quarta-feira, novembro 28

Benfica a um terço.

Ao fim de um terço da época, já é possível fazer uma avaliação daquilo que tem sido a temporada do Benfica.

Saídas
Depois da saída de Javi escrevi neste blogue “que este é um falso problema. A saída era inevitável mas, mais do que a qualidade técnica e táctica do espanhol, fará falta a garra, a entrega e a paixão que entregava ao jogo. Sabemos que Javi era bastante irregular no passe e que, mesmo com ele, a equipa revelava uma acção desequilibrada, incapaz de controlar o meio-campo adversário. E esse problema mantém-se, independentemente de jogarmos com Javi ou com Matic. É um problema estrutural da equipa.”

Relativamente a esta questão, penso que Jesus conseguiu o que poucos acreditavam: dar a Matic a responsabilidade efectiva do lugar anteriormente ocupado por Javi. E, na verdade, o sérvio está a dar conta do recado, fruto, especialmente, da qualidade técnica (bastante superior a Javi) e da qualidade táctica (que melhorou com a sua utilização).

Regressos, adaptações e contratados
Enzo Pérez tem sido outra agradável surpresa. É, para mim, um dos melhores e muito me arrependo de ter escrito que o argentino jamais deveria vestir a camisola do Benfica, depois da barraca que deu no ano passado. Tem técnica, classe e, sobretudo, equilibra a equipa defensivamente.

Outra vitória de Jesus é Melgarejo. Apesar de nunca se ter criticado a qualidade do jogador, criticou-se muito a situação de termos de adaptar um extremo a lateral. O paraguaio resistiu a um péssimo início de época, tendo melhorado defensivamente ao ponto de fazer pouco sentido falar-se na necessidade de se contratar um lateral de raiz.

Onde Jesus também marca pontos é na utilização de Ola John. O holandês que afinal apenas custou ao clube cerca de 2 milhões tem sido um dos melhores, apesar do mau início de época. É inteligentíssimo e relega, sem dó nem piedade, Gaitán para o banco.

Devido ao castigo de Luisão, Jesus apostou em Jardel que fez, verdade seja dita, o seu papel com qualidade.

Destaques positivos
Artur (tem revelado algumas inseguranças mas, por jogo, acaba sempre por fazer defesas importantes), Garay (um verdadeiro central, da estirpe dos enormíssimos Ricardo, Mozer, Aldair ou Gamarra, o argentino é de classe mundial, sempre o defendi), Sálvio (que jogador), César (tem feito alguns bons jogos, apesar de nem sempre as coisas lhe saírem bem. Vai ser um jogador importante lá mais para a frente), Cardozo (muitos golos, obrigado), Lima (excelente atitude, golos, entrosamento com os colegas).

Destaques negativos
Maxi (estamos habituados a mais e a culpa é do próprio), Gaitán (continua a demonstrar uma atitude incompatível com a exigência de um profissional de futebol, apesar de toda a qualidade que tem naqueles pezinhos), Nolito (o espanhol não conta para Jesus e está a acusar o toque, como é óbvio), Rodrigo (tem inegável qualidade e até atitude, contudo, demora a efectivar o seu trabalho).

Incógnitas de qualidade 
Luisão, Aimar e Carlos Martins são potenciais reforços de Inverno. O seu contributo à equipa tem sido nulo, pelas mais variadas razões. O regresso dos três vai aumentar a qualidade da equipa.

Jovens e astutos
Os benfiquistas tinham saudades de ver putos portugueses a jogar. Os Andrés têm tido uma presença meritória na equipa e são, aparentemente, dois elementos que contam para Jesus. Têm qualidade própria e a confiança dos adeptos.

Alguma nota artística
A equipa tem revelado alguma consistência e a prova disso são os jogos sem sofrer golos. Defensivamente parece-me claro que melhorámos e ofensivamente temos um arsenal de jogadores do melhor que há. O futebol apresentado tem vindo a melhorar, depois de um início bastante duvidoso. Contudo, temos enfrentado equipas relativamente acessíveis e falhámos no encontro mais complicado (Braga).

A Europa (não) é nossa
Num grupo com o Barcelona, tudo ficou virado do avesso com a vitória do Celtic frente aos espanhóis. Fomos pouco exigentes na forma como abordámos os jogos contra o Celtic e Spartak (fora) e agora precisamos de um milagre para seguir em frente. Penso que a equipa não está preparada para o andamento da LC e não sei até que ponto será benéfico continuarmos a aventura europeia numa desprestigiada LE (pode ser que haja boas equipas nos quartos-de-final).

Queremos o Jamor
Com um sorteio mais ou menos favorável continuamos em prova. E na próxima ronda restará apenas um real adversário candidato. Gostei a forma como, finalmente, encarámos esta competição.

