sexta-feira, janeiro 22

SADico e Peseirista

A entrevista, dada por Pinto da Costa quinta-feira à noite no Porto Canal, não foi para todos. Como, de resto, todas as outras que Jorge Nuno já teve a gentileza de oferecer, esta foi mais uma vez para a maioria sedenta de vitórias que ele e mais uns poucos criaram. Desde o encostanço a Lopetegui - afinal PC está do vosso lado, não se esqueçam - às contratações - com Imbula, Adrián e Suk na mira -, o presidente da SAD portista foi a terreiro segurar o monstro. Esse, que ameaça dar cabo de outro projecto antes do tempo (bastou uma olhadela pela 'bluegosfera' depois do anúncio do novo técnico), está cada vez mais difícil de imobilizar, e como tal o adepto Jorge Nuno teve de fazer nova aparição.

Ora, tal como esperei de Julen Lopetegui, também espero mais de Pinto da Costa. Se em relação ao jogo do basco esperei sempre uma adaptação ao futebol moderno (e não português, como dizem por aí) que nunca apareceu, de Pinto da Costa espero uma maior abrangência. Em relação a Julen, os jogos passavam e os centrais continuavam recuados a oferecer a possibilidade de perder bolas perto da sua baliza. Com medo, os laterais faziam-lhes guarda já à espera dessas perdas. E o trinco, esse, raramente descia para alargar a saída-de-bola, dar-lhe mais critério, e provocar superioridade numérica - assim como nunca estava onde deveria estar na perda da bola. Mas, lembro novamente, os jogos passavam e mostras de evolução eram, como diria Jorge Jesus, zero. Depois, o futebol de lado a lado, lembrado ontem por PC, não contemplava nada mais do que o jogo-exterior. Com Julen esperou-se sempre um milagre, mas o que é certo é que esse futebol - que nunca mudou - já existia na rojita - jogos que até um comum mortal como eu teve acesso.

Passar a bola, de um lado ao outro, já era norma de Lopetegui, bem antes da sua contratação. Lembro de novo que um comum mortal (amador e que só quer saber umas coisas) teve acesso a essa ideologia. Na sua ignorância foi esperando, desde o jogo de apresentação frente ao Saint Étienne (0-0) que a evolução se fizesse. Mas um presidente da SAD não é, nem tem de ser, um amador sem responsabilidades na escolha. Já ali, em junho de 2014, Lopetegui teria de dar garantias de ser mais evoluído que Vítor Pereira ou Jorge Jesus (ou pelo menos estar ao nível). Parece-me, claramente, que essa não foi uma exigência. O erro foi claro e não foi assim tão assumido, ontem à noite, como se possa pensar.

Quase toda a entrevista, de resto, foi um atirar de culpas para o ex-técnico, sem lembrar nenhuma das coisas boas que o mesmo trouxe. É que, quer queiramos, quer não, Julen Lopetegui foi uma evolução em relação a Paulo Fonseca, trazendo de novo um pouco daquilo que se procura com José Peseiro: dominar em qualquer campo. Em Lille e em Basel - como com Sporting e Bayern, no Dragão - conseguiram-se jogos aproximados àquilo que um comum portista pede- e que garantiram a continuidade do técnico. Depois não houve evolução - como já referi - e os adversários e os próprios jogadores foram percebendo as falhas de um modelo que, por mais que Julen dissesse que 'lo queria todo' (defender melhor, atacar melhor), nunca evoluiu. Ontem, PC nunca poderia elogiar Lopetegui como o fez até à altura do seu despedimento. Mas não o tendo feito abriu espaço a que se desconfie de tudo o que ele disse em relação a outros pontos importantes da actualidade azul e branca: foi Peseiro a primeira escolha? foi escolhido com base no modelo? foi Sérgio Conceição contactado? Antero e Alexandre são compatíveis?

Até o (esperado) anúncio da recandidatura foi para o Tribunal. De resto algo interessante mas que não percebi (sou um amador, lembram-se?): a guerra entre o Sporting e Benfica é uma coisa quase encenada. Seja lá o que PC quisesse ter dito, importa lembrar que a SAD do FC Porto não é nem mais, nem menos competente, do que aquando da conquista do último campeonato. Somou-lhe dois erros crassos - em que não percebeu o contexto técnico e táctico actual da Liga - mas o que realmente precisou sempre - assim como Benfica e Sporting - foi de um treinador capaz de rentabilizar da melhor forma o talento disponível no plantel. Ou se quisermos dizê-lo de uma forma que a SAD entenda: de um treinador que rentabilize da melhor forma os activos disponíveis. É José Peseiro o homem? Para já, fora de campo, começou bem. Mas lá para maio teremos uma melhor visão sobre um treinador que foi escolhido para ano e meio (como teria de ser, visto que a confiança da SAD no técnico nunca se faria com um contrato de seis meses).

10 comentários:

luis disse...

Pois. Eles estão sempre correctos e a culpa é sempre dos que já cá não estão.

Peyroteo disse...

Pois, muito estranho como depois de ter defendido tanto Lopetegui, agora o culpa desta forma. Provavelmente terá a ver com o facto do espanhol não ter chegado a acordo.
Por acaso não achei Peseiro muito convincente ontem. Espero que isso passe para os jogadores :)

Marco Morais disse...

