terça-feira, maio 21

"Este é o nosso Dest(r)ino"

Será sempre o destino de quem ganha contra outros. Não se pode ganhar sozinho e, por isso,  de todos os lados envolvidos surgirão argumentos, mas o futebol estará sempre lá em cima à espera de quem o veja como um todo. Pelo lado 'mau' surgirá sempre a desconfiança assentada em erros normais, assim como do 'bom' surgirá sempre a estrutura e a ideologia a provarem a força do Dragão. Mas deixem-me que vos diga que não conheço um campeão que não fosse sujeito a casos e a desconfianças. A sombra do Apito Dourado ainda paira nos novos títulos do FC Porto e como bem negra que é - essa nuvem - tapa os erros próprios dos adversários. O Benfica festejou o título do FC Porto na Madeira e pagou bem caro por isso, pois a equipa de Vítor Pereira ia em segundo mas nunca deixou de fazer bem as coisas.

Arrancado a ferros! Foi talvez o campeonato ganho mais emocionante que a Alameda do Dragão festejou. A luta é agora milimétrica e não permite muitos deslizes. Mas descrentes foram aqueles que julgaram que ela não permitiria nenhum tropeção ao Campeão, e nesse grupo, Vítor Pereira - o obreiro do Tri -, nunca esteve presente. Doeu-lhe e internamente (mas nunca externamente) assumiu o erro de a equipa não ter ganho em Alvalade nem no Dragão, contra o Olhanense, enquanto que o Benfica se escapava para a tal época que já era brilhante mas que acabou por não passar de um sonho. Na Luz estavam contadas as finais e as 'montanhas' que mereciam mais atenção. E foi na pedra pequena que o percalço encarnado provou que as duas equipas eram afinal pontualmente muito mais parecidas do que se imaginava.

E teria de ser no confronto directo que a realidade finalmente bateria à porta da Liga. Os dois líderes, Jesus e Pereira, enalteceram sempre ao longo da época a identidade das suas equipas, o seu modo de treino e as virtudes que elas iam evidenciando. O Benfica era a equipa que marcava em qualquer campo e que arrasava adversários que se davam a isso. Tinha um plano B - coisa que o FCP raramente mostrou - que aparecia contra equipas que lhe mereciam mais respeito e equilibrava-se assentando nos golos que os seus homens mais adiantados iam (sempre) marcando. Já o FC Porto foi a equipa da posse e do equilíbrio com bola. As ocasiões de golo (quase) sempre foram escassas mas a eficácia, para tal facto, foi sempre positiva. A gestão foi sempre feita com bola, fosse a um ritmo mais acelerado ou mais lento e a pontuação reflectiu sempre um equilíbrio quase perfeito entre os dois estilos. Só um 'mano a mano' poderia resolver a questão e essa possibilidade projectou-se para o clássico do Dragão quando o Benfica baqueou com o Estoril e o FC Porto ficou a tão saborosos dois pontos do seu rival.

A história do confronto já por demais foi escrita e o resultado sublinhou um FC Porto mais destemido, mais campeão, apesar de esse facto em nada beliscar a belíssima equipa do Benfica nesta época. Foi aí e sempre será que se fez o campeão, mas à luz, com legitimidade, vêm também todos os casos que envolveram as duas equipas, visto tal confronto ser tão renhido que qualquer ponto, qualquer lance, poderia - à visão de cada um - decidir o título. Mas este é o Destino dos campeões e faz mal ao futebol português e à visão geral o FC Porto conseguir tal feito tanta vez. Como podem os benfiquistas ver o outro lado da questão? É que passar para lá da pele própria e admitir que campeonatos não se fazem num lance - como o de Maicon, na época passada, ou no de James esta época - só se consegue quando experimentamos várias vezes o tal 'outro lado' (um Lado A, talvez). Repare-se que quando o Benfica ganha a Liga a paz em relação à arbitragem cresce, como se o clube da Luz fosse sinónimo da justiça divina. Mais vezes fosse o Benfica campeão e menos razão teriam os seus adeptos em ser exageradamente conspirativos e nada produtivos. Mas haja reconhecimento hegemónico, ou não, a realidade não quer saber de quem pensa assim ou assado e só deixa levantar Taças a quem faz mais por isso. O FC Porto continua a ganhar porque continua mais forte que Benfica e Sporting e isso é uma realidade quer seja geralmente reconhecida ou não. E que esta época tenha sido por um Tri(z), em nada muda isso.

25 comentários:

Tasqueiro Emigrante disse...

