quinta-feira, abril 28

Um Pepe nada le(g)al

Ao contrário do que diz, e possa ainda mais dizer, Mourinho, o Real Madrid pode, e deve, queixar-se de si próprio para ter já perdido o acesso à Final de Wembley. Desde a 'antiestratégia' que aplicou, ao castigo pela linha ténue entre agressividade e violência - no qual Pepe foi o máximo expoente nos 3 últimos jogos - se explica mais uma derrota de Mourinho frente ao Barcelona.

A todos os Jesualdos e Jesuses que mudam eu os critiquei e um nome bem mais sonante, e consensual, se junta esta quarta-feira a eles. Mourinho tem uma equipa para enfrentar todas as equipas espanholas da Liga BBVA, tem a mesma para enfrentar todas as equipas espanholas que também lhe possam calhar na Taça do Rei e junta-lhe, ainda, o mesmo modelo para jogar contra todas as equipas da Champions. Perdão... todas, menos uma.

E não é preciso dizer qual é. É aquela que reduz o saber futebolístico do português à espera de uma transição para marcar um golo ou de um erro do árbitro para se 'desculpar' com a derrota. Derrota essa que estará sempre iminente, enquanto o seu Real Madrid não for como os corajosos Chelsea e Inter que orientou. Sim, essas duas equipas já se sobrepuseram aos catalães sem alterar a sua identidade. E este Real Madrid de destruição massiva, a roçar, muitas das vezes, um futebol de lavradores deve dar pena a qualquer adepto do futebol.

Invenção para aqui, invenção para além e segundo o próprio, que lê Albert, grandes doses de 'determinação'. Ah Mourinho que desapontamento! O técnico que me levou a chegar à conclusão que me faz hoje criticá-lo. Que ironia.

E se é um futebol legítimo - como são todos - também se torna, para mim, legítimo criticá-lo. E como já dizia alguém do Barça: 'quem brinca com o fogo, queima-se'. E Pepe andou 3 jogos a brincar com o fogo, até se ter incendiado e queimado toda a estratégia do seu técnico.

E que fina ironia será também ser o técnico que se 'gabava' (que outra palavra escolher?) das suas equipas jogarem em qualquer campo com a identidade vencedora que as caracterizava para depois, no seu próprio estádio, ceder à lusa tentação de se encolher e esperar por um erro, forçando-o ao bom modo espartano.

O Barça é a equipa que mais vezes ganha a Mourinho, porque é a equipa que faz Mourinho, mais vezes, mudar de identidade. Ainda me lembro do saudoso Porto, que hoje Mou referiu, ficar reduzido a 10 jogadores para depois o seu técnico, cheio de orgulho, garantir: 'Jogar com 10 não nos assusta porque é só menos um jogador. Não há grande diferença nisso.'

E se hoje já há diferença é porque toda, ou pelo menos grande parte, da sua estratégia assenta em 'caceteiros' como Pepe. Essa é a diferença, José. Pois Pepe não foi leal para ti nem legal para o Barça.

Ainda vais a tempo de mudar. Sem pressão, em Camp Nou, faz o que sempre apregoaste e eu cá estarei para dar a mão à palmatória.

11 comentários:

alexandre Iº disse...

Ponto prévio e declaração de intenções - O futebol do FCB é tão de outro nível que me irrita. Irrita-me a facilidade com que jogam, com que demonstram a sa sua superioridade e, sobretudo, como tratam de a esfregar nos olhos dos adversários.
Dito isto.
Quando o Mourinho tentou jogar de igaul para igual com o FCB apanhou 5...
Está para aparecer a equipa e o treinador que consiga, não momentaneamente mas de forma consistente, contrariar este futebol do FCB.
O Mourinho jogou, ou tentou jogar, como o fez com o Inter. Mas, ainda assim, a vítória só há-de aparecer de vez em quando. Por isso não penso que sejam justas as críticas ao Mourinho por mudar (eu diria adpatar) estilo do jogo do RM às especificidades do FCB.
Queria dizer também que - e de forma, diga-se, totalmente legítima - os jogadores do FCB, sabedores da essencialidade para o RM do jogo pressionante/quasi agressivo, border line violento, do RM, trataram de preparar o Sr. árbrito para uma inevitável expulsão. Foi teatro em cima de teatro ao longo de todo o jogo. Até à expulsão do Pepe... Conseguido esse intento, curiosamente, a peça acabou. Portanto, não me venham falar em santinhos.
Espero, sinceramente (embora pouco acredite nisso) que MU consiga a vitória na final. Não só porque é a minha segunda equipa, mas porque, como declarei de início, o FCB me irrita. Admiro-o , mas irrita-me. Além de que sempre haveria - mais um - português envolvido na vitória de uma liga dos campões.
Alexandre.

alexandre Iº disse...

