quarta-feira, maio 15

Grita Benfica. De cabeça bem levantada.

Fomos melhores mas perdemos. Os jogadores deram tudo o que tinham e o que não tinham. Obrigado por fazerem sonhar milhões de pessoas. Sinceramente, foi das derrotas menos dolorosas, apesar do aparente drama. Quero, e queremos, mais destas vidas em campo.

Ganhar nem sempre é possível. E temos de aprender a viver com isso. É futebol e, apesar do desalento, é bonito, assim.

De cabeça levantada. Com muito orgulho nestes jogadores e nos adeptos.

29 comentários:

Pedro disse...

És enorme Luis. Enorme.

jose garcia disse...

Mai nada!

Grande abraço a todos, e coragem

Jorge Borges disse...

Hoje "só" o resultado nos pode deixar tristes. Enfim, talvez o mais importante a curto prazo.
Mas os jogadores equipa técnica e os adeptos foram enormes. Fizemos tudo.
Descomunal injustiça. Mostrámos que temos futebol para estas andanças. É isso que me consola neste momento.

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

o benfica vive de vitórias morais e daquelas de à 50 anos atrás. que tristeza oh... duas já lá vão, só falta uma. chuta meireles!

Filipe disse...

Que se lixe a vitória moral. Ganhar nem sempre é possível, mas já vamos em 3 jogos seguidos sem o fazer.

luis disse...

Filipe, não sei bem o que é isso de vitória moral. Os jogadores foram o que eu espero que sejam sempre: esforçados, com classe, benfica pelos poros. O resultado, depois de tanto suor, deixou-me orgulhoso.

O balanço ainda não pode ser feito. Aguardemos.

Esta época já foi das melhores que tivemos. Queremos mais, claro. Mas esta época, este jogo, repito, deixa-me feliz. Fez-me lembrar o Benfica do terceiro anel.

Filipe disse...

«Mas esta época, este jogo, repito, deixa-me feliz»

Perder nunca me deixa feliz. Não percebo este tipo de atitude. Esta época deixa-te feliz?

luis disse...

Epá, sinceramente, sim. Esta época. Dissociando-a das duas anteriores, sim, definitivamente. Como não? É um óptimo prenúncio para coisas melhores, como foi a primeira época de JJ. Se vai acontecer não sei...

Quando digo feliz não é propriamente andar a berrar de felicidade, como compreenderás.

Feliz porque sinto orgulho na equipa e encaro o resultado com naturalidade. Foi apenas um jogo de futebol, lindo para os vencedores. O adversário também conta.

Filipe disse...

Luís, tudo bem, este jogo não me deixa feliz mas nãos me deixa particularmente desgostoso.

Agora a época é mais do mesmo: falhar nos momentos decisivos, incapaz de vencer um adversário competente. Ao contrário de ti vejo o futuro com pessimismo. E a fanfarronice do JJ, a falar dele em vez de se limitar ao clube, a falar de finais da CL quando ainda nem a EL tinha ganho.

luis disse...

JJ é o que tem sido, este ano mais comedido, não sei por obra de quem. Gostei, no geral, do desempenho da equipa, com qualidade e humildade.

Tens razão nos momentos decisivos. Não sei o que pensar ainda em relação à sua continuidade.

Mas uma coisa é certa: o clube não acaba sem ele.

Pedro Almeida disse...

A grande questão é, conseguirá um treinador tão experiente e convicto das suas próprias capacidades mudar e corrigir os erros que se vêm ano após ano?
Não me parece.

Falta aquele pequeno salto qualitativo para chegarmos ao patamar do Porto, duvido que seja o JJ a concretizá-lo.

E veio a confirmar-se o desastre que foi o jogo com o Estoril, com estes jogadores descansados no jogo do Dragão, pelo menos tinham aguentado fisicamente este jogo todo.
Com os jogadores quase todos arrebentados temo que a final da Taça se torne complicada.

AR C disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filipe disse...

Morando no norte, a diferença de atitude dos adeptos é notória.

O FCP empata um jogo a meio da época, com azar (falhando um penalti), e os jogadores têm que fugir dos adeptos. O treinador, campeão no ano anterior, é insultado e pedem o seu despedimento imediato.

O Benfica empata o jogo que quase daria o titulo em caso de vitória, os adeptos (a maioria, sobretudo no sul) incentivam a equipa e apoiam o técnico, fala-se em renovação.

O Benfica perde o jogo que permitiria celebrar o título, os adeptos incentivam a equipa e apoiam o técnico, fala-se em renovação.

O Benfica perde uma final europeia, os adeptos incentivam a equipa, apoiam o técnico, falam em renovação, dizem-se felizes e que está a ser uma grande época.

A minha conclusão é que a malta do sul é doida.

Marco Morais disse...

Luís, só agora vi a msg. Mandei mail para o endereço que tenho teu =)

Médio Ofensivo disse...

Este artigo escrito hoje por um Benfiquista é a "cópia fiel" de um artigo escrito por um Sportinguista em 2005.



