sexta-feira, novembro 30

Jesus e o Benfica.

--> Para contextualizar minimamente o assunto, escrevi isto sobre Jesus, no final da época passada: "Sou contra a continuidade de Jesus. Errou em demasia e continuo a pensar que alguns desses erros foram tudo menos inocentes. A insistência em Emerson, a constante fragilidade com que montava o meio-campo, a ostracização de Saviola e Cap, a aposta inócua em Aimar como segundo ponta-de-lança, a má gestão de alguns jogadores, o discurso do “plantel mais equilibrado” e do “estamos muito fortes”, o abraço a Pinto da Costa, a falta de humildade, o Roberto, o David Luiz a lateral esquerdo em jogos importantes, a soberba, o desplante, a apatia nas derrotas, contrabalançada com a excitação das vitórias. Não posso com a figura já."

E conforme prometido num post anterior aqui fica a minha opinião sobre o trabalho de Jesus, relativamente a esta época:

O homem que perdeu "metade" do plantel
Os defensores acérrimos de Jesus utilizam muito este argumento falacioso. Partindo do princípio que num Clube como o Benfica, ou se é campeão, ou não se é campeão, não entendo como é que Javi e Witsel se encaixam no segundo lugar da época passada. 

Jesus tem tido, enquanto treinador, passadeira vermelha para tomar todas as decisões que quis, sem nunca lhe terem sido prestadas grandes contas. Terá sido o próprio treinador a não querer reforços para substituir o espanhol e o belga. Jesus tem tido nas mãos, importa frisar, os melhores e mais caros plantéis de toda a história do Clube. Não é propriamente a mesma coisa que o Paulo Sérgio chegar ao SCP com uns tostões para gastar.

Mas há que dar-lhe o mérito por ter conseguido equilibrar a equipa com Matic e Enzo (recuperado para o Clube como grande investimento que foi) no meio-campo. Até ver, Witsel e Javi não fazem falta nenhuma (a equipa não perdeu nada futebolisticamente, e os objectivos são os mesmos).

Manter a bitola
Jesus tem esta época uma tendência parecida com a época passada. Segue na frente do campeonato, a Taça de Portugal tem sido bem gerida e parece que há interesse real em conquistá-la, e a LC é, à última jornada da fase de grupos, uma possibilidade.

Na Europa a equipa mostrou mais uma vez uma incapacidade de marcar uma posição condizente com o espalhafato que as declarações de Jesus, normalmente, produzem. Contudo, na época passada, era uma obrigação passar o grupo com o Basel e aquela equipa de mancos da qual ninguém se lembra do nome. E o MU não é o Barcelona. Este ano, o grupo é bem mais equilibrado.

Jesus gosta de falar na ida aos quartos mas a verdade é que falhou rotundamente há duas épocas em que fez uma participação horrorosa, e mesmo no ano passado a equipa só conseguiu algum brilhantismo na vitória sobre o Zenit (equipa muito longe do topo europeu) e na eliminatória frente ao Chelsea (apesar do resultado negativo).

Por isso, uma eventual ida para a LE deste ano é, no fundo, aquilo que Jesus tem para dar. Isto porque a equipa não tem mostrado força mental suficiente para andar lado a lado com os maiores clubes da Europa. Desde a sua primeira época, Jesus tem mostrado pouca capacidade nos jogos a doer (1ª época: derrota em Braga, empate em Alvalade num jogo onde não se quis mais, 3-1 contra o FCP quando bastava um empate para ser campeão, derrota copiosa em Anfield Road; 2ª época, sem comentários; 3ª época, falhou contra o Chelsea, contra o FCP, SCP, e até em Olhão; 4ª época, empate contra o Braga e derrota contra o Spartak) e a equipa não deu esse salto.

Coisas boas
São várias e não me vou alongar muito neste aspecto porque são situações já muito debatidas: a gestão de Ola John, a inclusão de jovens portugueses sem decair a produção global da equipa, adaptação de Melga, gestão da ausência de Luisão, recuperação de Enzo, utilização de Lima e melhoria no futebol praticado (pelo menos nos últimos jogos).

Coisas menos boas
A incapacidade de definir Gaitán. A utilização indefinida de César (ora na linha, ora no meio), o desprezo por aquele que é o nosso melhor extremo, Nolito, (Sálvio é outra coisa), e o discurso incoerente que tantas vezes prejudica o Clube.

