quarta-feira, outubro 22

Curtas à moda antiga.

Parece que a maioria dos elementos do SectorB32 escolheram mal a altura para se ausentarem. Com tanta coisa a acontecer, muitos posts ficaram por escrever. Mas a vida é mesmo assim e com tantas obrigações, sobra pouco tempo para nos dedicarmos à bola.

1. Campeonato nacional

Benfica líder isolado no campeonato. Não o esperava, confesso, mas, ao mesmo tempo, acaba por ser normal, dadas as alterações técnicas dos rivais. A equipa perdeu qualidade, especialmente com as saídas de Markovic e Garay, muito difíceis de substituir, não estivessemos a falar de dois jogadores muito acima da média.

Talisca tem ajudado a equipa a vencer e tem sido, para já, a grande novidade dos reforços benfiquistas. Jonas entrou agora e deu show, não só com os golos que marcou mas, especialmente, com a qualidade do seu futebol. Lima não é o homem-golo que o Benfica precisa, embora continue a considerá-lo indispensável na manobra atacante da equipa.

Na baliza Júlio César não tem sido opção e Artur continua a revelar fragilidades que nos vão custar pontos (o que nem sequer será uma novidade). Maxi está em forma e tem faltado mais Enzo que, parece, tem estado algo desacompanhado. Samaris começou bem mas tem tido algumas dificuldades.


O Sporting tem surpreendido. Marco Silva é um bom treinador e Nani é um acrescento de qualidade fantástico. Sempre gostei do extremo formado em Alvalade e as suas exibições não me surpreendem minimamente. Comparo-o, aliás, a Simão Sabrosa quando este esteve no Benfica: o melhor do plantel, de muito longe, e uma capacidade ímpar de resolver jogos, com golos, assistências e muita qualidade.

Com William Carvalho a subir de forma - tem estado uns furos abaixo do que fez na época passada - este Sporting tem dado mostras de ser capaz de vemcer uma competição, já esta época. Contudo, o plantel é muito curto e os jogos europeus vão continuar a fazer mossa (lesões, cansaço, derrotas). Janeiro tem de haver reforços, caso ainda exista Europa.

Mais a norte, um aparente desnorte. Lopetegui está com dificuldades em impôr o seu estilo de jogo, seja ele qual for. O plantel tem muita qualidade individual mas o espanhol parece baralhado e algo desacompanhado pela estrutura. O FCP vem de uma época muito má, os adeptos estão sem paciência e o treinador portista tem dado o peito às balas, gastando energias.

Jackson continua cheio de classe e Quaresma insiste em quebrar as regras: ainda ontem, numa jogada que pedia logo ali um passe para um companheiro, o extremo pegou na bola, meteu a cabeça no chão e fez... golo.

2. Liga dos Campeões

Uma boa participação, uma má e uma assim-assim. O FCP lidera o grupo que é, também, o mais fraco dos três. Ali é tudo a BATE(r) no mesmo (14 golos sofridos em três jogos), menos o Bilbao, o que acaba por atestar a fragilidade destas duas equipas. Já o Shakhtar não mostrou ser superior aos portistas. Em primeiro ou em segundo, o FCP segue em frente.

O Sporting tem apenas um ponto, num empate consentido no último segundo do primeiro jogo, contra a equipa mais fraca do grupo. Inexperiência ou falta da qualidade individual? Contra um super Chelsea liderado pelo já insuportável Mourinho, os sportinguistas viram a sua equipa responder com qualidade mas sem evitar a derrota. E houve palminhas e tudo, numa repetição do que aconteceu na Luz contra o Zenit. Com a derrota na Alemanha, as contas ficaram mais difíceis mas, seguramente, o terceiro lugar vai acontecer. O segundo é perfeitamente possível, ainda.

E o que dizer da participação do Benfica? Nada de novo, com certeza. Jesus já nos habituou a tristes figuras mas, saliento, esta época, as coisas dificilmente poderiam correr muito melhor. O jogo com o Zenit foi cheio de peripécias e na Alemanha, de equívocos. Contudo, o plantel é inferior ao do ano passado e nota-se bem a diferença de qualidade das opções. Hoje é contra o Mónaco e só a vitória interessa. Ainda está tudo em aberto e no fim, espera-se, pelo menos, que deixemos uma boa imagem e nada de Liga Europa, obrigado.

3. A Liga da vergonha

O que dizer da presença de Ruben Amorim num evento sobre a arbitragem onde esteve presente o líder dos Super Dragões? O Benfica que conheci há dezenas de anos já não existe mesmo e é lamentável que não se dê ao respeito. Já nem falo dos apertos de mão do presidente. É preciso ter muito estômago para assistir a estas cenas. Do lado de quem as pratica, basta serem iguais a si próprios.

3 comentários:

Peyroteo disse...

E não fosse ontem aquela barbaridade nos descontos, o Sporting estaria mesmo em excelentes condições para ficar em 2º.
Agora tem de vencer os dois jogos em casa e esperar que o Schalke não vença na Eslovénia e não pontue em casa com o Chelsea. É muito difícil.
Mas, para mim, o importante foi a resposta da equipa a perder 3-1 e a jogar 10 contra 15. Excelente.

Francis disse...

Viva Luis, concordo em tudo !

luis disse...

Abraço, Francis.