quinta-feira, agosto 18

"Oh, the humanity!!!"

Dando a razão aos profetas e arautos do futebol português o FC Porto evitou a escorregadela em Guimarães. Claramente, para eles, o resultado teria que ser forjado pois não há outro indicador em que se baseiem quando falam nas vitórias do clube, que terá que passar por um calvário semlhante a épocas anteriores em que lhe eram negados penálti atrás de penálti, só para lhes agradar. Obviamente disso os profetas - mais virados para o futuro - nunca se lembrarão e até acharão inacreditável. Tão inacreditável como o FC Porto ser, enormemente, prejudicado na Supertaça e disso ninguém fazer caso.

Um penálti, um golo mal anulado e um jogador do Olhanense que deveria ter sido expulso foi o saldo negativo de que o Sporting se queixa em relação à arbitragem no passado fim-de-semana. Com razão os leões viram um jogo que sem erros de arbitragem daria uma vitória ao seu clube, transformar-se numa perda de dois pontos. Nada disto é errado, garanto. O que me parece, e por isso é que omito constantemente as arbitragens nos meus comentários, é que jogos sem erros pura e simplesmente não existem e dos muitos factores que podem contribuir para as tais perdas de dois pontos as arbitragens não são o mais relevante.

Evidentemente, até porque já fui confrontado várias vezes com o 'argumento' que apresento a seguir, digo isto porque sou adepto do FC Porto. E quem o diz não podia estar mais certo, porque foi por ser adepto do FC Porto que aprendi que por mais que se erre - ou se queira errar para entrar num campo mais do agrado da maioria - não é suficiente para se deitar abaixo a melhor equipa. E querem provas? Vejam ou revejam a final da Supertaça que iniciou esta época, vejam ou revejam o resultado final e depois leiam ou releiam o meu post sobre a mesma final. Foi isto que aprendi e acredito piamente, ao contrário do que os 'sabões' teimam em conspirar, que é isto que nos fez grandes. Tão grandes que o incómodo é por demais evidente.

Sobre o penálti que dá a vitória aos dragões, assumo que muitos árbitros não marcariam e assumo que outros não hesitariam em apitar. Um pouco como a maioria dos adeptos que não hesitariam em passar a semana a falar de tal caso se tal precisassem. E a diferença é, continua e continuará a ser essa! É que é raro o jogo em que Benfica e Sporting mostrem qualidade para se superiorizarem aos erros, que depois, quando essa qualidade aparece - veja-se a última época em que o Benfica foi campeão - bradam aos céus que 'nem com arbitragens desfavoráveis nos param'. Apetece dizer: "e... não deveria ser assim sempre, opá?"

Ainda sobre o mesmo penálti não se devem tecer considerações do tipo 'faltas destas há mil por ano e ninguém marca'. A questão é se é penálti ou não? Se é legal fazer uma gravata na área a um jogador adversário? É que se é, pronto então ficamos conversados. Sobre isso e sobre ser humanamente impossível marcar fora-de-jogo ao Nolito no golo do espanhol em Barcelos. Uma decisão que vivamente se aplaudiu por beneficiar o ataque. Uma rara decisão, até. Tão rara como... marcar gravatas dentro da área.

Começou e começou como sempre, haja quem tenha paciência para aturar.

Quem não tiver, sempre pode acompanhar o futebol do país vizinho e vibrar com o comportamento do seu Mourinho de sempre. Esse sim, um exemplo de profissionalismo que merece as loas de todo o Portugal. País esse que nunca (mas nunca mesmo!) vira o bico ao prego.

23 comentários:

Pedro disse...

Apetece dizer: "e... não deveria ser assim sempre, opá?"

Não, não devia. Por duas razões: primeira pq eles não são super homens e, segundo e mais importante, ninguem tem que ser bom o suficiente para ultrapassar arbitragens manhosas.


Tb se poderia dizer:"será q o fcp podia ser bom o suficiente para vencer sem a ajuda das arbitragens?"...

Marco Morais disse...

Queres ler outra vez ou é mesmo preciso responder?

luis disse...

Eu também não percebi, então.

A verdade é que os portistas, na sua generalidade, gostam da máxima "errar é humano". Assim justificam-se as escutas todas e pronto, está resolvido o problema do "apoio um clube que comprovadamente compra árbitros para viciar resultados".

Meu caro, o FCP também, esporadicamente, prejudicado. Não chegam a todos (só a quase todos).

Marco Morais disse...

Luís, de nada disso fala o post. E ainda que saiba que vai (foi) dar para aí, insisti.