Para rematar, continuo sem acreditar em Jesus. Pode ter as mais inovadoras tácticas e os métodos mais futuristas mas, no final, falta-lhe qualquer coisa que ampare tanta arrogância e convencimento. E eu até sei o que é: títulos.

Tenho a certeza, ou pelo menos a convicção, que Jesus perde bastante (e por arrasto, o Clube) em ser pouco equilibrado, dentro do campo, e fora dele. É claramente alguém que não tem grandes filtros e, muito menos, capacidade para gerir um plantel de egos.

Eu dava-lhe quatro milhões, uma coleira e um açaime. E mesmo assim...

19 comentários:

Pedro disse...

Concordo com practicamente tudo o que escreves.

Reforço:
"Desde a sua primeira época, Jesus tem mostrado pouca capacidade nos jogos a doer"
"Jesus tem tido, enquanto treinador, passadeira vermelha para tomar todas as decisões que quis, sem nunca lhe terem sido prestadas grandes contas."

Já em relação a "Terá sido o próprio treinador a não querer reforços para substituir o espanhol e o belga." não estou de acordo.

Não sei se Jesus quis ou não quis reforços. Apenas sabemos que PUBLICAMENTE disse que não precisava. E isso é o que ele tinha q dizer passando um voto de confiaça público ao plantel. Internamente pode ter pedido reforços e não lhos deram. Publicamente disse o q tinha a dizer.

Mike Portugal disse...

Acho que da tua lista toda não lhe podes imputar responsabilidades de "definir Gaitan" quando é o próprio jogador que não quer e não mostra vontade em ser profissional.

luis disse...

Mike, aceito, mas então enconstava-o a sério. Que mensagem passa JJ ao resto do plantel quando coloca a jogar um "jogador que não quer e não mostra vontade em ser profissional."?

Mike Portugal disse...

Acredito que seja para que ele não desvalorize muito e possa ser vendido ainda por um bom valor.

luis disse...

Mas se o põe a jogar para mostrar que é um "jogador que não quer e não mostra vontade em ser profissional.", achas que isso não o desvaloriza imenso? :D

Mike Portugal disse...

Ele não o põe a jogar para mostrar isso. Ele põe-no a jogar para ver se ele não desvaloriza tanto. Simplesmente não é titular e não consegue que ele suba de nível porque ele é um "jogador que não quer e não mostra vontade em ser profissional."

Pulha Garcia disse...

Discordo, Luís. Acho até que quem critica Jesus sem lhe ver os pontos fortes (muito mais extensos do que os que apontas) não percebe bem o que está aqui em causa. Desde logo os projectos desportivos só devem ser avaliados a médio longo prazo ... O Porto também não começou por ganhar pentas, nem o Man Utd, nem o Barça. Há um trabalho que vem detrás e que tem que ser melhorado e continuado.

Jesus tem muitas falhas (orgulhoso e teimoso, sobretudo) mas é o melhor treinador desde Trap (mas com um jogo atacante muito mais atractivo). A avaliação a Jesus que fazes parece-me mais emocional que objectiva. Não gostas da pessoa, ponto. Tal como muitos Benfiquistas e tal como todos os anti-benfiquistas (a quem aliás prestas um belo serviço).

Na tua análise faltam alguns pontos a considerar como: Jesus para ganhar mais títulos tem que ultrapassar um clube habituado a ganhar nos últimos 30 anos e que conta com toda uma teia de corrupção (ultrapassar isso não se consegue num dia ou dois); por outro lado, se Jesus saísse haveria alguém melhor para o lugar dele? (não se afigura nada fácil, conhecedor do campeonato Português, futebol de ataque, estabilidade no clube, etc e já agora quereremos mesmo Jesus no Porto? ou no Sporting?) ... é que não queremos fazer figuras de Sporting, sempre desejosos de mudar mas acabam quase sempre a mudar para pior ...; além disso há que relevar a vertente financeira (quanto dinheiro entrou no clube por causa de Jesus? Desde os jogadores que valorizou aos bilhetes no estádio); por último, há que valorizar que Jesus tem uma estrutura de futebol fraca à sua volta (falta-nos por exemplo um Mozer e um Álvaro para acompanharem os jogadores e serem exigentes com eles ... em vez disso temos um Carraça e um Shéu que juntos parecem saídos de um Nobel da Paz) ... que culpa tem Jesus da estrutura de futebol ser tão fraca? Porque é que tem que ser ele apenas a dar a cara nas derrotas e a esbracejar na linha quando os jogadores não rendem? Custa ser só ele a fazer de mauzão ...