É conversa para as massas. Sempre o achei menos inteligente do que aquilo que as pessoas fazem/fizeram dele, mas acho que entende um pouco mais do que ontem demonstrou. Custa assim tanto ser verdadeiro, transparente? É que há quem repare. Mas pronto, o que hoje é verdade amanhã é mentira - PC é fã da ideia, celebrizada por Pimenta Machado.

PC e a estrutura têm méritos, não me esqueço. Mas esses méritos vão sempre até onde a figura do treinador os leva. Foi assim com Pedroto, foi assim com Artur Jorge, Mourinho, AVB e VP. Não será diferente, agora. Por isso não compactuo com a 'velhice', nem a podridão. Ao Porto bastam vitórias - como a todos os outros - para toda a gente ir na cantiga. É assim que se sustentam abutres, com as vitórias dos outros. Ao Porto basta por isso um treinador competente. De equipa (plantel) não se podem queixar os portistas. Nem desta, nem da anterior, nem da de Fonseca - que dava para fazer mais, muito mais (nem que acabasse por não ganhar ao melhor plantel do Benfica em muitos anos).

Marco Morais disse...

Já em relação ao Peseiro, não vi vídeo, por isso posso ter sido induzido em erro pelas palavras - que me pareceram extremamente adequadas à realidade.

Depois é o que se sabe: o barco está a afundar e o desiderato é improvável. Ainda assim mantenho que o Porto ficou a ganhar com a troca. Mas se, até maio, os jogos me desmentirem, não me custará muito admitir que errei. De Peseiro retenho bom futebol, apreço e conhecimento pelo clube, e por isso capacidade para adequar o seu modelo à ideologia de vitória do FC Porto. Assim se os tais problemas defensivos realmente aparecerem, sei que há massa crítica no FCP (treinador incluído) para eles serem corrigidos. A 'morte' de Lopetegui (que nunca quis corrigir nada, só tentou que o Universo obedecesse às ideias dele) começou aí. VP, por exemplo, soube evoluir, mudar, reconhecer, e provar porque era o homem certo. É pedir demais para Peseiro? Só se ele realmente não for treinador. E eu acho que é.

Peyroteo disse...

Estar ali daquela maneira tão formal também não deve ajudar :)

Acho que o primeiro verdadeiro teste a Peseiro vai ser daqui a 4 jornadas, na Luz. Veremos como o Porto chegará lá e, sobretudo, como sairá de lá. Tem grandes possibilidades de ganhar a Taça. Tantas como as de ser eliminado já na próxima eliminatória da Liga Europa, com o Dortmund...

Marco Morais disse...

Fazes-me ir procurar um vídeo da apresentação.

O Dortmund não é o bicho-papão que todos pintam por aí. Do que vi, não me pareceu melhor do que o melhor Porto do Lopetegui. Obviamente, o ambiente do Westfallen e a intensidade da Bundesliga podem pesar. Mas não esperes Bayerns, nem vida fácil para eles no Dragão.

A taça não pesou com o Marco Silva e o Sporting, e também não me lembro de ter pesado alguma vez no Porto. A continuidade não vai depender assim tanto de títulos, mas do trabalho e futebol apresentados. Os adeptos reverem-se naquilo que ele vai criar pesará mais do que lhe entregar culpas por uma época que já vai meio perdida. Ou seja, se ele conseguir com que o Porto (a nação, vá :P) acredite numa 2.ª época com títulos provavelmente ficará. Contarão para isso os confrontos directos e como a equipa se comportará - não o resultado que terá. Quer queiramos, quer não, terá sempre desculpa. Até Mourinho falhou nessa meia-época.

Hugo disse...

Foi a primeira vez que Pinto da Costa falou assim de um ex-treinador. E também não gosto nada quando se fala assim de alguém que não está ali para se defender.
Brevemente teremos uma entrevista no AS de Lopetegui...

Marco Morais disse...

Não lhe recordo boas palavras para VP e mesmo para AVB, Hugo.

Sei que agora a (má) relação está apaziguada com AVB - de quem disse ter medo de levar um saco do Barça -, mas também com VP não foi meigo nas críticas ao futebol. Até nos elogios a... Lopetegui ("agora gostam do nosso futebol") 'ouvi' críticas a VP e AVB ("com Hulk, James e Falcao, não precisamos de treinador...").

J. disse...

Mesmo Mourinho chegou a ouvir das "boas" de PdC.
Mas eu acho mesmo que a "estrutura" no Porto está já de algum tempo para cá, um pouco perdida.
O Porto tem muitas opções para certas posições, mas para outras está claramente deficitário.
Além disso, o processo com Peseiro não está muito bem explicado (se foi contactado após o Rio Ave, porque razão demorou 3 semanas a ser apresentado), nem a rabúla com Sergio Conceição ajudou neste processo.
A minha opinião é que daqui a 6 meses o Porto estará novamente á procura de treinador.

Hugo disse...

Se calhar porque a rabula com o Sergio Conceicao foi criada pelos mesmos que na segunda feira o apelidaram de serio conceicao