terça-feira, janeiro 26

O outro lado da Lua

Foi reconfortante estar entre os mais de 50 mil que ontem foram à Luz. Verificar que o futebol pode ser muito mais do que o descrito no 'post' "No fundo" do Luís. Ontem, não houve agressões ou apedrejamentos, fruta ou café com leite, quinhentinhos ou viagens ao Brasil, escutas ou túneis. Ontem, foi dia de festa, de ajudar quem necessita que olhem por si muito mais do que qualquer um de nós. Nem sequer era dia para apupar o Proença e os colegas, mas, enfim, há instintos que o pessoal não consegue conter. Foi tempo de ver estrelas mundiais - actuais e reformadas -, craques do Benfica de quando comecei a ver bola (Humberto Coelho, Nené ou Shéu) ou os que se lhes seguiram (Chalana, Veloso, Pietra, Magnusson, Schwarz, Mozer, Valdo, Vítor Paneira, Rui Águas, Neno, Poborsby, Dimas, Abel 'Faisal' Xavier, Rui Costa, entre outros) a actuar em simultâneo com os que saíram recentemente, mas estão no activo (Miccoli, Karagounis, Katsouranis, Miguel ou Manuel Fernandes), ou aqueles que se mantêm no clube (Nuno Gomes, Quim, Luisão, Saviola, Ramires, Cardozo, Miguel Vítor, Moreira, Éder Luís). Foi tempo de festejar a passagem do 68.º aniversário do Rei Eusébio, mas também de homenagear quem já não anda por aqui, como Miklos Feher, falecido há 6 anos, ou as vítimas do terramoto no Haiti. Foi bom, foi bonito, foi agradável. E pudemos ajudar aqueles que têm problemas bem mais graves do que o 'penalty' que não foi marcado ou outras futebolices. Peço desculpa por esta interrupção. Em breve voltaremos ao normal...

22 comentários:

luis disse...

Pois, mas ontem não foi FUTEBOL.

Estas iniciativas pouco ou nada me dizem.

J. disse...

Excelente iniciativa!!!
De aplaudir.

Daniel disse...

Luis,

É impossível este tipo de iniciativas não dizerem nada a um Benfiquista quando estão em campo: Humberto Coelho, Chalana, Magnusson, Valdo, Mozer, Veloso, Poborsky, etc.

Além disso é uma iniciativa de louvar, ainda para mais quando se consegue levar numa 2ª feira à noite 50 mil pessoas a um estádio.

Anónimo disse...

Tornei-me Benfiquista em grande parte pelo Magnusson.

Luis, oxalá um azar como o do Haiti nunca te bata à porta.

Parabéns aos organizadores deste evento.

luis disse...

Anónimo, nem sequer vou comentar o facto de achares que o que eu disse é porque desprezo as vítimas do Haiti. Não acredito que sejas assim tão imbecil.

Cada um acredita naquilo que quer, eu não acredito nestas iniciativas, mas não condeno quem adere e promove. Era o que mais faltava.

@leo@ disse...

Parabéns pela iniciativa.

Agora a piada

Se aquela era a imagem que queriam passar das glorias do SLB ainda deu para rir.

Magnusson - se o campo tivesse inclinado, como é normal, ainda andava a rebola hehehehe....

pedro m disse...

É agradável rever os craques que marcaram a nossa infancia...Da minha parte mais Valdo, Mozer, Magnusson, Veloso, Schwarz...Gostava de ter visto o Thern e o Hernani.

Mr. Shankly disse...

"eu não acredito nestas iniciativas,"

Como não acreditas no Pai Natal, é isso? Achas que não existe, é virtual?

LMGM disse...

Glorioso, não quero estragar o espirito do teu post, até porque o público foi realmente o melhor da festa.

Aceito mesmo que para quem esteve no estádio a sensação que tenha ficado seja "Foi tempo de festejar a passagem do 68.º aniversário do Rei Eusébio, mas também de homenagear quem já não anda por aqui, como Miklos Feher, falecido há 6 anos, ou as vítimas do terramoto no Haiti."