Até posso admitir que Jesus saia este ano se não for campeão, desde que haja alguém melhor para o lugar dele (que não estou a ver quem, a esta distância ... a última vez que Vieira escolheu um treinador Português saiu o Fernando Santos, que com Miccoli, Simão, Petit e Luisão conseguiu acabar em terceiro). Tal como está, prefiro que fique Jesus e até por muitos anos. E por último, neste momento da época só nos compete apoiar, unir, ir aos jogos, acreditar. O Porto é favorito? Claro que sim, mas sem arbitragens viciadas tinha perdido o ano passado, porque não podemos acreditar nós que chegamos lá? Nós somos o maior clube Português, com mais títulos de campeão nacional, mais adeptos, etc. Só nos compete acreditar.

Pedro disse...

Pulha, tudo certo mas responde-me, se quiseres, no que é que a corrupção que todos conhecemos teve influência em:

- No jogo da Supertaça contra fcp de Villas Boas alterar a táctica que tão bem tinha funcionado na pré época?

- Igual ao que fez a Carlos Martins esta época, q foi o melhor da pré temporada e depois banco nos jogos a sério.

- Colocar David Luiz a lateral esquerdo e Coentrão a médio ofensivo no Dragão tudo por causa de Hulk? Relembro q ele disse q Coentrão era o melhor lateral da Europa. Mudar uma táctica por causa de um jogador?

- Elogiar jogadores adversários e desprezar as boas exibições dos seus apenas abrindo excepção para se vangloriar do seu, Jesus, papel nessa boa exibição.

- Estar a ganhar ao fcp, no jogo do título, e meter mais um avançado descurando o meio campo q o fcp logo aproveitou.

- Perder as meias finais da Taça de Portugal na Luz não esboçando qqr reacção no inicio da segunda parte quando o fcp veio para cima do Glorioso e deu a volta à eliminatória.

- Fazer, nesse jogo, uma subs aos 88 minutos. Coisa q tem repetindo em vários jogos.

- Não vence um jogo decisivo.

- Critica (e muitos benfiquistas tb) Quique Flores e depois mete David Luiz a lateral e Aimar a segundo avançado como Quique fazia.

Por agora é só.

Sim perdemos pq somos roubados. Perdemos pq oferecem pontos aos outros. Indiscutível. Mas não ver os erros estrondosos de Jesus é ajudar a q nos derrubem.

Pulha Garcia disse...

Pedro,

compreendo o teu comentário e como benfiquista, cativo, sócio de 25 anos (e só tenho 34), alguém que vê todos os jogos na Luz e vários jogos fora todos os anos, etc (mas não mais benfiquista do que muitos por aqui, eu sei) até me dói a alma com alguns desses erros de Jesus. A questão é: eu alguma vez disse que o Jesus não cometia erros ou que os erros se deviam apenas à corrupção azul e branca? É que a esses erros que apontas - com os quais concordo quase todos - poderia inclusivamente acrescentar muitos outros: Emerson, Peixoto, fraca rentabilização de Rodrigo Mora, Kardec, etc.

Só que:

1) Então e as coisas certas? O futebol de ataque (dois avançados, laterais subidos, apenas um trinco, etc), a valorização de jogadores, escolher jogadores de alto rendimento como Javi, Witsel, etc? Jogar futebol de ataque, o tal que permite pagar (quer por vendas de jogadores, quer por receitas de bilheteira, publicitárias, etc) as nossas contas em vez de andarmos a fazer figuras de Sporting a vender Joões Pereiras antes do Europeu em preços de saldo e andar à procura de investidores que nunca aparecem. É que a falência de clubes é um cenário real e o Benfica tem que ter a parte financeira salvaguardada. Antes de tudo o resto. Essa parte compete a Vieira mas um treinador como Jesus é decisivo.

2) Então e os outros treinadores não erram? Não só os antecessores de Jesus como os outros treinadores de topo? Guardiola não podia ter feito melhor tacticamente no jogo com o Real em Camp Nou o ano passado? O Mourinho este ano não devia ter ido buscar um ponta-de-lança de classe mundial em vez de manter o Benzema e o Higuain? (o Real se tivesse o Falcão lá à frente tinha o campeonato hipotecado em Dezembro? Duvido) O Wenger não devia apostar mais no trabalho defensivo e na contratação de mais qualidade para o sector recuado? Não é preciso falar no Bítor Pereira na Taça em Braga ou no Sá Pintas na preparação desta época leonina, pois não? ...

