quinta-feira, outubro 23

Portugal na Europa.

Que explicação poderá ter tamanho falhanço das nossas equipas nas competições europeias? Na Liga Europa penso que em seis jogos apenas uma vitória, contra cinco derrotas (Estoril e Rio Ave), na Liga dos Campeões, Benfica e Sporting, juntos, com dois pontos. Apenas o FCP se tem destacado mas, mesmo os portistas não parecem muito convencidos.

A questão da fraca competitividade do nosso campeonato é antiga e se antes considerava que estaria no Top5, neste momento é mais para o fundo do Top10.

Entretanto, a conversa da limitação de estrangeiros (extra-comunitários) no futebol português pode afundar ainda mais esta realidade. Ou temos aqui qualidade nacional em quantidades suficientes?

Adenda: teorias para todos os gostos, aqui.

10 comentários:

J. disse...

Bom, a nivel de ranking ainda continuamos em muito bom lugar, claramente a beneficiar das campanhas de Porto e Benfica (e alguns outros) na Liga Europa depois de ter sido despachados da Champions.

Curioso também que esta conversa aparece num momento onde temos uma das melhores gerações dos ultimos tempos (sub21) a despontar.
No entanto, se formos a ver nessa equipa, metade já jogam fora.

luis disse...

1. O ranking é enganador, daí o meu post. Obviamente que as campanhas do SLB nos dois últimos anos, mais a do Sporting há três ajudam e muito, mas acaba por ser apenas o reflexo de estarmos nivelados por baixo (a Liga Europa não tem comparação com a LC).

2. Metade joga lá fora e o resto, se for bom, acaba por ir pelo mesmo caminho. Quem é que quer ficar numa Liga tão pouco competitiva?

3. O que me faz confusão é saber que os grandes, por exemplo, quando jogam com o Rio Ave ou com o Estoril têm grandes dificuldades mas que depois, estas equipas, na Europa, fazem zero, não ganham a ninguém (mais Benfica e Sporting, que não ganham a ninguém de forma minimamente consistente no patamar mais elevado).

Peyroteo disse...

3 - Não acho estranho. Os jogadores de Rio Ave e Estoril (estes menos) borram-se todos lá fora. Mas é normal que não possam competir com equipas como o Dinamo Kiev, Dinamo Moscovo e PSV, por exemplo.

Pedro disse...

É mesmo uma questão de mentalidade como o Peyroteo diz. O mesmo problema quando os grandes defrontam os mais grandes lá fora (pelo menos no caso do SLB).

Sobre o limite de estrangeiros: está tudo em pânico com essa regra. Eu nem por isso mas, admito, que nos colocará alguns problemas se no resto da europa não for igual.

luis disse...

Peyroteo, não sei muito bem o que é isso do borram-se lá fora. Gajos com 30 anos? Vinte e tal? Treinadores que andam nisto há dezenas de anos?

Eu acho que o problema reside mesmo no ritmo, na intensidade, na mentalidade competitiva (não é essa de se borrarem...).

Pedro, pânico para já não, mas se acontecer apenas aqui, parece-me que os resultados vão ser bem piores.

Peyroteo disse...

Não sei até que ponto a intensidade e o ritmo dos campeonatos holandês, russo ou ucraniano é superior ao português.

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

E se as outras equipas jogassem com a vontade que o benfica tem jogado este ano na champions os resultados ainda eram bem piores...

Sérgio disse...

Rio Ave e Estoril estão nas suas primeiras aparições europeias têm pouca experiência neste nível, acho que acaba por ser natural serão as conhecidas dores de crescimento!

Quanto ao jogador português os mais jovens têm pouca margem para errar e aprender nas equipas principais dos seus clubes têm de ter a sorte de agarrar as parcas oportunidades que lhes aparecem.

SL,

luis disse...

Epa, obviamente que ninguém lhes exige vencer os grupos ou ir longe na competição. É mais a aparente completa impotência para sequer empatarem um jogo.

Benfica e Sporting vão pelo mesmo caminho e ao Sporting ainda se dá o negócio da dúvida (empate no último minuto, derrota contra colosso e boa exibicao na Alemanha + roubo). Já o benfica tem mostrado (continuamente, não e deste ano) uma enorme falta de ambição, competitividade, ritmo, chama-lhe o que quiseres.

luis disse...

* benefício da dúvida...