terça-feira, fevereiro 26

Sporting.

Foi na última época de Paulo Bento, e já depois da pesadíssima derrota por 12-1 frente ao Bayern, que o Sporting bateu no fundo. Mas a verdade é que nem o mais distante dos adeptos poderia perceber que esse fundo, afinal, era ainda mais fundo.

As eleições que colocaram Godinho Lopes (GL) na presidência do clube faziam antever tempos complicados mas nunca, seguramente, a um nível tão desastroso como o actual.

A verdade é que aquilo começou mal. Na noite da eleição de GL, os sportinguistas viveram uma página negra na história do clube, com confrontos, acusações e agressões. Até o mito de serem os sportinguistas gente "diferente" caíu por terra.

Daí para cá, sempre sob a batuta do inenarrável GL, o Sporting enveredou por um caminho que disvirtuou a sua própria existência e, pasme-se, confrontou de forma absolutamente patética, as linhas mestras de solidariedade e diversidade que sempre guiaram e elevaram o clube.

GL e os seus comparsas maltrataram o Sporting durante dois longos e penosos anos. Destruíram, até, a paixão do adepto mais fervoroso. Os maus resultados custam sempre a engolir, as derrotas igualmente, mas a dignidade da identitidade do clube nunca deveria ter sido posta em causa, especialmente com tamanha leviandade e indiferença.

Nem vale a pena referir os inúmeros episódios que mandaram o Sporting para um lamaçal sem paralelo, nestes últimos dois anos. Os culpados secundários foram desaparecendo mas o porta-voz da culpa manteve-se, sabe-se lá com que motivações, no poleiro da desgraça.

Com as eleições à porta, os três candidatos prometem devolver ao clube a mística perdida e a dignidade roubada. Talvez por isso Severino tenha falado em convocar a PJ. Bruno de Carvalho adianta-se e mostra as garras, mostra Inácio (que ainda é treinador do Moreirense!) e um claro rompimento com o passado recente e menos recente do dirigistmo leonino. Couceiro, o homem dos sete ofícios (sem se destacar em nenhum deles), está na luta, mas mais pelos apoios que tem (vai ser difícil descolar-se da "continuidade").

Visto de fora, apetece-me dizer que Bruno de Carvalho é a melhor opção para o futuro do Sporting. As reservas em relação a esta figura são, em grande parte, fruto de atoardas, muitas delas lançadas por GL durante o último período eleitoral.

Daqui por mês, contudo, espera-se que o Sporting caminhe a uma só voz, de preferência uma voz com verdade e unificadora em torno do universo sportinguista, que nunca esteve tão violentamente dividido.

Daqui a um mês, espera-se, teremos um Sporting novo, vivo. E que aquele sócio possa reformular a sua frase e dizer: "felizmente, o Sporting não morreu".

18 comentários:

Pedro Almeida disse...

Pelo que o Eduardo Barroso deu a entender ontem, o novo presidente vai encontrar o clube sem dinheiro absolutamente nenhum em caixa e com vários jogadores a poucos dias de poderem rescindir com justa causa por falta de pagamento.
Nas meias palavras dele, o GL deixou o clube "armadilhado".

J. disse...

Antes de Godinho, houve ainda outro do mesmo género.O dos prejuizos de 40 milhões, de negócios Pongolle, de Costinhas a DD e de Paulo Sérgios a treinar.
Godinho acabou com o resto.
O Sporting não morreu, nunca morrerá. Mas vai demorar mto tempo a voltar a estar no topo do futebol português.

Tasqueiro Emigrante disse...

luis, honestamente tu querias era o Sporting vivo já neste próximo sábado:)

zorg disse...

O Inácio é o treinador do Bruno Carvalho? Se sim, parece-me uma fraca escolha e um erro de casting semelhante à contratação de Sá Pinto.

O Sporting precisa de um treinador tecnicamente competente, capaz de potenciar o crescimento dos jogadores jovens e assim permitir uma estratégia de aposta clara na formação. O Jorge Jesus seria uma boa escolha, mas parece-me completamente impossível. Mas deveria ser alguém que soubesse o que está a fazer.

luis disse...

Acho que não Zorg. Não te sei agora dizer qual a função mas penso que não é treinador (Jesualdo deve continuar até ao final da época, seja quem for o vencedor).