3) Onde estávamos nós antes de Jesus? É que se querem avaliar o trabalho de Jesus comecemos por admitir que o Benfica estava e tem estado muito longe de ganhar campeonatos todos os anos. É verdade que o investimento na equipa tem aumentado mas rotinas de vitória demoram anos a ser consolidadas. Quem vos ouvir/ler até fica com a ideia de que costumamos ganhar muitos títulos todos os anos e que o Jesus é que veio emperrar as conquistas ...

Pulha Garcia disse...

4) Sair Jesus para entrar quem? Mudar para pior assim como Lagartos Vintage desde o futebol do Peseiro? É que sair Jesus pode ser voltar à estaca zero. Não esquecer que para além de treinador de ataque que valoriza jogadores, Jesus conhece muito bem o campeonato Português (incluindo aqueles campos manhosos como Mata Real, Moreira de Cónegos, etc, onde tantas vezes se perdem épocas). Um treinador estrangeiro terá dificuldade em se adaptar ao nosso jogo e ao nosso campeonato e quanto a treinadores Portugueses vejo poucas alternativas ... talvez os que tanto criticam Jesus também devessem sugerir quem é que estavam a pensar ir buscar como treinador ... Um Cajuda? Um Manuel José? Um Norton de Matos? Um Domingos? Talvez qualquer um destes possa funcionar bem mas como está eu prefiro o Jesus... Não esquecer que o Benfica é um clube muito instável de governar, onde todos exigem o máximo ao treinador e que no caso do Jesus há pelo menos uma coisa inquestionável a referir: Já foi campeão ao serviço do clube. Quantas das alternativas podem dizer o mesmo? Ou sequer, campeões em Portugal?

5) Jesus não tem direito a errar? Não pode evoluir? Jesus nunca esteve num grande antes, foi campeão no primeiro ano, no segundo arrancou pessimamente (muito por culpa de erros na baliza e falta de concentração defensiva nos primeiros jogos), e no terceiro só não foi campeão porque fomos muito roubados. Mas será que não tem direito a ter tempo para melhorar? É que apesar de teimoso tenho-o visto corrigir alguma das suas próprias falhas - rodar mais a equipa, fazer um pouco melhor posse de bola (em vez de passarmos de períodos de domínio completo para períodos em que defendemos em cima da baliza...), consentimos menos golos, temos um jogo menos veloz mas mais posicional o que parece estar a facilitar o controlo de jogo (numa altura em que as ausências na equipa têm sido monstruosas).

Em resumo, e porque havia mais argumentos a explorar: não somos favoritos ao campeonato nacional mas apoio o meu treinador, e as suas escolhas (quantos não começaram por duvidar de Coentrão, Matic, etc?) ainda para mais nesta altura da temporada. Acredito que temos uma hipótese real mas se não formos campeões nacionais, logo se vê as opções (pode acontecer o próprio Jesus não querer renovar, o que é válido mesmo que fosse efectivamente campeão). Os projectos desportivos devem ser avaliados a médio longo prazo... Por mim, com estes dados em cima da mesa, Jesus fica e por muitos anos. Até porque o combate aos poderes instalados não se ganha num dia.

O tema é contudo complexo e somos milhões de adeptos que tropeçam entre si na vontade de fazer o melhor pelo clube ...

Abraços a todos, saudações de glória

Pedro disse...

Pulha,

1) Isso dos dois avançados é algo que critico em JJ pq nos tem custado muitos pontos o facto do meio campo ficar com pouca gente e dessa forma ficar vulnerável. Qt ao resto, todos os jogadores q ele "tem" valorizado já eram excelentes jogadores. Dou-lhe crédito por Coentrão.

2) A questão é que os outros ganham. Se Jesus ganhasse os seus "erros" seriam aceitáveis. Ninguem é perfeito. Agora quando os erros o impedem de ganhar...

