segunda-feira, novembro 26

Os terramotos são casuais e não intencionais

O que se aqui vai passar, caros amigos, não é uma discussão clubística e não vai ter reféns porque não é um assalto.

A minha única preocupação no exemplo que vou dar é a crosta terrestre. Isto porque desconfio que tanta mudança de opinião faça oscilar a mesma e cause várias catástrofes naturais.

Ontem, em Braga, há um penálti (claro), não assinalado, que seria a favor do SC Braga. Segundo o critério que sempre defendi - o braço como extensão do corpo não pode interferir com a bola - Carlos Xistra deveria ter assinalado o 'castigo máximo'. O covilhanense não entendeu assim e, hoje, segunda-feira, deparo-me com uma falange de apoio enorme em relação ao 'meu' critério.

Saúdo a mudança de opinião e de consciência e só tenho pena de as mesmas não terem acontecido mais cedo. Podia ter-se evitado uma discussão morosa, aquando do lance que apresento 'em cima'.

Espero que a partir de agora pensem na crosta terrestre quando emitirem ou mudarem de opinião. É que depois de tanto ouvir 'casual' e 'não intencional' nunca esperei a tal falange de apoio ao critério que sempre defendi. Muito obrigado por isso e espero que não se esqueçam de mudar a camisola quando mais vos convier.

P.S. Obrigado, Carlos, pela foto.

22 comentários:

LDP disse...

Marco, eu traria ainda um outro exemplo á baila:

O golo anulado ao braga aqui há uns dias. Consta que a explicação para a decisão do árbitro foi que Schaars foi empurrado por trás perdendo equilibrio, assim como a melhor maneira de se fazer ao lance.

Por isso diz-me tu se nesse "penalty" (como muitos gostam de chamar) do Cardozo, o Witsel não empurra o paraguaio no ar fazendo com que este nem saiba onde está tanto ele como a bola. Lembro-me até de uma imagem em que se vê o Tacuara de olhos fechados e, posteriormente ao contacto com a bola, á procura desta.

Foi isto penalty?

Se um jogador em acção defensiva é empurrado e não consegue disputar um lance, obrigando o árbitro a anular o que daí advém. Também não será de considerar que um outro jogador em acção defensiva, e sempre pela perda de equilibrio, não tenha cometido "este" penalty?

Pedro disse...

Caríssimo Marco, já que lançaste um post com este lance desafio-te a fazeres um sobre a forma como o Lucho recupera a bola no lance do vosso primeiro golo no mesmo jogo.

Espero sentado, claro.

Estavas a ir tão bem...

Marco Morais disse...

Esse é o mesmo argumento dos que dizem que não dá para disputar o lance de outra maneira que não a do Alex Sandro.

Ou seja, se quiseres disputar a bola terás de fazê-lo da mesma maneira.

Ali, ainda para mais, é um colega que o 'prejudica'.

Repara que eu com isto preferia que se arranjasse um critério universal e que os árbitros o cumprissem. Podia ser o que defendo, podia ser outro, mas a partir daí é penálti o que é e pronto! Agora assim, parece a Lei portuguesa. Podemos aqui discutir a noite toda.

Para mim, este como o do Alex Sandro são penáltis. Obviamente não são lances iguais, mas têm igual dose de casualidade e não intencionalidade.

Marco Morais disse...

Pedro, qual jogo? Qual lance? Se for fácil de encontrar, faço sem problema nenhum. Só esperas sentado se eu não vir o lance. Já que lanças o desafio, podias ser um fixe e arranjar o lance para aqui.


Continuo a ir bem, obrigado =)

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

não vale a pena bater no ceguinho, lampiões são como os burros que só veem numa direção...mais vale esquecer e ignorar...