J. disse...

Sim, Bruno de Carvalho aposta numa estrutura de futebol com Inácio, Virgilio mais um.
O treinador é uma incógntia.
Para mim podia ser bem o do Estoril ou o do Paços. Alguém assim que já deu algumas provas de competência, jovem e com ambição e vontade de mostrar trabalho.
Acho que o objectivo desportivo deveria ser apenas o de voltar a por o Sporting na Europa.

zorg disse...

Acho que, assumindo que o projecto desportivo do Sporting vai assentar na formação, era importante assegurar que o treinador que viesse fosse alguém com um perfil mais académico e com experiência em futebol jovem, mesmo que se tivesse de gastar mais uns trocos no treinador.

E sim, os objectivos anunciados deveriam ser modestos (atingir a europa, por exemplo), para transferir alguma pressão da equipa para a direcção, mesmo que internamente fossem ambiciosos.

J. disse...

Zorg, vejo o Jesualdo com esse perfil. E até seria um prémio justo o que o actual presidente do Sporting está a tentar fazer neste final de época.

zorg disse...

Eu tenho algumas desconfianças em relação ao Jesualdo. Posso estar enganado, mas por acaso não o vejo com esse perfil.

Tinha que ser um gajo com obra feita na construção de equipas com recurso a jovens talentos. Uma espécie de Guy Roux, ou Wenger, mas com menos nome, para ser comportável para os cofres do Sporting.

Não vejo o Jesualdo a encaixar neste perfil. Uma coisa é lançar jovens quando já está tudo perdido e já nada se exige à equipa, outra coisa diferente é planear uma época, com objectivos definidos e conseguir atingi-los, usando os jogadores da formação como complemento fundamental.

luis disse...

Em relação a Jesualdo, a minha opinião não podia ser menos positiva. Não pelo que está a fazer (?) esta época, claro. Ali no meio qualquer um se arriscaria.

Mas o professor não é, nem nunca será, treinador para um clube como o Sporting. Aliás, há anos que digo o mesmo.

Jesus, por exemplo, tem imensas qualidades mas também tem MILHÕES e MILHÕES à disposição.

O que faria um Trapp com tanto milhão...

De resto, concordo com o Zorg.

J. disse...

Jesualdo é daqueles que se enquadria num perfil de treinador experiente com passagem pelos escalões de formação, neste caso na Sub-21.
Não vejo outro disponível com o mesmo perfil. Olhar lá para fora, será apostar em mais Vercauteren.
Mas eu prefiria outro tipo de treinador. Mais Jovem, ambicioso e já com algumas provas dadas.

Pulha Garcia disse...

Alguns dados do problema Sporting:

1) Desde a temporada 2003/4, com Peseiro ao leme que não se vê bom futebol em Alvalade, que marque golos, leve pessoas ao estádio e ajude a pagar contas (para além de lutar por títulos). Paulo Bento nunca foi brilhante e tinha um 11 organizado mas mais em esforço e dependente de Liedson. Domingos durou pouco. Todos os outros tiveram um rendimento banal, mau ou fraco. Sá Pinto foi o pior, deixou a equipa sem sequer ter preparação física, acho que está tudo dito ...

2) A formação. O Sporting tem melhor formação que os outros clubes? Tem. O Sporting algum dia se vai reerguer apenas com a formação? Não. O Sporting algum dia se vai reerguer baseado a formação? Talvez mas é improvável. Benfica e Porto, com mais orçamento, mais organização e mais experiência de alta competição (Liga dos Campeões, rotinas adquiridas, etc) não vão deixar facilmente um Sporting baseado em miúdos ser competitivo a ponto de ter nível para ser campeão. Conclusão: é preciso dinheiro para complementar um plantel baseado na formação.

3) Tempo. O Sporting vai piorar antes de melhorar e só com uma travessia no deserto poderá resolver alguns problemas estruturais. Quem vender aos Sportinguistas algo diferente de um discurso a médio/longo prazo, mente.

4) Primazia no futebol Português. O Sporting é um clube muito grande mas perdeu o seu estatuto de "3º grande" para o Braga (e pelos vistos vai continuar a descer na tabela). Hoje por hoje, todos na Liga se acham capazes de ganhar ao Sporting. Equipas do SCP em que o mais velho em campo tem 26 anos (Rinaudo) permitem toda a gente sonhar. O Sporting precisa urgentemente de mandar um sinal em sentido contrário ...