Post Scriptum - Gostaria de ver o Pepe Guardiola no papel inverso...
Que soluções tiraria da cartola?
Pois...

Hugo disse...

Adorei as fitas do Busquets, Pedro e Dani Alves. E as reuniões de 7/8 jogadores pressionando o árbitro? Espectáculo! Grande equipa.
Na Uefa sempre levados ao colo.
Vamos United derrotar esses trapaceiros

Fil disse...

Parece-me que contrariar este Barcelona é por si só, um feito. Pode acontecer, de vez em quando, mas estamos perante uma equipa que poderá dominar o futebol mundial durante uma década. Face a esta convicção, admito que Mourinho sinta dificuldade em encarar de peito aberto uma equipa com jogadores que, ao contrário dos seus, jogam juntos a nivel clubistico e nacional, há bem mais de 150 ou 200 jogos.

Quanto ao juizo sobre Pepe parece-me precipitado e neste caso, injusto. É um erro do árbitro clarissimo e decide o finalista, ainda mais quando aquele jogador tinha praticamente secado Messi (que está cada vez mais espalhafatoso, talvez contagiado pelo teatro de muitos dos seus companheiros). O jogo acabou aí, e não sei se inocentemente. O que me incomoda neste Barcelona não é ser melhor, é ser ajudado mais que uma vez para o demonstrar em campo. Ora, se a tarefa já é hercúlea, então assim torna-se impossivel.

Marco Morais disse...

Alexandre,

Também faço um ponto prévio. Isto porque o post é carregado de desapontamento pelo treinador que mais aprecio no mundo do futebol. Foi ele quem me ensinou a ver o jogo, foi ele quem me ensinou tudo o que hoje defendo aqui no sector e como tal pode parecer exagerado.

Mas não é, garanto. E não é porque Mourinho tenha de jogar de igual para igual com o Barça. Aliás, nem sei o que é isso. O que eu sei é que normalmente a identidade e modelo das equipas de Mourinho chega e sobra para todas as equipas do Mundo. Só não tem chegado para uma. E só não tem chegado - aqui entro no campo especulativo, mas com total direito - porque ele não as tem preparado para isso. Pelo menos este Real Madrid, é por demais evidente, não chega.

E o Inter? E o Chelsea? Se eu quiser pegar numa exibição que demonstre como se enfrenta este Barcelona terei de pegar no InterxBarça do ano passado. Achas que este Real tentou jogar assim? Se achas estás no teu direito, mas estás enganado. Curiosamente, ganhou. E por dois golos.

Dizes que Mourinho faz bem em se 'adaptar' ao estilo do Barça, mas depois criticas o Barça por se adaptar ao estilo 'pressionante/quasi agressivo border line' do Real. E atenção, não defendo quedas teatralizadas, até porque as houve de parte a parte, mas não condeno reter mais a bola à espera do 'pau' mais que certo neste jogo.

A peça acabou com a expulsão de Pepe, porque o Real Madrid ainda não é forte o suficiente para os enfrentar. Para mim, Pepe é bem expulso. A entrada é duríssima e todas as daquele género deviam acabar com o mesmo cartão. Se a peça acabou, problema do Real Madrid pois com 10 ganharam a Taça do Rei.

É fácil escamotear a derrota com o trabalho do árbitro, quando se podia ter jogado da mesma maneira que do começo da 2.ª parte até Pepe estragar tudo. Quando o Real for essa equipa, Mourinho volta a ser Mourinho.

'Em condições normais seremos campeões e, porque somos melhores, em condições anormais... seremos campeões'.

O problema é que o Real Madrid não é melhor, percebes? E Mourinho sabendo disso tenta a todo o custo esbater a diferença com questões secundárias.

