terça-feira, agosto 24

O que chamas tu de virtude, posso eu chamar defeito

E este titulo de post vem á baila, precisamente por ter lido no dia de hoje interessantes teorias sobre as razões de sucesso/insucesso num e noutro clube.

Diz hoje o Record:

"Os elogios a André Villas-Boas já tinham surgido quando o técnico teve a inteligência de perceber, no banco, que dificilmente chegaria ao triunfo na abertura do campeonato, caso não interviesse taticamente no jogo. Teve o discernimento de abdicar do 4x3x3 que tão bons resultados deu frente ao Benfica para trocar as voltas à organizada equipa da Naval, com um 4x4x2 trabalhado às escondidas. Prova superada com um penálti que surgiu no momento em que o portuense já preparava, como ele próprio revelou, um arrojado 3x3x4.Tendo como sistema de eleição aquele que lhe deu o triunfo na Supertaça, o treinador portuense voltou ao formato inicial, em Genk, e colocou-se em vantagem ainda na primeira parte. Sem Hulk, Villas-Boas apostou em Ukra, mas foi já no decorrer da segunda etapa que deu mais uma lição de estratégia, apresentando um esboço do 4x2x3x1 que viria a passar com distinção no triunfo sobre o Beira-Mar. O dragão passou a ter três cabeças e isso põe em sentido a concorrência."

Mais abaixo neste mesmo blog, o Marco diz algo que muitos sportinguistas dizem há muito tempo:

"Em Alvalade, as indefinições de sempre. Modelo de jogo não adequado aos jogadores que dispõe e mais uma vez... barafunda total. Ele é 4-4-2 clássico sem nenhuma razão aparente para isso, ele é 4x3x3 sem alas, ele é um 4x2x3x1 que já deu muitas provas de ineficácia. Pergunta: há extremos na academia? há treinadores na academia? a minha resposta é que tanto extremos como treinadores se os há bons em Portugal é em Alcochete certamente. Para quê tanta incerteza?"

Ora está claro que análises simplistas no mundo da bola são dificeis de generalizar tendo em conta o que num clube pode ser apontado como nobre qualidade noutro pode ser um defeito "mortal".
O Villas Boas é inteligente por alternar tácticas no Porto, o Paulo Sérgio é burro por fazer o mesmo em Alvalade. Então quais seriam as conclusões que poderiamos tirar?
Acho que a explicação vai um pouco mais além que a alternância táctica nas duas equipas.

4 comentários:

LMGM disse...

João é a explicação do futebol mundial:

Ganhas - És Bestial!!!!! Mesmo que não jogues um tusto.

Não Ganhas - És uma Besta!!!!!! Mesmo que metas 5 bolas na barra.

T Nogueira disse...

http://footinmyheart.blogspot.com/

o que acha de uma troca de links?

um abraço

Virgílio disse...

J.:

Mt bem apanhado!... Incongruências...

Acho que a resposta é dado por ti na ultima frase do post.

SL

jamsilva disse...

a questão está nos resultados. se ganhares consecutivamente ninguem te chateia de jogares só c um avançado. O maior problema é que ha mt poucas pessoas que percebem de bola como deve de ser e qd assim é agarram-se a qq argumento por mais parvo q seja.