5) O Sporting é um clube onde todos falam muito. O Barroso, o Barbosa, o conselho Leonino, o congresso, etc. Muita gente a falar nunca é bom sinal. Falta liderança ao Sporting. E falta muita humildade. Quem é um Barroso ao pé de um João Benedito?

6) Mentiras. Mente-se muito em Alvalade. Nas contas (responsabilidade criminal devia ser urgente!), nos factos (tenta ver-se no Benfica um clube de ignorantes e de corruptos mas as escutas são claras quanto a quem recebe árbitros em casa etc ... além disso, todos sabemos quem foi apanhado a pagar 2000 euros a um fiscal de linha ... se tivesse sido na Luz haveria toda uma outra forma de gerir este assunto), nos projectos que ficaram na gaveta (Pavilhão, etc) ... Não é só faltar resultados. Falta verdade em quase todos os dossiers e muitas mentiras são cultivadas pelos próprios adeptos.

7) Modalidades. O que toda a gente no Sporting quer é resultados no futebol mas agem como se fossem todos os fins-de-semana ver o atletismo, etc. Alguém deveria assumir a verdade: futebol é o que realmente interessa. Falar nos títulos nas outras modalidades é conversa da treta e não paga contas.

8) Anti-Benfiquismo. Com o tempo e ausência de resultados desportivos no futebol, tornou-se hábito em Alvalade reduzir o Sporting a Anti-Benfiquismo. Com consequências práticas: jogadores vendidos/trocados para o Porto (mas jamais para o Benfica), silêncio durante o Apito Dourado (preferiram ver o maior escândalo desportivo do futebol Português como uma guerra Benfica Vs Porto quando o que estava em causa era o Porto ser corrupto, o que tem prejudicado muitíssimo desde logo o próprio Sporting desde início dos anos 80), vandalismo no Estádio da Luz e vitimização constante (quando na realidade se demonstra que nos últimos encontros entre os dois clubes o Benfica até foi mais prejudicado por erros de arbitragem do que o contrário). Ou seja, o Sporting deveria começar por definir o adn que quer ter, a partir dos seus nobres valores desportivos que tem indiscutivelmente e não a partir do que odeia ... lamentamos mas o Benfica vai sempre ser um clube de enormes dimensões, com grande probabilidade de equipas competitivas ... vamos começar por respeitar os outros com fair play.

Abraço desportivo, oxalá o Sporting não caia na tentação de pensar que as coisas não podem piorar e que nunca, por definição, poderia deixar de existir...

J. disse...

Epá, tantos ponto ó Pulha, quase tantos como aqueles que temos neste momento no campeonato.
Há pontos em que tens alguma razão, mas só pela maneira que descreves este ultimo ponto invalidade qualquer discussão de jeito que possamos ter. :-)

Pulha Garcia disse...

J,

às vezes os Benfiquistas e Portistas ficam genuinamente admirados com o que se está a passar em Alvalade, como é que é possível serem cometidos erros tão básicos? E há tanto tempo? No entanto, ninguém faz nada para corrigir... É estranho de ver, de fora para dentro, digo.

Miguel disse...

Pulha, a bem da discussão o teu comentário merece uma resposta.

Ponto 1 - errado. Com Paulo Bento viu-se pelo menos 2 épocas de bom ou muito bom futebol. Nas restantes, esse bom futebol foi menos constante (se bem que o conceito de bom futebol, para mim, é ganhar os jogos), mas ainda assim a equipa foi competente ao ponto de, com orçamentos ridiculos, ficar sistematicamente à frente do SLB.

POnto 2 - espera até o fair play financeiro chegar em pleno e verás que o caminho para as equipas portuguesas terá de ser maior contenção nas despesas e aposta na formação. Mesmo para o SLB e FCP.

Ponto 3 - certíssimo.

Ponto 4 - o estatuto de grande é muito mais do que a classificação numa época (ou em 3 épocas). A menos que admitas que o maior clube português é o Porto...

Ponto 5 - certíssimo. Mas em momentos de crise as coisas pioram. No SLB eles tb aparecem... até no FCP qd não ganham 2 campeonatos seguidos eles lá se chegam à frente.