O que me deixa indignado, não pelo Real mas pelo treinador que admiro, é que a equipa podia ser bem melhor. Bem melhor. E vai, seguramente, sê-lo na 2.ª época. E pode ser que aí as pessoas abram os olhos para a Real diferença.

Marco Morais disse...

Fil,

Como já disse não me parece que a expulsão de Pepe tenha decidido o finalista. Já dei o meu juízo de valor sobre a mesma, mas mesmo que fosse injusta, como estás no direito de afirmar, não teria que decidir nada.

O Real ganhou a Taça com 10 e só isso é prova mais que evidente que não seria uma expulsão a decidir nada. Mas Mourinho insistiu tanto nisso que pode ter condicionado os jogadores.

'Não te rias que isto ainda não acabou'

Mourinho não dá ponto sem nó e já está a preparar a ida a Camp Nou. Sem a pressão de passar, veremos se o onze titular não vai ser bem diferente, assim como o modelo. Se perder, perdeu... já toda a gente o esperava. Se ganhar é um feito único. Mas o meu ponto é: veremos se a intenção futebolística não vai ser diferente.

Fil disse...

Marco, quando dizes que "Para mim, Pepe é bem expulso." e "Como já disse não me parece que a expulsão de Pepe tenha decidido o finalista." eu retiro-me dessa discussão. Relativamente ao teu ponto de vista eu encerro o meu caso, isto porque não vou esgrimir argumentos quanto ao que me parece um erro clarissimo e a tua opinião, que está nas antipodas, mas é legitima.

Também acho que Mourinho podia ter sido mais ambicioso, aí de acordo, mas penso que o facto de ser uma eliminatória e não uma final (onde não sofrer golos em casa seria fundamental) condicionou bastante a sua estratégia. Julgo que para ele, o 0-0 nem seria mau resultado, ficando dps no contra-ataque em Camp Nou. Também acho que ele pensou em arriscar mais um pouco na 2.ª parte (e fê-lo, com a entrada de Adebayor), mas a intenção morreu com a expulsão, para mim decisiva, de Pepe.

Nota: Não julgo que aconteça um milagre em Barcelona (é disso que se trata), mas pelo sim pelo não, espreitarei...

LMGM disse...

A entrada do Pepe é absurda, claro que já vi várias entradas daquelas a passarem em claro ou a terem direito "só" a um amarelo mas vejo razões mais que suficientes para justificar o vermelho.

Adiante, nesta lista de embates de equipas contra o Barça apenas ao Chelsea reconheço razões para gritar em alto e bom som "It's a fucking disgrace!", foi uma roubanheira de catedral. O Inter safou-se com um dos maiores atentados ao futebol que já assisti.

Adiante também e passo aos méritos do Barça. Muito se fala do tiki-taka, do meinho gigante, etc., mas uma das principais virtudes que vejo nesta equipa é a agressividade com que recupera a bola, para mim é esse o factor decisivo que os faz ter periodos pornográficos de posse de bola e não apenas a sua capacidade táctica e de passe.

Impressiona-me muito ver a imediata reacção à perda de todo o conjunto do Barça, a recuperação normalmente é feita com três, quatro, cinco jogadores em pressão imediata sobre o infeliz adversário que logrou interromper o concerto de tiki-taka.

Se alguma equipa conseguir manter niveis fisicos e mentais (concentração competitiva) para fazer algo idêntico (o Real fez isso durante os primeiros 45 minutos na taça do rei) está descoberto grande parte do antidoto para esta magnifica equipa.

A grande queixa do Real devia ser contra o teatro dos jogadores do Real e a existir justiça os artistas da simulação seriam todos castigados após o jogo ficando a segunda mão limpa de Di Maria, Daniel Alves, Busquets e Pedro.

LMGM disse...

"...teatro dos jogadores do Barça..." obviamente.

low desert puke disse...

Permite-me, LMGM: o Pepe nao toca no Dani Ålves. Pé em riste e respectivo amarelo e sò. O cartao vermelho é errado e abriu o jogo completamente para o Barcelona.

Anónimo disse...

Marco, este Pepe é exactamente o mesmo que jogava no FCP, tem o mesmo futebol, as mesmas entradas perigosíssimas, a mesma burrice e o mesmo empenho, é um jogador que teve de evolução zero.

Sabes qual a diferença grande? Deixou de jogar pelos protegidos do sistema.