Dessas conversas já tivemos 'n' e com as 'conclusões' a que chegámos. De escutas já falámos também, mas o post lança perguntas.

E não que não seja fácil respondê-las... mas apraz-me vê-las serem evitadas para continuar com a mesma 'lenga-lenga' de sempre...

Pedro disse...

"Queres ler outra vez ou é mesmo preciso responder?"

Já disseste tudo. Deixa estar...

"E não que não seja fácil respondê-las... "

São facílimas de responder como prova o meu primeiro comentário. Não entres por aí...

alexandre Iº disse...

É habitual, em equipas que ganham consistentemente e apresentam grande diferença em relação aos concorrentes, esse argumentário de que «têm que ser superiores aos erros de arbitragem». O trágico é que isso só é verdadeiro porque essas equipas se encontram em outro patamar competitivo. Num jogo equilibrado como, penso, todos desejaríamos que acontecesse, isso não corresponde a qualquer realidade.
Uma equipa de futebol jogo contra o oponente e não tem (ou deveria ter) que se preocupar com uma terceira equipa.
O Barcelona e o Porto não têm, nos respectivos campeonatos, que se preocupar com as arbitragens, por razões óbvias. São, de facto, muito superiores aos adversários, que têm que jogar em esforço permanente apenas para criarem dificuldades.
Quando existe efectivo equilíbrio competitivo isso não é, simplesmente, verdade.

Marco Morais disse...

Sim, a resposta é facílima. Basta para isso recordar-se as épocas em que tanto Benfica como Sporting foram campeões. Onde estiveram aí os problemas com a arbitragem?

E não, não estou a dizer que foram favorecidos. Isso seriam vocês a falar de nos, como sempre. E como sempre também é o que vos impede de chegar lá. E por isso não respondi porque sinceramente a minha resposta aqui tem de ser constantemente a mesma...

Porto> arbitragens> escutas

Sporting e Benfica> arbitragens> prejudicados> Porto > escutas

Assim é facílimo jogar mal, ou jogar pior, como quiserem.

Benfica empata com Gil 2-2, vai à Holanda empata também 2-2. Sporting empata 0-0 com o Olhanense, e vai à Dinamarca empata com o mesmo resultado. Obviamente isto nada quer dizer em relação à forma das duas equipas.

E continuo a dizê-lo, o real problema do Sporting e Benfica não são as arbitragens. Vocês esquecem-se é que eu também já vivi vitórias vossas e seria tão fácil ter o mesmo descaramento. Tanta e tanta vez que senti a equipa empurrada para trás. Mas aquilo não é o Porto, não por não ser beneficiado, mas por não ganhar mesmo sendo prejudicado.

Todos vocês são pessoas que merecem resposta, mas qualquer resposta minha aqui é igualzinha há um mês, dois meses, seis meses, um ano atrás...

Já agora, o Porto foi beneficiado em Guimarães? Não é penálti? O que o Porto tem a ver com a má arbitragem em Alvalade? O que o Sporting tem a ver com a má arbitragem em Aveiro na Supertaça?

Já agora, gostaria que respondessem também. Para o Pedro então será bem fácil: ESCUTAS!! hehe :P

Marco Morais disse...

Alexandre,

Não têm que ser as arbitragens a equilibrar ou a desequilibrar. O que me parece evidente é que Barcelona e Porto, com as devidas diferenças entre o futebol dos dois, são duas equipas bastante superiores às adversárias.

Não deixa de ser engraçado que quando aparece uma equipa bem superior, apareçam também os 'sabões' da arbitragem e do proteccionismo.

E mais uma vez, não tem que ser a arbitragem a equilibrar os campeonatos, sobretudo no nosso onde é facilimo ver onde estão as falhas. Ao Sporting falta marcá-los e ao Benfica falta não sofrê-los. Não é à toa que as duas equipas obtiveram o mesmo resultado na Liga e na Europa. Coincidência, somente. Claro.

A última coisa que falo quando perco, é nas arbitragens. Mas eu sou do Porto.

luis disse...

Marco, esta conversa nao tem fim, como salientas. Apenas um comentário: as escutas mostram claramente que o fcp tem tudo a ver com arbitragens dos principais adversarios.

Pedro disse...

Não seria nada fácil pq não tens algo palpável para falar (muito provavelmente virias com a conversa do Calabote e do Estoril no Algarve...as lenga lengas do costume).

O SLB não empatou com o Gil por causa da arbitragem mas já perdeu muitos pontos e títulos por causa das arbitragens.

