quinta-feira, julho 15

Quanto mais pressas...

Bola cá, bola lá, exactamente com este tempo. Sem temporização. É o futebol de sonho, jogado a uma velocidade estonteante e seria perfeito, não fosse o humano um ser... imperfeito. Num dos únicos indícios à preparação do novo FC Porto de Villas Boas - jogos na TV nem vê-los - a velocidade e o futebol ao primeiro toque parecem ser a base do modelo.

A incógnita está cada vez mais próxima de deixar de o ser. Para ajudá-la a permanecer quase indecifrável as TV´s deram uma ajuda e abdicaram de transmitir os jogos do novo FCP, mas o que vem a público, como as reportagens de O JOGO no estágio, indicia a tentativa do futebol positivo. Em todas elas um fio condutor: velocidade. Queixou-se o novo técnico, logo após o primeiro desafio, da falta dela. Villas Boas parece querer um FC Porto supersónico e isso deixa-me várias dúvidas.

A rapidez de execução complementada com o acerto na decisão é o sonho de qualquer treinador e como tal será o mais difícil de atingir. Como os jogadores de futebol são humanos o mais normal é que, tal como cada um de nós, quanto mais rápido fizerem as coisas maior será a probabilidade de errarem. A rapidez tolda o raciocínio e, consequentemente, a decisão. Ou a coisa está muito bem preparada ou dá em sucessão de... decisões erradas.

É cedo para se auferir desta suposta obsessão pela velocidade de André Villas Boas. É bastante provável que o jovem técnico esteja a treinar, isso mesmo, velocidade mas sem deixar de parte outros factores importantes no jogo. Ainda assim a conotação jovial do técnico pode facilmente confundir-se com a ingenuidade de querer um futebol supersónico sem temporização e horizontalidade.

Há no entanto, caso a velocidade seja a prioridade, argumentos a favor. Veja-se o exemplo do Benfica de Jesus. Extremamente rápido e vertical massacrou as defesas frágeis do nosso campeonato, e não se deu nada mal com isso, vencendo-o justamente. No entanto (cá está), não só por esse mas também por outros factores, o futebol a 200 à hora não deu frutos em provas a eliminar, baqueando na Europa e na Taça de Portugal.

Verticalidade e rapidez não são sinónimos de posse de bola mas sim um complemento na hora de a largar, para o golo. Será que Villas Boas vai ter isso em conta, tal como Mourinho teve na mudança de modelo que operou depois de vencer a Taça Uefa para depois vencer a Liga dos Campeões? A contratação de Moutinho para patrão do meio-campo não indicia nada de bom. Isto porque o ex-leão é um jogador extremamente rotativo que não sabe desacelerar e a batuta de um maestro nem aqui se quer sempre a todo o gás.

9 comentários:

Joao Brandão disse...

em primeira mão posso te dizer que o patrão do meio campo vai ser o fabuloso Anderson (empréstimo de um ano, Meirelles vai em sentido inverso para Manchester...)

e se ficarmos com o Bruno Alves o plantel fica fechado senão deverá entrar um defesa central...

abraço

Marco Morais disse...

Não era mau não senhor.

Acredito que o Bruno Alves vai ser vendido. Pelo negócio, que terá este ano a última oportunidade de se concretizar, e pela defesa subida de Villas Boas, na qual Bruno Alves seria um corpo estranho.

J. disse...

O Meirelles no Man.Utd?
tudo doido!!!

Pedro disse...

"o futebol a 200 à hora não deu frutos em provas a eliminar, baqueando na Europa e na Taça de Portugal"

Muito puxado esta ilação...uma coisa não tem nada a ver com a outra!!

Peyroteo disse...

J., tinha lugar perfeitamente. O meio campo do Man Utd é assim tão bom? Não me parece...

J. disse...

Não é melhor que um Fletcher ou Carrick...parece-me evidente!!!
É jogador para um Marselha ou Lyon, mas não para um Man.Utd.

David disse...

O Benfica "baqueou" na Europa? Baqueou em que sentido? Foi eliminado, com uma derrota pesada, é verdade. Mas foi um jogo muito particular consequência de um adversário forte e também de uma estratégia interna que privilegiou o campeonato. Para uma equipa portuguesa, chegar aos quartos de final de uma competição europeia será sempre um bom resultado. E o futebol de ataque de Jesus deu frutos também na Europa: por exemplo, a fase de grupos foi muito bem conseguida, com 15 pontos, incluindo aquela goleada histórica ao Everton; nos oitavos vencemos o Marselha numa eliminatória de qualidade elevadíssima.

TUGA disse...

grimi no man utd já!

http://www.youtube.com/watch?v=6muC_G2B9EU

alguem me pode dizer quanto tempo de paragem é esta lesão nos rins?

Rodrigo disse...

Estranho essa tua embirração com o Moutinho,na minha opinião foi uma jogada de mestre do Porto,fragilizou o Sporting e colmatou a mais que provável saída do Meireles.De resto duvido que alguém pague um valor próximo do que é pedido pelo B.Alves,o que vai resultar na sua permanência,o que como benfiquista é uma má notícia.Quanto ao resto dos reforços penso que acertaram em cheio e como tal prevejo para o próximo campeonato a uma luta Porto vs Benfica,esperando que obviamente o Benfica leve a melhor novamente.