Mr. Shankly disse...

"O FCP empata um jogo a meio da época, com azar (falhando um penalti), e os jogadores têm que fugir dos adeptos. O treinador, campeão no ano anterior, é insultado e pedem o seu despedimento imediato."

E a malta do sul é que é doida? Eu acho que não. E a prova é que o PC, que não é doido, não despede o treinador.

Estou de rastos, mas é óbvio que estamos no caminho certo. Não vamos ganhar nada? É a vida, os outros também jogam, o Porto é uma equipa do nosso nível (coisa que não podíamos dizer há 3/4 anos) e vamos perder o campeonato se calhar por um ponto, por um minuto. O Chelsea tem um jogador que custou mais que o nosso melhor onze, tem dois jogadores que veio cá buscar a peso de ouro e a nossa estrela era refugo lá. Mesmo assim só ganharam nos descontos (nem entro pela conversa do justo ou injusto). É preciso não perder a cabeça, se perdemos dois títulos por pormenores, podemos ganhá-los assim de futuro. Jogamos bem à bola, ontem fomos corajosos frente ao Campeão Europeu. Estou triste, mas foda-se, há 4 anos estava triste e sem esperança. Como diz o luis, cabeça levantada, é doloroso mas não é vergonha nenhuma. Em relação a anormais que vêm gozar o prato hoje, desprezo. Vivem noutro mundo, do qual nem me quero aproximar.

Hugo disse...

De acordo, merecem andar de cabeça levantada

Filipe disse...

Mr Shankly, mas o treinador e jogadores sentem a pressão, sabem que o insucesso não é admitido. No Benfica perde-se e levam palmadinhas nas costas. Não se exige nada,

Peyroteo disse...

Abraço, Luís. Há jogos assim, em que se faz tudo para vencer mas, no final, não chega. É fussbal!

Pedro disse...

Shankly é tudo muito bonito mas nos tempos do Grande Benfica um empate na Luz e os jogadores saiam do estádio da levar uns calduços. E não deixámos de vencer por isso.

É bonito e justo a recepção feita à chegada dos jogadores. Nada a dizer. Mas perder o campeonato da forma que se perdeu é outra conversa.

Não podemos sistemáticamente perder e andar a dizer que estamos no caminho certo. Estar no caminho certo é vencer quando isso está ao alcance.

Uma coisa é recuperar terreno...deixa de ficar a 15 pts do primeiro lugar para passar a morder os calcanhares aos gajos até ao fim. A partir do momento em que se o ultrapassa em todos os momentos do jogo e competição não é aceitável que se perca tudo na ultima curva. Inaceitável.

Isto já não é estar no caminho certo..é deitar todo o trabalho fora.

É ainda muito a quente...não sei o que pensar para o futuro do SLB. Tenho lido muita coisa muito bem escrita q me tem feito pensar, tenho ouvido declarações q me têm feito pensar mas não me venham com essa conversa do bom caminho. Há muito que ultrapassámos esse bom caminho. Bom caminho é vencer quando se ultrapassa o adversário.

luis disse...

O problema maior do Benfica é estrutural. Quem melhor para passar essa exigência do que um staff técnico e dirigente? Se tivermos um Presidente que exija, em vez de estar no Brasil no dia do jogo mais importante da época, as coisas só podem melhorar.

O treinador é mais resultado da classe dirigente que, como se tem visto, é muito fraquinha.

A pressão adepta continua a existir.

Ficamos todos tristes com as derrotas mas não me parece que capitalizar essa tristeza em violência (porque é disso que se trata) nos torne mais fortes.

A maioria dos adeptos de todos os clubes são pessoas normais, que sofrem com o clube mas que, no fim, vão para casa, para o emprego, para a família.

Normalmente, quem persegue jogadores, quem incendeia carros e autocarros, quem rebenta petardos, quem agride jogadores, é gente que, sinceramente, apenas desvaloriza o futebol.

Peyroteo, grande abraço!

Marco, não recebi nada. Estás a falar do mail do yahoo?

Mr. Shankly disse...

Pedro, é futebol e os outros também jogam. Ultrapassámos o Porto, e eles também nos tinham ultrapassado a nós. São duas equipas muito iguais, e eles ganharam por uma unha negra. Dói, e é mais fácil mandar todos para o caralho. Mas é pouco produtivo.

Calduços, carros incendiados, perseguições na autoestrada e ameaças de tiros nos joelhos? Não me revejo nisso. Se é isso que é preciso para ganhar, prefiro perder.

Pedro disse...

Não me parece que se possam comparar calduços que deviam estar entre aspas com tudo o resto.

Calduços eram manifestações de desagrado...ainda estive em algumas. Ainda me lembro de empatarmos 1-1 com o Estrela em casa antes da ida a Alvalade em 93/94...ouviram das boas quando sairam com os popós e não foi por isso que deixaram de fazer um resultado histórico.