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=_spJoLOtqHs#!

Pulha Garcia disse...

Marco, não me leves a mal, respeito muito os adeptos do FCP (muitos deles meus amigos), agora não vejo grande mérito nas vitórias de um clube condenado por tentativa de corrupção e associado de forma tão clara, através dos seus dirigentes dos últimos 30 anos, a corrupção na arbitragem. As escutas por exemplo são claras e nunca ninguém ouviu o Pinto da Costa a dizer que não era a sua voz na gravação ... Só veste a carapuça quem quer. Para mim desporto envolve mérito e trabalho, não me parece que tenha sido o caso do FCP.

Na minha opinião, que é só a minha opinião, os títulos do Porto não só não valem nada como deviam ser devolvidos. Não se pode misturar verdade com mentira - corrupção com Mourinhos e Decos - e esperar que daí para a frente o que surja não seja também uma mentira. As equipas que o FCP tem tido são o produto de uma mentira continuada e um motivo de vergonha para o País.

Pedro disse...

És o melhor da blogoesfera mas, no fundo, não deixas de ser um adepto do fcp.

:)

Marco Morais disse...

Pulha Garcia, compreendo e refiro isso no post. Não espero, também, que a compreensão seja mútua. Nada de grave =)

Pedro, nunca escondi que sou portista. Como adepto o Benfica não me atrai, também não o escondo. Há é coisas mais importantes do que a minha preferência clubística.

Sei que visitas vários blogs - encontro-te por lá várias vezes - e verás que há sempre quem dê mais primazia a alguns factores do que a outros. Uns forçam na táctica, outros na arbitragem, outros nas manobras exteriores, etc. Enfim, é futebol e não quero que a minha visão seja mais do que a dos outros. Continuarei a dá-la não escondendo que sou portista porque penso que em nada prejudica as ideias que tento explicitar.

Um abraço!

Hugo disse...

Marco,és a favor ou contra a continuidade de VP?
Por mim, face aos resultados é difícil não lhe renovar o contrato mas por outro lado, não me agrada nada o tipo de futebol praticado .

zorg disse...

Eu acho que entre duas equipas tão equilibradas em termos de desempenho no campeonato, o que acabou por ser decisivo foi o factor sorte.

Não compro a teoria do Porto mais forte, ou com mais mentalidade e não acho que o resultado do dragão - que acabou por ser decisivo (ao contrário do que JJ e eu próprio pensávamos) - tenha reflectido o que se passou durante o jogo.

Repara que se fosse ao contrário e o Benfica tivesse saido do dragão com o empate e sido campeão, também se poderia falar no factor sorte que o porto não teria tido, ao falhar os penalties, por exemplo.

Acho é que - e é aí que discordo de ti, Marco - os resultados em futebol dependem da qualidade e da competência, mas também da felicidade.

Acho que o Benfica foi a equipa mais forte este ano no cômputo geral mas, em parte devido ao seu bom desempenho europeu (que o Porto não teve), do excelente desempenho do Porto no campeonato... e da falta de sorte, acabou por não conseguir ser campeão.

Acontece, é futebol e, se tivesse sido ao contrário, poderiamos dizer o mesmo.

cincoAzero disse...

"clube condenado por tentativa de corrupção "
onde ??

pelo Ricardo Costa ???

Que tribunal nacional ou internacional (TAS) procedeu a essa condenação ?
Que tribunal imparcial procedeu a essa condenação ?

cincoAzero disse...

Que mérito se pode atribuir a clubes que só à conta deste tipo de lances conseguem ser candidatos a títulos ?

http://oantilampiao.blogspot.pt/search/label/Liga%20Capela

http://oantilampiao.blogspot.pt/search/label/apito%20vermelho

Peyroteo disse...

O Porto foi campeão pela incompetência do Benfica numa altura decisiva mas sobretudo porque foi de uma regularidade impressionante. Quer dizer, fez um campeonato sem derrotas. Isso diz muita coisa, mesmo num campeonato como o nosso. O Sporting perdeu 10...
E tem um excelente treinador, cujo valor não é devidamente reconhecido. Comparam muito com a época de Vilas Boas mas será que o Vítor Pereira, que era o adjunto, não foi decisivo para alcançar tudo aquilo? Por alguma razão o Pinto da Costa o nomeou treinador principal.

Peyroteo disse...

Parece que o James e o Moutinho viajaram hoje para o Monaco

Pulha Garcia disse...

