quarta-feira, agosto 22

A culpa é dos mercados

Os mercados são uma chatice. Já sabemos isso desde que as agência de rating começaram a atirar para o lixo a nossa credibilidade como bons pagadores e os juros da nossa dívida pública dispararam que nem um remate furioso do Hulk. Além de serem uma chatice servem interesses, tanto nas finanças como no futebol, senão como é que podemos justificar o racional da data de 31 de Agosto quando os principais campeonatos, com excepção de Itália, deram o pontapé de saída a 18 de Agosto (ou antes)?

Este problema é transversal a todos os clubes. Naturalmente afecta mais uns que outros, mas no limite afecta todos, porque mau para o Vitor Pereira saber se vai ou não contar com Hulk, como também é mau para o Mourinho ainda não ter definido se o Modric é ou não uma opção para o seu plantel. Porque é que ninguém faz nada em relação a isto? Porque é que até à 3ª jornada os clubes ainda não sabem quem entra e quem sai? E, como disse antes, afecta mais uns que outros, mas afecta todos! 

A única explicação que encontro nesta sobreposição de 15 dias é a pressão que isto traz para o mercado de transferências. São os primeiros resultados negativos a obrigar a transferência, porque agora sim, está visível que é o jogador A ou B que faz falta ao plantel, e são os agentes, esses elementos fundamentais no nosso futebol, a mamar que nem reis.

10 comentários:

Pedro disse...

O mercado devia fechar a 31 de Julho. Os clubes têm mais q tempo para analisar, negociar e contratar.

Mike Portugal disse...

Concordo com este post e com o comentário do Pedro. 31 de Julho é mais do que tempo suficiente.

Gonçalo disse...

Pelos vistos os agentes por essa altura ainda devem estar de férias e não estão para ser incomodados...

andreialuz disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
J. disse...

Não sei se será a culpa dos mercados ou então dos clubes que estão demasiado dependentes desses mesmos mercados.
O problema que tem o Porto com o Hulk este ano é o mesmo que teve com outros jogadores em outros anos.
Necessita vender e bem, para conseguir equilibrar as contas. Seja a 31 de Julho, 31 de Agosto ou 31 de Dezembro.

Gonçalo disse...

J., achas que o planeamento de uma época é alheio aos jogadores que compõem o plantel? Depois de 31-Ago não há dúvidas de quais os elementos que contam, a 31-Jul já não é bem assim. Isto independentemente da necessidade reconhecida que existe em vender. Apesar de estarem profundamente relacionados o planeamento desportivo e o saneamento financeiro são coisas diferentes.

Miguel disse...

Tem toda a razão de ser este post. Os clubes estão subjugados a interesses dos marchants de jogadores que por aí gravitam...

J. disse...

Só dá mais tempo a preparar uma opção interna.
Se os prazos terminassem no dia 31 de Julho, e o Hulk fosse vendido dia 30, mto provavelmente o Porto nao iria conseguir arranjar no mercado opções que o pudessem substituir.
Logo teria que haver um outro topo de aposta em jogadores como Kelvin, Atsu ou até Varela.

O planeamento desportivo em clubes como o Porto está ligado ao que consegue ou não vender e não tanto nos prazos serem em Julho, Agosto ou Dezembro.

Mr. Shankly disse...

Bem visto, nunca tinha pensado nessa possibilidade. Como e óbvio concordo com o Pedro.

Gonçalo disse...

J., é óbvio que o planeamento desportivo do FCP está dependente dos encaixes financeiros que consegue fazer. não é isso que discuto. não podemos é fingir que esta indefinição não afecta o planeamento desportivo, porque afecta. é inegável e vai afectar ser mais os que têm que vender que os que querem comprar.