Jorge Borges disse...

sem querer estabelecer comparações, porque não posso pois não vi o lance do Braga-Porto, reitero a minha opinião:
Não pode ser penalti todo que é bola na mão. Há lances e lances.
Saltar em cima da linha de golo com os braços abertos é necessariamente diferente de saltar na disputa de uma bola de cabeça, onde se usam os braços para a impulsão. E não pode ter a mesma valoração. Assim como fazer um carrinho e levar uma mão ao solo e o avançado aproveitar para fazer passar a bola por baixo do defesa e a bola bater na mão deste.
Há situações em que a intenção de jogar a bola com a mão é clara e noutras que o contacto é fortuito.
E há depois os lances em que a bola, se não batesse na mão entrava de certeza. Esses para mim são penalti, independentemente do que quer que seja.
Cada situação tem que ter a sua avaliação. O árbitro é juiz e tem que avaliar, é para isso que lá está.
O critério tem que ser sempre o mesmo, e principalmente o mesmo árbitro deve ter o mesmo critério. A porca torce o rabo quando o critério muda em razão da cor da camisola. E é por isso que se geram as discussões. SE a nós, adeptos é permitido, aos árbitros não!
Se é permitida a anlogia: Um homicídio. O facto é sempre o mesmo: a morte! Mas há muitos tipos de homicídio em função da culpa, da actuação e de outros factores, que determinam a pena a aplicar. Não se faz de régua e esquadro.
Continuo a achar que o critério dos árbitros é que não é uniforme, e parece que ninguém se preocupa em saber porque é que o mesmo árbitro no jogo X age de uma maneira e no jogo Y perante uma situação similar age de maneira oposta.
E ter árbitros "cadastrados" como o Benfica teve no fim-de-semana não ajuda a credibilizar a imagem dos mesmos. Aquele Rui Sulva nunca mais devia pegar num apito depois da condenação!

Outra coisa que constato, e a carapuça não é para ti, Marco, é que só os adeptos do FCP é que defendem os árbitros, e defendem hoje porque ganham, da mesma forma como atacaram no passado quando tiveram travessias no deserto. Assim como os do Benfica e Sporting defenderam os árbitros no passado e agora os atacam.

a uma conclusãop eu chego: quando se ganha os árbitros são os maiores, quando se perde não valem nada.
A minha opinião: os árbitros são fracos e cedem ás pressões, sempre cederam. Os que não cedem, não chegam "lá".
Como é que é possível termos um Pedro Proença excelente na Europa e medíocre em Portugal? Haja quem explique.
E com isto desviei-me da substância do post.

Marco Morais disse...

Bom comentário, Jorge.

Como sabes, não defendo o critério por uma questão de conveniência. Vejo é poucos lances onde uma bola na mão não é penálti. Isto claro no meu entender, onde os braços como a tal extensão do corpo impedem a linha natural da bola.

Para mim Alex Sandro pode tentar disputar aquela bola de maneira diferente. Assim como o Cardozo que beneficiou de uma azelhice, dele e dos colegas, para depois ter a bola bem a mercê e aliviar o perigo da área. Penálti claro, para mim.

E este 'para mim', ou 'para nós', não faz diferença. Nós como adeptos podemos estrabuchar e até ser tendenciosos. Eles não.

O que eu ainda não achei, mas posso estar enganado, é um penálti que o Xistra tenha marcado com a tal bola na mão. Conheço a peça, daqui da Covilhã e já me apitou jogos de miúdos, mas nunca vi um penálti marcado por ele nessas condições.

Se assim é, manteve o critério de sempre e está de parabéns.

Pedro disse...

Para o Borges.

Nenhum adepto do Porto "protege" árbitros. Porra, fomos um dos primeiros clubes, a ter uma matilha de jogadores a correr atrás dum árbitro;)

Continuando.

Para ti Marco.

FODA-SE. Finalmente. Finalmente largas o bastão do eremita e escreves um post a defender (muito) bem o teu clube! Desmontaste em 5 parágrafos, 6 milhões de opinion makers sem coluna vertebral e com um jogo de rins melhor que o do CR7.

Continua assim e ainda acredito que este blog é plural e não "uni-benfica-ó-celular".

P.S. Já li e reli várias vezes o comentário do Josué/Puke/LDP. Única conclusão? É o Sílvio Cervan camuflado na net.

Tasqueiro Emigrante disse...

MEUS CAROS

Não é preciso procurar mais...

Xistra é mesmo muito fraco:


http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=QK3nfTOok2k

luis disse...