Marco,

não está em causa a grandeza do FCP que já tinha sido campeão antes de Pinto da Costa. Está em causa a forma como o FCP construiu equipas ganhadoras nos últimos 30 anos. De qualquer forma, fico feliz pelos meus amigos que são adeptos do FCP. Só se vive uma vez e se ficam felizes tanto melhor. Abraço a todos.

luis disse...

Peyroteo,

isso não parece ser uma notícia muito boa para o Sporting.

O FCP tem de pagar 25% sobre as mais-valias que fizer com uma venda do Moutinho.

Mas o que me parece estar a "nascer" é uma venda em conjunto, ou seja, imagina:

O Moutinho valerá hoje, 30M
O Jamez, 35M

Ou seja, o Mónaco pagará um total de 65M.

O problema é que o FCP vai dizer que o Jamez foi vendido por 45M e o Moutinho por 20M.

Ou até menos.

Antonio Silva disse...

O problema é que o FCP vai dizer que o Jamez foi vendido por 45M e o Moutinho por 20M.

Dizes tu. Podes ter razão, a ver vamos.

Peyroteo disse...

Pois, pode acontecer, mas isso vai certamente envolver jogadores. O Sporting quer, e muito bem, porque é o melhor jogador daquela equipa,o Josué do Paços. E qualquer negociação passa pelo Porto, que tem 50% do passe.
Ou seja, vai ser um negócio complexo, mas acredito que Bruno de Carvalho não se deixará "comer" tão facilmente como o Bettencourt e o Godinho. Vamos ver...

luis disse...

Não é bem "deixar-se comer". O acordo está feito naqueles moldes. Se o FCP quiser, pode fazê-lo, penso eu.

Não comentei isto insinuando que haveria alguma ilegalidade.

Peyroteo disse...

Acho que sim, que pode. Quando falo em "deixar-se comer" é numa possível negociação do valor correspondente ao Sporting, talvez envolvendo jogadores.

Pedro disse...

Marco, quando falei em "não deixas de ser um adepto do fcp" não tinha a ver com a tua qualidade de blogger mas sim q , por, no fundo, seres adepto do fcp, tentas ignorar as particularidades do nosso campeonato.
:)

Só isso.

luis disse...

Mas Peyroteo, o FCP vai fazer um negócio que é vantajoso para o SCP? Ou que deixa de ser mais vantajoso para o FCP?

Peyroteo disse...

Não, o Porto vai sempre tentar defender os seus interesses. Mas acredito que o Porto não vai ter a lata de vender o Moutinho por 11 milhões e deixar o Sporting de mãos a abanar. Quer dizer, até acredito :)

luis disse...

LOL pois.

Peyroteo disse...

Até porque o Porto deve ter interesse em despachar alguns jogadores excedentários e tentará isso como moeda de troca.

zorg disse...

Peyroteo, a regularidade do Benfica não foi menos impressionante. Também teria feito um campeonato sem derrotas (e isto, com um desempenho substancialmente melhor nas outras competições), não tivesse tido azar no jogo do dragão. Mas isto é chover no molhado. O campeonato está entregue e a uma das duas únicas equipas que o merecia ganhar.

Marco Morais disse...

Pedro, muito me escapa e não sei tudo obviamente.

Ignorar não me parece que ignore. Se o Porto é campeão por causa dos árbitros? Sinceramente, não me parece.

Se o Porto - pela mão do seu presidente - teve contactos 'particulares' com árbitros? Sim.

O que eu não acho correcto é os benfiquistas, na sua maioria, fazerem parecer que o critério dos árbitros é igual para o Rio Ave/Beira Mar/Estoril/Académica e para o Benfica.

E nem pergunto se é ou não. O jogo de cintura como se analisam lances já-me explicou tudo muita vez. A Lei é tão vaga que dá para explicar como se o Benfica nunca tivesse sido beneficiado na vida.

Já agora, quando foi, foi porquê? Erro humano? Erro intencional? corrupção?

Quando acontece essa raridade, do que se trata afinal? Repara que quando o Benfica ganha, os adversários surgem com coisas muito similares. Para mim só muda a cor e o futebol jogado.

Marco Morais disse...

Hugo, acho que merece nova oportunidade. Mais do que a própria conquista do campeonato, interessou-me a preponderância do VP na maneira como foi conquistado.

Parece-me ter margem para evoluir e não parar de surpreender. Mas ainda não é um valor totalmente seguro.

Francis disse...

Não tenho a minima dúvida que se puder O FCP vende o James e oferece o Moutinho. Só por causa das coisas.