quarta-feira, maio 16

Espectadores

O Sporting conseguiu este ano a melhor média de assistências de sempre no novo estádio. Em jogos do campeonato, a média apurada foi de 34.493 espectadores. O campeão Porto teve apenas mais 600 espectadores em média por jogo sendo o Benfica o clube que, esta época, teve melhor média, com 42.463.

Relativamente ao Sporting, ao longo do ano, sobretudo a partir do momento em que o clube ficou "maltratado" na corrida para o título, começaram a existir promoções várias que, muitas vezes, significavam ofertas de bilhetes. Ainda nesta ultima jornada, os detentores de gamebox podiam levantar gratuitamente outro bilhete nos ticket offices.

Vejo essa medida como positiva e dou por isso os parabéns a quem assumiu que é preferível ter o estádio cheio, mesmo que uma percentagem da lotação tenha sido oferecida, do que o estádio com vinte e tal mil lugares, todos pagantes.

A força dos adeptos terá sido parte relevante na recuperação anímica da equipa que ocorreu no ultimo terço da época.

6 comentários:

luis disse...

Não concordo em absoluto.

Se essas medidas se tornam frequentes, daqui a nada não tens ninguém pagante, à espera das borlas.

É certo que mais vale ter aquilo cheio do que vazio mas há que ter algum cuidado, até porque quem paga sente que está a ser prejudicado (as pessoas pensam no dinheiro que gastaram para ali estar vs as borlas).

Eu não gosto destas medidas, prefiro medidas que instiguem as pessoas a gastar dinheiro, tendo com isso algum beneficio acrescido.

Miguel disse...

Em momentos de insucesso desportivo, com horários desajustados de jogos e transmissões televisivas, fica dificil explicar o beneficio de ir ao estádio...

Além de que as borlas são controladas. O Sporting tem normalmente cerca de 30 mil bilhetes vendidos no inicio da época, pelo que mais de metade da lotação está garantida à partida. O restante é ir gerindo conforme o contexto.

Além disso, a gestão tem sido inteligente. As promoções são feitas por email ou sms e as outras são ao abrigo de pretextos tão diversos como dia da mulher, dia do nucleo, dia da criança, etc

Pedro disse...

Ambos têm razão. As borlas afastam os que todos os anos compram os seus cativos. É injusto, muito injusto.

O solução passa, claramente, por redução substancial dos preços practicados. As borlas têm que ser esporádicas e bem direccionadas (escolas secundárias por exemplo ou bilhetes de acompanhante para quem tem cativos).

luissm disse...

Além de que as borlas são normalmente para os sócios com gamebox poderem levar amigos. Ou seja, são os próprios pagantes que decidem se há borlistas (podendo até cobrar uma bejeca aos borlistas :) )

luis disse...

"de insucesso desportivo, com horários desajustados de jogos e transmissões televisivas"

O primeiro é mais complicado de gerir, de facto. Já o segundo, entra precisamente naquilo que defendo.

Mudem os horários e deixem de se subjugar a interesses exteriores aos clubes. Acho que o caminho é mais esse.

Normalmente, quem vai ao estádio nessas borlas, nem sequer é grande adepto de futebol. Vão pelo evento, pela oportunidade. Aliás, o futebol é cada vez mais um evento onde as pessoas vão passear (o melhor exemplo é quando joga a selecção, onde milhares de pessoas "fingem" gostar de futebol).

Tasqueiro Emigrante disse...

Não se justificam bilhetes a 40 ,50 ou 60 €.

Deviam fazer como no cinema e fazer bilhetes por volta dos 10/15€ jogo. Assim os estádios estavam sempre cheios e sempre tinham mais receita.
Mas os salários aos jogadores e pagamentos dos dirigentes fala mais alto.