Marco, editei o post porque estava esquisito :)

Quanto ao post: o lance do Cardozo não é comparável.

As faltas por mão devem ser marcadas apenas se houver intenção, se for um gesto deliberado.

Obviamente que isto torna os lances, por vezes, difíceis de ajuizar.

Mas centremo-nos apenas nestes dois.

O do Cardozo não há intenção alguma e isso é óbvio em todo o comportamento corporal do paraguaio, que em momento algum se mexe com a intenção de dominar ou cortar a bola. Ele claramente nem sequer se apercebe que a bola anda por ali.

O lance do FCP é completamente diferente. Se jogas futebol sabes que naquele momento o defesa interpretou o lance com clareza. Estica o braço para diminuir a possibilidade de a bola passar (já li algures que quer proteger a cara mas vamos tentar ter alguma decência) pois sabe que o atacante vai centrar. A bola não bateu no braço sem querer. Bateu porque o braço está colocado numa posição com o intuito de fazer o que fez: cortar o lance (não o conseguia fazer com outra parte do corpo).

Enfim, o maior problema diste lance, para mim, é só um: Xistra. Em Coimbra assaltou o Benfica e ficou com dois pontos no bolso. Dois lances muito duvidosos, sempre peremptório a assinalar penáltis. Ontem, num claro claro, nada.

Mas há muita gente que gosta do Xistra e que não entende que esse é que é o problema. E quem diz Xistra diz Rui Silva, seja quem forem os beneficiados.

Grande abraço! quando é que cá vens?

Tasqueiro Emigrante disse...

luis,

editar posts de outros?

a censura já chega aos do próprio blog?

quanto ao teu comentário...o Cardozo não se compara porque não tinha intenção? e o Alex Sandro já teve?

antes de te enterrares mais era melhor pensares no que escreves!

Pedro disse...

Caro Marco, chegaste à blogoesfera "recentemente". Sou dos gajos que mais defende este tipo de lance como falta. A questão é simples: se aumenta a área de acção do corpo é falta. A intenção apenas conta para punição disciplinar. E com a enorme vantagem de ser sempre coerente.

http://youtu.be/mFHLGhQutHE
É logo o primeiro lance em "análise".

luis disse...

Epá, alguém me pode ajudar com o Tasqueiro? Eu já não aguento tamanha palermice. Foda-se, ninguém pode ser assim tão débil. Não pode, porra.

Expliquem-lhe que quando escrevi "editei o teu post" me referia ao tamanho da letra que estava muito pequena. E se puderem, mandem-no pra puta que o pariu porque eu já não tenho forças. Venceu-me.

Marco Morais disse...

Hey Pedro =)

Provavelmente há mais posts nesse sentido. O que te pode confundir é que normalmente não os faço para defender Porto ou Benfica ou nenhum clube. Faço-os para defender a minha ideia de futebol e essa às vezes não está de acordo com os outros adeptos do meu clube.

Sou portista e nunca o negarei mas não tenho problema em criticar o clube quando acho que o devo fazer. E isso às vezes pode confundir-se com uma colagem a algum clube adversário, mas é puramente no sentido de querer mais e melhor para o FC Porto.

Olá, Luís =)

Eu reparei que o post estava com uma configuração esquisita mas não consegui alterar a fonte. Acho que era o tamanho. Fizeste bem!

Na discussão do lance com o Cardozo ficou-me clara a ideia de que as palavras 'casual' e 'intencional' foram ditas muitas vezes. Foi uma discussão com muita gente e não me lembro se estavas envolvido, mas eu utilizei como argumento uma clara azelhice na recepção do Cardozo. Tanta que ele nem sabia onde andava a bola. São 3 ao molho e o resultado é um penálti claro que fica por assinalar. Isto porque a defesa do Benfica fica com a bola à mercê e depois foi só afastar...

Assim como no Alex Sandro não vejo intencionalidade nenhuma. Foi o movimento que ele aprendeu embora seja, na minha opinião, ilegal. Foi inconsciente mas ilegal, digamos assim.

