segunda-feira, fevereiro 24

Linha sem retorno

No FC Porto 13/14 os acessórios foram fazendo o essencial. Esse, como se sabe, já é uma linha sem retorno... há muito. E seja o desenho do meio-campo, o distanciamento entre sectores, a perda de agressividade e entrosamento da equipa, passando pelas exibições que levaram às derrotas que eram há muito inéditas, só poderá haver um desfecho: a saída de Paulo Fonseca. Se a equipa foi sempre um acidente à espera de acontecer, o mesmo pode muito bem ter acontecido na noite em que o Dragão conheceu de novo o sabor da derrota (para a Liga). Num jogo em que todas as 'gotas de água' explicadas acima (com a agravante de não haver mesmo uma ideia de jogo colectiva) foram, por demais, visíveis, ao Estoril de Marco Silva bastou-lhe esperar que os portistas esbarrassem nas decisões do seu treinador. Algo que acabou por acontecer, já na segunda-parte, quando Paulo Fonseca deixou o seu 'miolo' com apenas dois elementos (tirou Herrera para lançar Ghilas), perdendo definitivamente o Norte.

Que o Estoril se tenha soltado depois desse momento, e ganho o penálti que haveria de decidir o jogo, é também 'mero' acessório. Consequência, se quisermos. É que o destino deste FC Porto há muito que estava traçado pela(s) teimosia(s) de quem o dirige. E essa sim é a causa que leva a que de, jogo para jogo, os dragões nunca tenham apresentado um futebol condizente com o estatuto de tri-campeões nacionais. Dessas teimosias, que já há muito deixavam a equipa ao sabor de um jogo rudimentar (bola na ala e cruzamento para uma área deserta), a última será mesma a aposta em Quaresma. Até as bolas paradas - o único capítulo em que o Porto cresceu em relação às últimas épocas - se perderam na tentativa do Harry Potter relançar a sua carreira. Das suas botas pode vir muita coisa boa, mas nunca a simplicidade que a equipa precisa para sair de um momento extremamente complicado.

Daí que, para o FC Porto, aumentar a velocidade do jogo só serviu para caminhar mais rápido para o desfiladeiro. Que, diga-se, é aquele em que Paulo Fonseca cai sempre quando garante que os seus jogos foram decididos pela sorte ou azar. Talvez o Estoril tivesse então tido sorte por Paulo Fonseca não conseguir passar para o relvado uma ideia de jogo que lhe permita o domínio dos jogos. Ou então, sorte por numa altura crítica do jogo (71') Fonseca deixar o seu meio-campo à mercê das três carraças canarinhas, aumentando sem nexo - com Ghilas - a hipótese (que não passou disso) de mais cruzamentos para a área na tentativa desesperada de chegar a um golo que nunca apareceu. Certo é que este FC Porto deixa o 'tri-vice' (Benfica) à beira de provar que a sua ideia pode mesmo conquistar, de novo, o título. Sem um futebol condizente com o seu estatuto, os dragões perdem em toda a Linha para o seu rival. E quando a preocupação máxima deveria ser 'achar' esse futebol, Paulo Fonseca continua a (des)orientar a equipa até (pelo menos) ao jogo com o Frankfurt.

FC Porto-Estoril, 0-1 (Evandro g.p. 78')


www.facebook.com/agambeta

20 comentários:

Peyroteo disse...

Não sei até quando o Pinto da Costa vai aguentar esta situação. Imagino que, caso o Porto não passe o Eintracht Frankfurt, o melhor é aterrarem no aeroporto de Lisboa...

luis disse...

Tenho acompanhado esta fase do FCP e de facto "o distanciamento entre sectores, a perda de agressividade e entrosamento da equipa" são a marca desta equipa de Paulo Fonseca.

Ontem, quando trocou Herrera por Ghilas lembrei-me de JJ quando tirou Aimar e colocou Rodrigo, no jogo contra o FCP na Luz (2-3, quando estava 2-1).

É uma substituição que prova o desnorte nã só do treinador como da própria equipa.

Com VP o FCP era sempre igual, tinha aquela posse toda, lateralizava em demasia mas, goste-se ou não, tinha uma marca distintiva. Com Fonseca, o FCP é uma equipa sem regras, sem chama.