Agora parece que estão numa redoma de cristal que não se pode apontar critica alguma.

Não é bater ou incendiar. Mas sim exigir. Demonstrar q nesta casa não vencer é uma calamidade (jogos como o de ontem à parte).

luis disse...

Concordo com a exigência, aliás, tenho defendido isso mesmo. Este ano, parece-me, o nível subiu mas continua a faltar qualquer coisa.

Só discordamos na forma como essa exigência deve ser alcançada.

Eu acho que não é com "calduços". Acho que é com um cultivo constante daquilo que é a essência do clube, feita através daqueles que convivem diariamente com os jogadores.

Imagina esta situação: achas que um jogador se sente mais "obrigado" a correr por ser ameaçado por um grupo de gajos excitados, ou que esse jogador vai correr mais se tiver a oportunidade de conviver com adeptos normais, daqueles que vibram, que choram, que dão muito da sua vida ao clube?

É desta última forma que podes mostrar a um jogador que deve sempre "correr" um pouco mais.

Mr. Shankly disse...

Pedro, OK. Quando falei em calduços, perseguições, carros incendiados era para te responder a ti e ao Filipe, que acha que eu sou maluco por não fazer isto. Claro que são coisas diferentes. Manifestações de desagrado são normais e desejáveis, dentro do civismo. Os futebol existe por causa dos adeptos, e eles têm o direito de se queixar.

Estou de acordo que não vencer é uma calamidade. Quando falo no caminho, falo numa evolução positiva que acho que é indiscutível. Estamos lá? Não, não estamos. Queremos mais e melhor. Queremos finais de 5 em 5 e não de 20 em 20 anos. Queremos títulos todos os anos. Mas avançámos, e estamos a criar bases para esse sucesso. Aliás, as bases estão criadas e só não obtivemos títulos porque fomos batidos por equipas com recursos superiores aos nossos e tivemos manifestamente azar. O futebol é assim e a nossa obrigação é sermos sempre competitivos. Agora, ganhar por decreto não sei como se faz. Aliás, sei mas não quero.

Pedro disse...

Não é ganhar por decreto. É não desperdiçar as oportunidades q temos para ganhar. Se ontem foi futebol q tantas vezes se repete já os titulos de campeão nacional que deixamos fugir nestas duas épocas não podem ser postas no mesmo patamar. Não é perder pq o adversário foi superior. É perder por erros próprios. E é isso q me incomoda. Pq são erros que se podem resolver e corrigir e não vejo isso acontecer.

Não me lembro se foi em 93 ou 94 ou 95 mas lembro-me de na Luz aparecer uma faixa "Será que vale a pena?". No final do jogo o Paneira foi pedir desculpa aos adeptos por a coisa não estar a correr bem. Aquela faixa, enorme, cumpriu o objectivo. No jogo seguinte, no Restelo, apareceu a faixa "tudo vale a pena quando a alma é benfiquista".

É isto que se pede. Tal como quando vencemos a Taça da Liga ao Paços e uma falange de apoio criticou e não aplaudiu. Fazer sentir q aquilo não apagava a paupérrima temporada. Exigência. Sem violência obviamente.

Luis, não sei responder à tua pergunta. Vendo a forma como os azuis encaram os jogos contra nós não sei, sinceramente, o que tem melhor resultado.

Mr. Shankly disse...

Pedro, esse "desperdício" foi perder em casa do maior rival nos descontos. Se tivessemos empatado eram eles que falavam em desperdício do maior orçamento de sempre. Repito, não jogamos sozinhos e mesmo perdendo este campeonato, não fomos piores que o Porto. Foi muito igualado e decidido em pormenores (tal como se eles o perdessem diriam que desperdiçaram pontos na Madeira e com o Olhanense porque o Jackson falhou penalties). Toda a gente desperdiça, e ganha quem desperdiça menos, embora seja óbvio que o nosso desperdício aparece na fase mais dolorosa. Mas é futebol.

Miguel disse...

O Benfica está a fazer a época perfeita: 3 finais nas 3 competições a eliminar. Lutar pelo campeonato até ao ultimo jogo.

Pode até nem ganhar nada, mas os adeptos já ganharam. Já viveram momentos unicos.

Porra mesmo o Sporting miserável do ano passado nos deu momentos de adrenalina como os jogos com o City, Bilbao, etc e a final da Taça. É para isso que vivemos, para esses momentos em que nos sentimos importantes.

Os titulos são o que eleva os clubes à grandeza. E aí, de facto, o benfica pode passar ao lado de uma oportunidade muito dificil de repetir.

E é injusto para Jesus, sem duvida o melhor teinador dos grandes cá do burgo nos ultimos 4 anos.

Quanto às picardias e gozos entre adeptos, perdoem-me as virgens ofendidas, mas vão para o caralho. Futebo é isso também.

Médio Ofensivo disse...

Uma infelicidade maravilhosa (*)
De repente, o que estava em cima está em baixo e o que estava à frente ficou para trás.

http://goo.gl/IO80V