Ponto 6 - os adeptos são todos iguais. convençam-se disso. Não sou eu que o digo. É quem faz investigação em psicossociologia, em particular quem estuda o "fandom".

Ponto 7 - como em todos os clubes há quem goste de modalidades e há quem se esteja a borrifar para elas. Não foi o teu clube que fez um destaque enorme o ano passado por terem sido campeões em 5 ou 6 modalidades? Mas no futebol ganharam os outros.... o ponto 6 tb explica isto.

Ponto 8 - quem disser que não existe anti-benfiquismo está a mentir. Quem disser que não existe anti-portismo está a mentir. Quem disser que o anti-benfiquismo é tão grande como o anti-portismo está a mentir. diz a minha experiencia de adepto (vale o que vale) que em cada 10 haverá uns 7 sportinguistas a preferir que o porto ganhe o campeonato, 2 a preferir que ganhe o benfica e o outro está-se nas tintas. Mas..... quem disser que os benfiquistas não são tb anti-portistas ou anti-sportinguistas está a mentir. the same para os adeptos do porto. Ver ponto 6.

A palavra nunca é muito forte, mas se existe uma probabilidade relativamente elevada da SAD definhar, já o clube - que move 3 milhões de portugueses - dificilmente desaparecerá nos próximos largos anos.

Miguel disse...

Posto isto, e referindo-me ao post, nenhum dos 3 candidatos me parece bom.

Soares Franco apesar, de alguns erros, foi o ultimo presidente de quem gostei. Se calhar por ter sido o ultimo que nos deu algumas alegrias desportivas... ainda assim não concordava com a sua visão apenas centrada no futebol, esquecendo ou diminuindo o restante Sporting.

Parece-me que qq um destes 3 será bem pior.

Acredito que seja Bruno de Carvalho a ganhar as eleições.

zorg disse...

Também me parece que será Bruno Carvalho. Penso que o da continuidade é o Couceiro, por mais que tente escondê-lo. O Zeferino é uma incógnita.

J., em relação ao Jesualdo, é verdade que tem experiência nos escalões de formação das selecções e é verdade que tem experiência no futebol português em geral. No entanto, nunca teve resultados excepcionais em lado nenhum tirando o porto (e, na minha opinião, resultados conseguidos num clube que os vicia não servem para avaliar o mérito do treinador). Para além disso - e esta é a parte mais relevante para o Sporting - nunca se destacou na integração com sucesso de jogadores jovens na equipa principal. Desse prisma, até Jorge Jesus, que não corresponde ao perfil do treinador-formador, tem mais obra feita.

Acho que a questão do treinador será central para o sucesso da próxima direcção do Sporting, pelo que a sua escolha deveria merecer cuidado e até alocação de alguns recursos.

Pulha Garcia disse...

Miguel,

1) O Sporting com Paulo Bento era de facto mais competente que o actual mas jogava já na altura um futebol de péssima qualidade, com balão para Liedson e fé em Deus. Durou até o Benfica se organizar e até o Bayern colocar a nu as fragilidades conhecidas.

4) "o estatuto de grande é muito mais do que a classificação numa época" certo. Ao falares da possibilidade do FCP ser maior do que o Benfica acabaste por denunciar o teu anti-Benfiquismo (estavas a ir tão bem ... quase que enganavas alguém); engraçado que no ponto 1, quando o tema era a qualidade de futebol do Sporting (e não a classificação) não hesitaste em comentar que o Sporting de Paulo Bento acabava à frente do Benfica na classificação (esqueceste-te no entanto do ano em que chegou JJ e Paulo Bento acabou no desemprego ... );

6) "os adeptos são todos iguais." concordo, todos querem ver as respectivas virtudes enaltecidas. O problema é que muitos Sportinguistas continuam a ver no Sporting um clube diferente quando a verdade é que clubes falidos há muitos, clubes sem resultados desportivos também e enquanto não houver realismo na gestão do clube em Alvalade as coisas simplesmente não vão avançar.

8) Ambos concordamos que o anti-Benfiquismo em Alvalade está muito presente (apesar de tu, simpaticamente colocares a estatística nos 70%). O grave é que está a prejudicar o Sporting em negócios concretos e em tomadas de decisão.

Quanto aos outros pontos concordo, saudações desportivas, oxalá o Sporting se organize.