Contudo, e penso que importa referir isto, o plantel é o mais fraco dos últimos anos.

De facto, o FCP já foi campeão com algumas anedotas (como jogadores e como treinadores) mas esta aposta sucessiva na mediania não resulta sempre.

Paulo Fonseca, enfim, já tudo foi dito.

Carlos Eduardo (o novo Deco...), Josué, Licá e Ghilas, Varela, Quaresma (individualmente dos melhores do mundo, mas péssimo, terrível mesmo, em equipa, cheio de más decisões, pouca inteligência), apenas Jackson, apenas Fernando, é muito pouco para muito mais do que está a ser feito.

É que o FCP tem feito épocas memoráveis, onde todos os recordes foram batidos.

Seria sempre complicado manter o nível (alcançado na minha opinião com muitas ajudas arbitrais ao longo dos tempos, mas isso é outra conversa).

Posto isto, e parecendo contraditório, o FCP ainda é o principal candidato ao título, porque é o que a história nos prova: contar sempre, até ao último fôlego, com quem, nunca, ou raramente, dorme.

Pedro disse...

"o FCP ainda é o principal candidato ao título"

Não podes dizer isso. Podes estar receoso pelo passado recente e não assumir o titulo como dado adquirido mas com esta vantagem pontual (ganhando hoje), com o plantel que tem e com o que tem jogado, o SLB é o principal candidato ao titulo.

Isso não significa que o conquiste.

Peyroteo disse...

Luís, só mesmo se o Benfica falhar hoje é que o Porto pode ser candidato ao título. É que o Porto não está sequer em 2º, convém lembrar. Não sei se estás bem a ver as próximas quatro deslocações do Porto: Guimarães, Sporting, Nacional e Braga...

J. disse...

Sim, acho que este Porto apartir de agora vai ser sempre a descer.
Pode fazer algum brilharete num jogo especifico porque ainda tem jogadores de valor (os laterais, Mangala, Fernando, Jackson, etc), mas no global, dá-me a sensação que vai ser para pior e nem com um novo treinador vão melhorar num curto prazo.

Jorge Borges disse...

Concordo com a generalidade do post.
Ontem só vi o resumo, mas parece-me que o resultado acaba por ser extremamente injusto para o Porto. O Porto teve mais do que oportunidades para matar o jogo.
Penso que há ali um bloqueio qualquer. E o Paulo Fonseca (ainda) não é treinador para o Porto. Provavelmente destruiu a carreira ao chegar muito alto demasiado cedo...

A situação actual do Porto, quanto a mim acaba por ser também fruto daquilo que tem sido o Benfica nos últimos anos. provavelmente o presidente do porto pensou que não valia a pena gastar tanto dinheiro e acabou por desinvestir na equipa (técnico e jogadores), pois o benfica acabava sempre por baquear nos momentos-chave.
Não há nada que diga que este ano o benfica não vai baquear e como tal ainda nada está perdido para o Porto.
No entanto, se o Benfica é a equipa que os adeptos anseiam, o prsidente e o treinador dizem que é, ganhando hoje, deixa o Porto muito longe do título. Mas isto são muitos ses e o passado joga a favor do porto e contra o Benfica...

luis disse...

Peyroteo, isso para mim são lérias. Todos jogam em todo o lado.

O FCP tem uma história, um hábito de ganhar que mais nenhum clube europeu tem (vamos fingir que todas as conquistas são válidas, não interessa discutir isso agora). Além disso, todos sabemos que, precisamente, o FCP tem umas vantagens sobre os outros (não podemos agora fingir que não existem).

O meu receio é zero, Pedro. Estou convencido que seremos campeões. Se não formos, que seja o Sporting se o merecer, que seja o FCP se o merecer, seja quem for que o mereça. Sei que ainda há muito para fazer e muitos erro para cometer. Imagino que o FCP já os cometeu a todos.

"só mesmo se o Benfica falhar hoje é que o Porto pode ser candidato ao título"

E se parab a semana perdermos pontos com o Belenenses outra vez? E se o FCP ganhar?

Não estamos propriamente a três jornadas do fim.

luis disse...