A mim, espectador televisivo, venderam-me um "Jogo contra a pobreza" e serviram-me um louvor ao benfiquismo. Foi pena, não me importo nada de rever velhos rivais, lembrar porque não gostava de Shéu, Mozer, e tantos outros dentro de uma causa mais nobre.

Agora numa festa benfiquista não me enquadro e pensei que não era esse o objectivo.

luis disse...

Mr. Shankly: mas quem te disse a ti que eu não acredito no Pai Natal?

Mais a sério, não estou a perceber a tua dificuldade. O LMGM deu a sua opinião, podemos discuti-la. Não sei se foi um louvor, diz-me tu.

Não acredito que a pobreza se combate com a caridade.

Mr. Shankly disse...

"Não acredito que a pobreza se combate com a caridade."
Já percebo melhor. Eu também acho que não, a médio prazo. Mas a curto prazo a caridade melhora significativamente a vida de algumas pessoas. Impede que morram de fome, por exemplo. O tempo para pensar e decidir formas mais amplas de actuar é um luxo que nem todos têm.

luis disse...

Já percebes melhor? Mas não estavas mesmo a perceber?

Não concordo contigo porque acabamos por ESCOLHER a quem damos comidinha para viver (outros ficarão de fora, à espera não se sabe muito bem de quê). Isso a mim incomoda-me. Mas não condeno, claro.

Podemos sempre todos cantar o We Are the World e acabar com a fome em África.

LC disse...

Eu não quero acreditar que até com um jogo de Beneficência esta gente consegue arranjar pretextos para criticar e atirar pedras.

Foda-se!!!!

luis, eu entendo o que dizes mas acho que de momento a situação do Haiti é talvez a que mais apoio necessita de momento, foi uma catástrofe natural tal como foi do Tsunami na altura e outras antes, aqui ninguém escolheu, foi a natureza que devastou milhões de vidas e que tirou o que já de pouco tinham.

Aparte disso e falando no "jogo", foi delicioso ver tanta estrela junta como foi quando a Fundação Luis Figo o fez.

leo, é natural que para ti a piada sirva de gozo, eu gostava de imaginar um Manuel Fernandes, um Inácio, um Barão, um Morato ou um Zezinho (são do teu tempo?) jogar, de certeza absoluta que as lágrimas te vinham aos olhos ou talvez não a ti mas a quem viveu esses tempos de bola.

Voltar a ter a presença de Magnusson, Humberto Coelho, Sheu e todos os outros com a camisola do Benfica foi um reviver de emoções que só sentido se poderá entender, ver todas as outras estrelas mundiais foi um orgulho enorme, mesmo a passo a qualidade está lá toda.

LMGM, o teu comentário do louvor ao benfiquismo é fabuloso... talvez no dia em que o teu clube esteja associado a um evento desta natureza eu te possa ler as loas, até lá é traulitar... por falar nisso, o Iorda já teve direito ao jogo a que tem direito?

Glorioso11385 disse...

LMGM,

Se foi a forma como foi conduzida a transmissão televisiva que motivou o teu incómodo, não posso comentar. Se foi o protagonismo que tiveram ex-jogadores do Benfica, não percebo. Num jogo co-organizado pela Fundação Benfica, que contava com alguns antigos atletas que voltavam a vestir aquela camisola ao fim de tantos anos, querias que isso fosse ignorado? Estando no estádio, em que naturalmente a maioria dos adeptos era benfiquista, terias percebido que se fez a festa com o Eusébio, o Magnusson, o Miccoli ou o Chalana, mas também com o prazer de ter ali o Zidane, o Kaká, o Figo ou o Henry. Até posso acrescentar que uma das figuras mais aplaudidas da noite foi um atleta do teu clube. Como vez, foi uma festa supraclubística, mas naturalmente com um forte tom vermelho.

LMGM disse...