"A última coisa que falo quando perco, é nas arbitragens. Mas eu sou do Porto."

Pois...seria preciso uma lata do caraças. ☺

Sim, realmente eu gostava de ter visto essa superioridade do fcp o ano passado naquela série de jogos em que não jogaram nada e íam vencendo por um golito sempre bastante duvidoso nascido de um penalty inexistente ou com penaltys contra perdoados, etc e tal. Fossem as arbitragens honestas e tivessem perdidos esses pontos nesses jogos e queria ver se a conversa sobre a superioridade seria a mesma...

Belhote disse...

Marco, o post e os comentários são cheios de sumo, mas os benfas e calimeros não têm interesse que a conversa seja séria.
O Mourinho também inventa desculpas e o Guardiola reage com imensa classe.
É assim que vejo esta treta das desculpas das arbitragens em relação ao Porto.
Eles choram e nós ganhamos.

Pedro disse...

Ganham e depois cantam por nós. Curioso.

luis disse...

Um Belhote a clamar por seriedade. De cagar a rir. Seriedade no teu clube? Que lata!

Belhote disse...

Pedro e luis, enquanto os benfiquistas choram nós continuamos a ganhar.
No jogo da Supertaça ficaram por assinalar 3/4 penalties a favor do Porto. Qual foi a desculpa do Porto? Ganhar.
Alguém falou do árbitro nesse jogo?
O benfica empatou com o Gil Vicente por causa dos árbitros?
Quando são campeões, não se ouve falar em arbitragens, porquê?

Pedro disse...

Não se houve falar de arbitragens quando somos campeões? És novo por estas bandas tá visto...

Visigordo disse...

Caro Marco, "oh, the humanity", my ass!
Estou a acompanhar o vosso jogo que só vem corroborar a ideia que tenho do que se passa no nosso futebol.
Não vou discutir lances em particular deste jogo, que é só mais um que prova que vocês nestas duas jornadas têm tido lances alavancadores de uma boa época, afinal estão a ganhar.
Mas, faço-te a pergunta desta forma, como é que chegaste aí? Como é que tens agora os jogadores que tens? E na época anterior? E na outra antes dessa?
Claro que uma equipa ganhadora é sinónimo de mais dinheiro e mais referências aos seus jogadores, mas é importante que percebas onde é que começa a tua ascenção. A partir do momento que corroeste toda a estrutura do nosso futebol, não penses que, agora no telhado, aquilo não foi construído com a miséria destes merdas que ainda agora vos andam a agradecer.
Há muito tempo que te leio essa postura de quem já explicou o que tinha a explicar, a propósito das gravações do Pinto da Costa e sus muchachos, mas ainda não te li qualquer explicação credível.
Se me vieres com a história do gajo do Benfica, eu digo-te, são iguais, mas gostava de saber se és mesmo capaz de festejar sem o peso na consciência de que voltaram a adulterar as regras do jogo.

Visigordo disse...

Aliás, estou-me bem a cagar para esses pesos de consciência e formas de festejar títulos, gostava mesmo é que nos explicasses, onde é que as regras do jogo foram iguais para todos.
E se a tua resposta vier na linha do "ah, o Sporting...", caga nisso, explica as escutas a adeptos de clubes mais pequenos.

Visigordo disse...

E por mais que a questão te pareça isto: Ainda sobre o mesmo penálti não se devem tecer considerações do tipo 'faltas destas há mil por ano e ninguém marca'. A questão é se é penálti ou não? Se é legal fazer uma gravata na área a um jogador adversário? É que se é, pronto então ficamos conversados.

Eu tenho-te a dizer é que se quando favorecem os outros, não se deveriam marcar também... isso não é argumento.

alexandre Iº disse...

Marco,
O meu ponto não se prende com este ou aquele campeonato, esta ou aquela equipa.
A circunstância (porque é uma circunstância, como tudo na vida, excepto a morte) de o FCP, na tua perspectiva, não ter que se preocupar com as arbitragens, tendo que as "superar", prende-se apenas com o facto de ter uma gestão objectivamente melhor durante muitos anos e de ter atingido um patamar competitivo que é em muito superior ao dos seus adversários internos.
Num jogo com o Barcelona, por exemplo, não me benhas dizer que o árbitro não vai interessar...
Se o Vítor Pereira entender que será necessária um pouca mais agressividade nas marcações, e perante as constantes fitas dos jogadores do Barcelona, que tipo de árbitro queres?
Pois...
A arbitragem é um elemento do jogo, mas deve limitar-se a isso, e, portante, deve ser competente. O que não acontece. Ponto.