A época começa agora
Vêm aí os jogos difíceis (Barcelona e Sporting, para abrir o apetite) e o rigor do Inverno. O plantel tem soluções mas será necessário investir num médio para alternar com Matic (André é curto pois pode sempre haver uma lesão). O principal candidato ao título está a fazer uma época que não nos deixa outra hipótese que não a de empenhar todos os esforços na principal competição nacional. Esse, continua a ser o nosso principal objectivo.

20 comentários:

Tasqueiro Emigrante disse...

E a opinião que tens do Jorge Jesus?

Hoje vem nos Jornais que ele ganha 4 milhões por ano e que é dos mais bem pagos no mundo.

Tanto dinheiro para tão poucas conquistas...

Pedro disse...

Javi dava uma segurança defensiva, fruto do seu excepcional posicionamento táctico, que Matic ainda não dá mas o croata devido à sua superior qualidade técnica e de posse está a conseguir cumprir muito bem o papel. Tem estado bem em jogos importantes.

Sobre Enzo Perez sempre defendi que era um excelente jogador. Desde o primeiro jogo. Não me surpreende.

Já sobre Melgarejo não embarco na onda positiva q os benfiquistas estão sobre o jogador. Vou esperar para o ver nos jogos a doer...

Ola John começou assustadoramente mal. A forma como nada lhe saía, recepção má, incapaz do 1x1, fazia antever o pior. De repente, joga e encanta. Uma enorme inteligência de jogo e uma excelente capacidade técnica. Q história é essa dos 2 milhões?

A equipa está onde estava à espera. O meu medo é lá mais para a frente...o meu medo é quando entrarem os jogos a sério. Neste momento, nos jogos a doer, empatamos em Braga e não vencemos fora na Champions (Barça não conta nas minhas contas). É esse o meu receio de Jesus.

Maxi tem estado abaixo do esperado pq se espera, exactamente, muito.

Aimar. Será o reforço de Inverno.

Gaitan desilusão enorme. Podia ser jogador de top mundial se quisesse.

luis disse...

Pedro:

O SLB detém apenas uma pequena parte do passe de Ola Jonh, o correspondente a menos de 2M. Custou 8 ou 9 mas não foi pago pelo SLB.

Melga chega e sobra para o campeonato. Porque Jesus o trabalhou.

O teu receio é o de muitos benfiquistas: um enorme balão cheio... de ar. Que rebenta, não se sabe bem quando, mas rebenta sempre.

Pedro disse...

Ok. Já me lembro dessa história dos 2 milhões...seja como for é jogador que custou 9 pelo que a sua qualidade não pode ser surpresa.

Melga serve para Paços e Gil Vicentes...esperemos q sirva para algo mais.

luis disse...

Na condição actual, Melga serve para Braga, FCP e SCP, acho eu. Se a equipa render o que pode e deve, Melga tem a qualidade técnica suficiente para fazer o lugar e até fazê-lo bem.

Numa equipa de qualidade inferior seria um autêntico tiro no pé, mas não é esse o caso.

Olha para os Andrés, há uns anos entravam para serem queimados. Hoje entram e conseguem render porque a equipa funciona "apesar" deles.

J. disse...

Em suma, um melhor Benfica (pelo menos mais equilibrado) sem ter tido a aportunidade de poder substituir Luisão, Javi ou Witsel.
E ainda são contra o homem...

Pedro disse...

J., não esquecemos as duas épocas anteriores.

Pulha Garcia disse...

Luís,

estou de acordo com a tua análise e forma de ver a temporada do Enorme. Duas notas:

"Contudo, temos enfrentado equipas relativamente acessíveis e falhámos no encontro mais complicado (Braga)." esta é a questão: nos jogos mais difíceis ainda não conseguimos dar o salto (falhámos na Escócia, na Rússia, com o Barça e com o Braga). Acredito na equipa mas falta uma psicologia mais ambiciosa.

Além disso, e como disse o Tasqueiro (sempre atento ao Enorme), devias também abordar directamente a prestação do Jesus. O Jesus para mim está a fazer até ao momento uma temporada muito boa, sobretudo para quem perdeu de rajada Javi e Witsel. Não percebo tanto ódio ao Jesus: será que não se lembram do que era o clube nos tempos dos Fernandos Santos, Quiques, Koemans? Vem um treinador de ataque, que já foi campeão, ganha a maior parte dos jogos, garante vendas muito significativas, joga quase sempre com dois avançados e laterais subidos, lança jovens, e não gostam dele porque não ganha tantos títulos como o Porto? É que é preciso lembrar que estamos a competir com um clube condenado por tentativa de corrupção a árbitros, que recebe árbitros em casa, paga putas e férias a árbitros, garante carreiras internacionais a árbitros que erram a favor, etc ... Jesus não faz milagres, mas na minha opinião retira muito próximo do máximo de rendimento que há a retirar desta equipa. O Jesus se fosse para o Porto faria pior do que o labrego que lá está? Ou será que o querem ver a treinar o Sporting? Eu por mim espero que fique muitos anos no Benfica e a evoluir estavelmente para equipas cada vez mais competitivas.