Mais uma vez apelo a que se veja o histórico do Xistra neste tipo de lances. Parece-me que este é o critério tipo dele. Mas posso estar enganado. Sei que há muitos vídeos que desconheço e gostava de ver uma situação em que o Xistra apitou mão, para tirar esta dúvida.

Agora tá difícil ir aí, mas assim que tiver uma oportunidade eu apito para irmos para a noitada. Depois combinamos com o pessoal todo! Grande abraço!

luis disse...

Fico à espera.

A Lei fala em movimento deliberado. Não tem nada a ver com ficar com a bola na sua posse ou não. Nada, mesmo. Apenas interessa se houve um gesto deliberado ou não.

No fim acho que nenhum de nós gosta de vencer jogos com lances destes e isso ainda é o que mais interessa.

Porta-te e continua a defender o futebol, como sempre.

Marco Morais disse...

Tasqueiro, esse é também um vídeo interessante e que demonstra que o árbitro é, acima de tudo, incompetente.

Deste não se falou, como de outros não se fala, porque o Porto ganhou. Tanta e tanta vez que o Porto é prejudicado e ganha na mesma. Obviamente os erros depois da vitória não interessam.

Agora repara. Fala-se no golo ilegal do Maicon, mas não se fala no segundo golo do Benfica. Eu acho que há clara desigualdade de tratamento, sendo que Pinto da Costa fez por merecê-la.

Pedro disse...

Caro Marco,

Obrigado pelas tuas palavras. Não coloco em causa o teu portismo, mas quem lê este blog, compreende claramente, que existem aqui duas individualidades que se sobrepõem aos restantes elementos, tomando variadas vezes as dores do seu clube e também as de outros.

Adiante.

Tens este exemplo de Xistra

http://www.youtube.com/watch?v=qIy-X7M4i8s

Futebol é uma coisa muito complicada de falar, principalmente quando se fala dos outros.

Abraço

Marco Morais disse...

É o que tento fazer, Luís. Às vezes não consigo como gostava pois não tenho o desapego necessário.

Aqui é difícil traçar a linha entre o que é uma discussão FCP-SLB e uma discussão de critérios.

Há muitos lances entre os dois clubes e há muitas palavras. 'Casualidade', 'intencionalidade', 'deliberado'. Acho muito difícil medi-las em fracções de segundo.

A nível de FCP e SLB acho que há uma desigualdade de tratamento e há também muito interesse em fazer-se dos árbitros os protagonistas. Hoje, notei-o ainda mais e decidi 'agir em conformidade'.

Um abraço!

Marco Morais disse...

E como sabes, por mim o critério até podia ser um qualquer. Como nós compramos os árbitros, estamos à vontade com qualquer um ;)

Ontem a desvantagem, forçava o Porto a marcar dois golos. Para mim seria assim, para Xistra não foi.

Mais uma vez apelo. Vídeos do Xistra que confirmem o critério dele nestes lances.

Marco Morais disse...

Obrigado, Pedro =)

Que ele marca penálties que ninguém vê e que deixa os que toda a gente vê por marcar eu já sabia. Conheço 'bem' a peça.

Há bem pouco tempo chega ele e estou eu e dois amigos, um benfiquista e outro sportinguista, e todos nós estávamos de acordo e com 'razões de queixa'. Ninguém ficou indiferente à sua chegada, digamos.

Mas eu queria mesmo era vídeos com o critério dele em lances de mão na bola/bola na mão. É que tenho quase a certeza que ele não marca nada disso. Mas, como já disse, posso estar enganado...

Tasqueiro Emigrante disse...

O mais curioso é estarem a fazer futurologia ao dizer que o Porto ganhou porque não marcaram um penalti a favor do Braga aos 30 minutos que seria concretizado.

Se formos pela mesma linha de pensamento ao fazer futorolgia esse penalti sendo marcado não afectaria o vencedor pois o resultado ficava em 1-2.

O Anti Lampião disse...


Há mais imagens em relação a esse jogo:
http://oantilampiao.blogspot.pt/2012/03/proenca-perdoa-livre-perigoso.html

Março de 2012: http://oantilampiao.blogspot.pt/2012_03_01_archive.html

Espero que tenham activado a recepção de comentários posteriores pois os nossos comentários são sempre eliminados.