3) Estavamos onde estamos hoje. Atrás dos outros. O contexto mudou e muito e isso não se deveu a Jesus. Ele teve a "sorte" de entrar no SLB num período de fulgor financeiro q permitiu excelentes aquisições. Antes dele tivemos Santos q ficou em terceiro, verdade, mas a chegar à ultima jornada com possibilidades de ser campeão e tivemos Quique q só não foi campeão pq tb foi roubado. Camacho não conta.

4) Se JJ sair acaba o Benfica? Parece q sim...parece q se Vieira sair acaba o Benfica. Parece q se Jesus sair acaba o Benfica. Estamos a falar de alguém q apenas ganhou um título. Como ele há vários.

5) Pode e deve evoluir. Pulha, o meu grande problema com JJ é exactamente esse. Não ver qqr evolução. Não ver qqr aprendizagem. Sempre os mesmos defeitos, teimosias e erros.

zorg disse...

"(...) Quique q só não foi campeão pq tb foi roubado."

Esta afirmação é interessante. Não se aplica ao Jesus também?


Pulha Garcia disse...

Pedro,

discordo de todos os teus pontos (e até acho que evitaste habilmente algumas questões importantes ... "Qt ao resto, todos os jogadores q ele "tem" valorizado já eram excelentes jogadores. Dou-lhe crédito por Coentrão." desculpa lá mas pareceu-me um bocado fuga para a frente ... ou simplesmente odiar Jesus, abdicando de ver a realidade) mas respeito muito o teu Benfiquismo e o de todos os Benfiquistas. Sou apenas mais um benfiquista, o meu objectivo final é o mesmo que o de todos: ver o Benfica ganhar jogos e títulos jogando bem. Na linha do Águas, Coluna, Cávem, Bento, Magnusson, Valdo ...

Saudações de glória

Pedro disse...

"Não se aplica ao Jesus também?"

Claro que se aplica e tu sabes bem o quão me bato contra as arbitragens nefastas que somos alvo. A diferença é que mesmo com esses roubos se JJ não tem cometido os erros q cometeu seria campeão à mesma.

" desculpa lá mas pareceu-me um bocado fuga para a frente "

Não sei pq. David Luiz e Di Maria já cá estavam quando JJ chegou e já todos nós sabíamos que eram fabulosos jogadores. Ramires idem. Witsel idem. Coentrão era um puto com enorme potencial mas q estava perdido e foi JJ q o fez recuar para lateral e o transformou num dos melhores laterais da Europa. Dou-lhe crédito por isso.

JJ fez Coentrão. Não fez nenhum dos outros.

Eu critico JJ pelos erros que comete. Não belisco por um segundo o teu benfiquismo. :)

zorg disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zorg disse...

"Claro que se aplica e tu sabes bem o quão me bato contra as arbitragens nefastas que somos alvo. A diferença é que mesmo com esses roubos se JJ não tem cometido os erros q cometeu seria campeão à mesma."

E o Quique não cometeu erros e o seu insucesso é completamente devido às arbitragens, é isso?

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

O insucesso de Quique Flores no SLB deveu-se às arbitragens.

Jesus podia ter tido muito sucesso no SLB apesar das arbitragens.

Pulha Garcia disse...

Pedro,

"O insucesso de Quique Flores no SLB deveu-se às arbitragens." Discordo. Quique era demasiado defensivo e exigia pouco dos jogadores (mais uma vez a nossa estrutura de futebol não era suficientemente exigente, como hoje também não é). O normal com ele era jogar apenas com um ponta-de-lança apoiado pelo Aimar. Em Portugal quem quer ser campeão tem que ser mais ofensivo do que isto. Além disso jogávamos muito mais devagar do que jogamos hoje e não fazíamos o pressing que hoje temos conseguido fazer (apesar de na minha perspectiva nunca termos recuperado da venda do Ramires, de todos o jogador que na minha opinião mais falta nos faz e que permitia o rolo compressor da primeira época de Jesus). Dito isto, concordo que o Quique foi roubadíssimo em particular pelo penalty completamente ficcionado nas Antas do Yebda sobre o Lisandro. Podíamos ter sido campeões com Quique? Sim, mas vai uma grande diferença para Jesus, muito mais ambicioso.

PS Já agora sobre o Quique poderíamos ainda falar sobre a forma como encostou o Léo. O tal que ainda agora renovou com o Santos, e que depois de Coentrão foi o melhor lateral esquerdo dos últimos 10 anos na Luz. Segundo Quique, Léo "precisava de aprender". Incrível, eu sei.