tinha de ver 2 redes, a que me separava do meu sector do lado e a que estava em frente a esse sector. Ou seja, havia zonas do campo em que o meu olhar passava por 2 redes e garanto que limita a visão. Claro que não é impeditivo, mas é pré-histórico. ;)