Glorioso, foi exactamente isso "... a forma como foi conduzida a transmissão televisiva que motivou o teu incómodo ...", e exactamente por isso salvaguardei a tua sensação que foi a de um espectador directo, num jogo que envolveu jogadores históricos que por certo te dizem mais que a mim.

Não tenho dúvida que nas bancadas "... foi uma festa supraclubística, mas naturalmente com um forte tom vermelho.", como referi, "...não me importo nada de rever velhos rivais, lembrar porque não gostava de Shéu, Mozer, e tantos outros dentro de uma causa mais nobre."

Para te dar um exemplo entre muitos, perguntar ao Rui Costa quando ele está a participar numa festa e assim que ele sai do túnel se o Micolli vai jogar no Benfica para o próximo ano, até o incomodou a ele. Teve de referir três vezes que o objectivo ali era outro e agradecer a todos os que vieram.

Mr. Shankly disse...

"Já percebes melhor? Mas não estavas mesmo a perceber?"
Não.

Sim, escolhemos a quem dar a comidinha. O melhor era não dar a ninguém e comprar mais um jogo de Playstation, claro.

luis disse...

Achas mesmo? Tu lá sabes quais são as tuas prioridades.

Marco Morais disse...

Acho, sinceramente, que o jogo contra a pobreza foi uma boa iniciativa. Obviamente este tipo de eventos não resolve tudo e o problema (este, de causas naturais, nem se podia controlar, mas outros) estará na mentalidade das pessoas, e por isso, em parte, concordo com o Luís.

Do jogo, adorei ver Zidane de novo. Simplesmente o melhor jogador que já vi actuar. Sobre os adjectivos, nem vale a pena falar porque já todos os conhecem. Mas que ainda enche o olho, é óbvio que enche.

Sobre as glórias benfiquistas, achei normal e teria que assim ser. Gostava de ter visto o Thern, mas fiquei satisfeito com Schwarz (parece que não envelheceu) e perplexo com Magnusson. Nada contra, mas lá que foi um choque foi.

Estes jogos são a festa que são porque não há vitória envolvida, isso é óbvio. São puro entretenimento em prol de uma causa maior. Será que qualquer dia poderemos ver algo do género mas feito entre Porto, Benfica e Sporting. É que eu sinceramente gostei de ver os velhos rivais.

Sejamos sinceros, o que era um Porto sem um Benfica ou vice versa? (este exemplo também se aplica ao Sporting, obviamente)

Talvez quando Baía e Rui Costa (e Figo?)forem presidentes, mas duvido imenso... O ar corrompe as pessoas.

Mr. Shankly disse...

"Achas mesmo? Tu lá sabes quais são as tuas prioridades."
Grande resposta: muito adulta.

luis disse...

Depois disto "O melhor era não dar a ninguém e comprar mais um jogo de Playstation, claro.", a parodiar sobre o que eu escrevi, estavas mesmo à espera de uma conversa adulta?

Desde o teu primeiro comentário que eu devia ter percebido que tu apenas estarias preparado para o tom jocozo se este fosse utilizado por ti.

Quando os outros o fazem, decides amarrar o burro e chamar infantil.

Tens muita lata, deixa que te diga.

Aguiazita disse...

Muita dor de cotovelo vai para aqui...
O melhor ao que parece é ficar de braços cruzados e não fazer nada (ironia).
Grande espetáculo o que decorreu no Estádio da Luz, rever jogadores que traçaram a história do meu clube é algo que não tem descrição.
Tabém gostaria de ver alguns jogos com a mesma finalidade com velhas glórias dos rivais FCP e SCP, embora tal seja impossível actualmente.
Há por aí muita gente que não promove iniciativas iguais às dos outros com receio de ser acusado de fazer igual, quando algo é bem feito há qua fazer igual e assumir que o fez, por isso ponham mas é mãos à obra!

Zita

Mr. Shankly disse...

"Podemos sempre todos cantar o We Are the World e acabar com a fome em África."

Isto evidentemente foi uma frase em tom "jocozo" utilizada por mim.

Tenho muita lata, eu.