Marco Morais disse...

Hey Visigordo, seja bem aparecido =)

Não discutes lances do jogo em particular mas foi o mesmo que te fez vir aqui confrontar-te.

No meu entender este jogo é mesmo a prova, sabes? É que há um lance em que o Porto é beneficiado, um só, e o alarido é, de novo, enorme.

Realmente o Otamendi deveria ter sido expulso e não o foi. E tudo o que possa dizer a seguir, isso sim não é argumento. Lá viria o tradicional 'onde é que o árbitro expulsaria o Luisão ou o Polga aos 3' na Luz ou em Alvalade?'

Mas de resto que tens mais? Eu não percebo sinceramente, é que um só lance em duas jornadas é alavancador para o resto da época?

Falas-me em argumentos e resumes-te a isso?

Há provas claras de que a estrutura do Porto corrompeu ou tentou corromper, e já defendi a saída de PC do comando do clube e daí eu perceber a vossa obsessão com as arbitragens, e por mim quando ele sair é um descanso.

Mas estas duas jornadas só provam mesmo que mesmo não sendo beneficiados (há um lance como já expliquei e tanto poderia alterar o resultado como não) somos na mesma!

Gostava também de saber qual foi o clube que não corroeu toda a estrutura do futebol 'legal', é que eu posso ser muito 'anjinho' mas parece-me que há bem mais.

A postura é sempre igual e daí resulta a minha também. Aqui me vens tu cheio de 'ganas' falar destas duas primeiras jornadas só porque marcaram dois penálties ao Porto. Penálties esses que são, por mais que vocês não queiram ou desviem conversas para o vosso lado, são efectivamente penálti. Porque se aquilo não é penálti não sei o que será.

É que nos dois penálties do Porto nem sequer há hipótese de escolher um critério, enquanto no que vocês reclamam em Alvalade há realmente árbitros que marcam e outros que não. Não estive atento ao critério por isso não posso explicar se o árbitro o manteve ou não, mas bolas na mão são frequentemente 'omitidas' pelos árbitros.

Mas se isto já é assim imagino quando formos bemneficiados. É que quando vocês são, já se sabe, foi furtuito, erros sem importância. Realmente o que me parece é que a maioria, tu incluido, não são diferentes dos portistas que 'entregam' o vosso último campeonato aos penálties do Jardel ou daqueles que perguntaram num início encarnado há uns anos 'já foi o penálti do Simão'.

Claro que aí não há escutas de 2004 para deitar para mesma e tudo segue o seu rumo.

E se me segues tenho mesmo que explicar que me estou a cagar para os penálties do Jardel e do Simão?

Marco Morais disse...

Alexandre,

No jogo com o Barcelona o importante vai ser tudo menos a arbitragem. Como é quase sempre.

Que a arbitragem não é competente estamos nós fartos de saber, aliás é bem difícil sê-lo. Ao contrário dos treinadores, esses sim, deveriam sê-lo e a sua maioria não o é. E olha que seria bem mais fácil para eles do que para os árbitros.

Visigordo disse...

Ora portanto, nos penalties do Porto nem sequer há hipótese de escolher um critério, mas no de Alvalade já há uns que marcam e outros que não... e tu consegues dizer isto sem te rir.

"Há provas claras de que a estrutura do Porto corrompeu ou tentou corromper, e já defendi a saída de PC do comando do clube e daí eu perceber a vossa obsessão com as arbitragens, e por mim quando ele sair é um descanso."
Então e é só assim? Prevarica-se, mas se se deixar de prevaricar já não vem nenhum mal ao mundo?
Portanto, no mundo onde vives não existe o conceito de "pena" no sentido de punição. Basta deixar de se cometer o crime e pronto, tudo está bem quando acaba bem.
Curioso como este estado de impunidade... melhor, de inimputabilidade, já chega aos adeptos.

alexandre Iº disse...

Marco,
AS questão, parece-me, continua a ser esta - consegue o FCP ganhar ao Barcelona com um arbitragem tendenciosa a favor deste? Duvido muito.
Conseguiria o Barcelona ganhar ao FCP com uma arbitragem tendenciosa a favor do FCP? Talvez, com uma probabilidade de mais de 50%, seguramente.
Portanto - a arbitragem é importante. Quase sempre.
Quanto à competência, certamente já percebeste o que penso. A arbitragem não acompanhou, e não acompanhará enquanto não se fizerem alterações profundas ao nível dos meios da sua actuação, a grande evolução do jogo a todos os outros níveis, treinadores incluídos.