"o resultado acaba por ser extremamente injusto para o Porto"

Não concordo nada com isto. O FCP não teve mais do que duas boas oportunidades para marcar.

Uma do Quaresma, num lance individual onde o mais difícil até era marcar golo, e num remate de Jackson.

Na primera parte o lance de perigo dos azuis foi um remate a 20 metros do Varela, numa defesa simples, onde a bola até ia para fora.

O Estoril tapou muit bem os caminhos para a baliza, jogou sempre muito compacta o FCP nunca mandou no jogo. Mesmo em posse de bola não foi nada de especial.

Foi um jogo sem controlo e sem domínio.

Pedro disse...

O falhanço do Jackson é qqr coisa...

luis disse...

Não acho que fosse muito fácil marcar, a bola vem do GR com força e a meia altura penso eu.

Peyroteo disse...

Sim, não é dos remates mais fáceis de executar...

Jorge Borges disse...

Eu deixei a ressalva: foi o que vi no resumo. E o resumo transmitiu-se a imagem que o domínio do Porto foi quase total.
Daí o meu comentário.

luis disse...

Borges, é assim, se vens para aqui dizer bem do FCP levas logo :P

Fora de brincadeiras, o Estoril esteve sempre perigoso e muito concentrado na defesa.

O FCP, investidas de Quaresma e pouco mais.

Ainda não perdi o tempo devido a observar o Estoril mas aquilo não pode ser só o acaso e uma conjugação favorável de factores.

Se calhar é mais fácil ir a Braga do que receber os canarinhos.

Pedro disse...

Ui...já vi que esses pés são tijolos.
:)

luis disse...

hahaha Por acaso ali eu não falhava. Mas estamos a falar do Jackson.

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

o porto não mais é candidato este ano esquece lá isso luis. quando á justiça dos resultados não concordo tb, o porto tem jogado pelo menos tanto como os adversários, agora daí a merecerem perder os jogos só pk não jogam mais do que o que deviam...
O que fez o estoril ontem para merecer ganhar? Quanto muito fez para empatar agora ganhar...O porto para além do azelha do treinador tem tido muito azar este ano.

luis disse...

Não sei se tem tido azar, ontem não foi disso que se tratou.

FCP desinspirado, sem chama alguma, sem criatividade e um Estoril competente a defender e sempre perigoso no ataque.

Não jogou para ganhar, mas nunca foi uma equipa fechada com o autocarro, aproveitou foi muito bem o desnorte portista, onde cada um joga por si, deixando sempre muito espaço para o adversário explorar (e o Estoril faz isso muito bem).

Teoricamente o FCP ontem não merecia perder. Mas perdeu justamente.

rbn disse...

Repetindo o comentário que fiz noutro post anterior neste blog, dou os parabéns antecipados aos benfiquistas pelo campeonato 2013-2014.

Com 5 e 7 pontos de avanço sobre o 2º e 3º colocados, faltando 30 pontos por disputar, só uma diarréia coletiva junto com uma hecatombe, é que podem fazer com que o pior Benfica da era Jorjesus perca o este campeonato.

Era preciso perder pelo menos 2 jogos(ou empatar 3) e os outros dois rivais não perderem mais pontos, sendo que Porto e Sporting aindam jogam entre si, algum vai perder pontos no clássico de certeza absoluta.

Onde há esperanças que o Benfica possa perder pontos (se perder algum) será em Braga, com o Nacional e no Dragão, porque não vejo Jorgesus perder pontos no Restelo ou em Arouca, e nem vejo perder 1 mísero ponto na Luz.

E para "ajudar", o calendário diz que o Benfica joga a 28ª e a 29ª jornadas em casa, contra Olhão e Estoril salvo erro, antes de ir ao Dragão(se calhar já campeão) na derradeira jornada.

Portanto, com toda esta matemática, só me resta dar os parabéns antecipados aos benfiquistas pelo campeonato 2013-2014.

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

Não merecia perder mas perdeu justamente? Agora é que me deste a volta à cabeça...

luis disse...

Teoricamente.

Porque mandou mais no jogo, apesar de tudo, e teve mais perto de marcar um golo.

Mas a derrota foi justa porque foi conseguida dentro daquilo que é próprio do futebol.

Pode haver justiça sem haver merecimento.