As críticas ao Jesus fazem-me lembrar as críticas ao Cardozo. É mau porque só marca golos. Queriam que ele ainda servisse bebidas e fizesse um pequeno número de variedades, pá.

luis disse...

J.:

Jardel por Luisão.

Matic por Javi.

Enzo por Witsel.

Nenhum dos jogos que perdemos ou empatámos resultaram em erros destes jogadores.

Se a equipa está mais equilibrada com menos opções, a responsabilidade é de Jesus. Mas então, quem era o treinador nas épocas passadas?

"E ainda são contra o homem..."

Isto dava outro post. Os factos dizem-me que JJ com os MAIORES orçamentos da história do Clube, venceu um campeonato em três anos.

Pior, num deles, ficou a 20 pontos do primeiro lugar. E num outro perdeu 5 pontos de vantagem para acabar a não sei quantos.

Além disso, mostrou quase sempre uma arrogância absurda e uma teimosia doentia.

Só teria a ganhar se fosse mais moderado.

luis disse...

Mas brevemente sai um post sobre Jesus (já o fiz no passado).

J. disse...

No ano de AVB não havia nada a fazer...ainda que vos custe muito admitir isso e andem a "denegrir" o homem.
No ano passado sim, foi estupidez e arrogância. Mas este ano, tirando talvez o jogo de Moscovo, que dizer???
E sem Luisão, Javi e Witsel. Acho que nem Jardel, Matic ou Enzo conseguem ter metade da qualidade dos 3 primeiros.

luis disse...

São opiniões claro.

Witsel emprestava menos ao futebol do SLB do que Enzo, parece-me evidente. Se por culpa de JJ, não sei.

Javi e Matic, bom, aqui podemos analisar a coisa de ângulos diferentes mas, no fim, a coisa fica ela por ela.

Javi era um jogador de raça, de força, que dava tudo. Mas tecnicamente era muito mais fraco do que Matic, por exemplo.

Matic não é bem um trinco mas faz o que Javi nem em sonhos faria.

Luisão é melhor do que Jardel, evidentemente, mas foi essa perda que permitiu que muita gente olhasse finalmente para o melhor central que ali anda: Garay.

Pedro disse...

Era só ter ganho a supertaça e queria ver o que seria de Villas Boas...

Acho piada a essa do não havia nada a fazer. Que os portistas vendam isso percebe-se...já os sportinguistas o terem comprado, mais estranho.

Antonio Silva disse...

É, o Porto não demonstrou ser MUITO superior ao Benfica no ano do AVB...

Marco Morais disse...

"Era só ter ganho a supertaça..."

Viste o jogo? Achas toda aquela diferença, em todos os confrontos directos (até no 0-2), um 'só'?

Quase a mesma que havia entre o Porto de Jesualdo e o primeiro Benfica de Jesus. Custa assim tanto admitir?

Mais fácil era dizer que era 'só' o Benfica perder o último jogo do campeonato em 09/10 e o que seria feito do Jesus, e do LFV. E de ti provavelmente ;)

Não acho justo! não acho!

mago disse...

O AVB conseguiu ser o primeiro a perder em casa com o Benfica desde o Co, mas parece que toda a gente se esqueceu disso.

Just saying.

Antonio Silva disse...

E? Nem sequer perdeu a eliminatória em disputa.

Pedro disse...

Marco, estás a ser resultadista o que é normal na maioria dos adeptos.

Provavelmente não te lembras mas a pré época das duas equipas foi completamente diferente. O SLB estava a conseguir colmatar, muito bem, a ausência de Ramires numa táctica que assentava num 433 onde estavamos a jogar à brava como exemplo a segunda parte estonteante contra o Arsenal na Luz. Pelo contrário, o fcp, tinha tido uma pré época aos percalços, onde Villas Boas queixava-se forte e feio das arbitragens (um torneio em França se bem me recordo) e a contestação começava a aparecer (a tal inexperiência do treinador). Chega-se à Supertaça e a moral das equipas era totalmente oposta. o SLB em alta e o fcp em baixa. O que é que Jesus faz? Muda toda a táctica que tão bom resultado tinha dado na pré temporada, aplica o famoso 4132 que desiquilibra o meio campo e perde o jogo. Ou seja ao invês de dar a machadada ao rival logo no início da temporada Jorge Jesus no alto da sua sapiência resolve lhes dar um ânimo brutal e deitar a sua equipa logo abaixo. Era ganhar aquele jogo e o fcp teria um início de época muito complicado que, aposto, lhe tiraria qqr possibilidade de discutir o título.

Olhar agora e dizer que Villas Boas ganhou isto e ganhou aquilo é demasiado básico para quem quer discutir bola a sério.

Antonio Silva disse...

Pedro, és tão ingénuo...

Tasqueiro Emigrante disse...

Que novidade António...LOL