quarta-feira, maio 2

Com Vítor Pereira se cantou Bi mas não Bis

Fácil? Difícil? Pouco parece interessar. O campeonato português foi de novo ganho pelo FC Porto o que, de novo, reduz toda a contra-argumentação a cinzas. O 'bi' conquistado pelos azuis e brancos foi uma caminhada cheia de reticências e interrogações internas, mas que prova que o clube está ainda a anos-luz dos seus principais rivais. Nesta época, até a célebre 'previsão' de que no FC Porto qualquer um ganha foi confirmada. Mas a isso não é alheia a falta de competência de um Benfica que chegou a ter cinco pontos de vantagem, para além de um futebol mais promissor a nível de estofo de campeão. Tudo isso não interessou porque a regularidade (ainda que fraca) foi maior para os lados do Dragão. O campeão festejou na Varanda um título que conta como os outros, mas que deu imensos indicadores de necessidade de mudança.

Ainda 'ontem', André Villas-Boas rumava ao Chelsea deixando toda a nação portista em sobressalto e já Vítor Pereira lhe sucedia, mostrando, logo nas primeiras declarações, uma falta de carisma gritante. Ainda assim, a decisão foi, como sabemos, aplaudida pois o técnico espinhense havia sido um interveniente directo do 'ano perfeito'.

Nesses dias, Vítor, andava na sombra e o único momento mediático que tinha para brilhar eram as longas conversas no banco com AVB. Menos mal para Vitor Pereira pois desde que André rumou a Londres ele teve de aparecer de mais, o que não lhe foi nada favorável. Convenhamos que a missão já não era fácil, mas VP tornou-a, com uma falta de experiência e de aptidão gritantes, ainda mais difícil.

Todos recordamos as tentativas de um discurso autista que me fez pensar que o técnico era adepto das novas teorias 'New Age'. O técnico foi 'fingindo' que o Porto jogava bem, que esmagava os adversários, que a equipa era tão boa quanto a do ano passado, mas os resultados, e o futebol aos tropeções apresentado, iam-no desmentindo. As eliminações foram uma constante e no Campeonato a equipa revelava uma apatia que intranquilizava o adepto mais positivo. A juntar a isto, o 'onze' titular nunca estabilizou e parecia que as experiências só iriam acabar com o ansiado despedimento do técnico. Mas a isto a direcção fez ouvidos moucos e Vítor Pereira lá se foi mantendo a tempo de beneficiar de vários desaires encarnados que passaram a 'batata-quente' para o lado vermelho da 2.ª Circular.

Torna-se aí extremamente difícil escrever algo sobre o bi-campeonato e não dedicar várias linhas ao insucesso da equipa de Jorge Jesus. Os encarnados chegaram a estar com cinco pontos de vantagem sobre os portistas mas em três jornadas deitaram tudo a perder, sendo que uma delas tem a agravante de ser contra o seu adversário mais directo e, para não variar, em casa.

Soou o alarme vermelho e Jorge Jesus, que já ano transacto havia sido fortemente criticado, teve de se haver com a ira dos adeptos. Um pouco como o futebol encarnado, capaz do melhor e do pior, o técnico andou inconstante desde que deitou o 'dossier' da época 2009-2010 para o lixo, forçando a equipa a jogar de uma maneira que expôs de maneira incompreensível a baliza de Artur. O equilíbrio outrora logrado por Ramires há dois anos que é uma miragem, e o Benfica sofre, e de que maneira (!), com isso.

Ainda assim, Jorge Jesus pensou que para o FC Porto de Vítor Pereira chegava. Ainda assim, eu também pensei (como aqui deixei escrito antes da série negra de 3 jogos do Benfica) que chegava. Mas Pinto da Costa pensou que não e o tempo lhe deu, mais uma vez, razão. Resta agora saber o que o líder portista quer para o futebol do clube na época que vem. Os indicadores foram claros e o futebol de Pereira também.

Serviu para ganhar um título em que a incompetência rival foi pedra basilar e serviu para perder de forma clara outros quatro. Para o ano não há indicadores da competência dos rivais, nada se sabe sobre o Benfica e nada se sabe sobre os Sportings (incluo, obviamente, o de Braga), mas olhando interiormente já se sabe: futebol fraco, decidido pelos jogadores, e sem autoritarismo e qualidade suficientes para novas épocas de sorriso nos lábios.

Deu para ser campeão numa Liga fraquíssima. Mas o meu Porto é europeu e, não tendo necessariamente de ganhar sempre provas da UEFA, tem de ter estofo!

27 comentários:

Marco Morais disse...

O blogger não está a fazer parágrafos... Se alguém do blog souber corrigir que altere, se fazem favor.

Tks =)

Miguel disse...

Off-topic: disseram-me que o Villas Boas será o treinador do Benfica 2012-13. Alguém confirma?

Tasqueiro Emigrante disse...

-Treinador de *erda
-Bons jogadores mas que não jogaram muito

E mesmo assim o Porto foi novamente campeão.
Perdeu 1 jogo nos últimos 67 que fez.
Sofrido? Nem por isso.

Os rivais ainda estão a anos-luz...mas continuam a achar-se os melhores...do mundo...

Peyroteo disse...

Liga fraquíssima mas não das equipas, certamente. Aliás, foi bem melhor que a época passada em termos de futebol jogado. O Porto fez um campeonato melhor mas tanto Benfica, Braga e Sporting jogaram bem pior na época passada. A Académica, a jogar o que jogou esta época, o ano passado tinha lutado pela Europa.
A Liga foi muito má em termos de arbitragem, o que também já é um hábito. Um mau hábito.

Tasqueiro Emigrante disse...

Peyroteo

Arbitragem muito fraca sim...todos os clubes foram prejudicados e beneficiados...infelizmente é assim.

Peyroteo disse...

O problema é que não há equilíbrio em prejuízos e benefícios. Mas olha que para vocês não é infelizmente :)

Marco Morais disse...

Obrigado a quem corrigiu os parágrafos. Muito estranho este novo blogger.

Miguel,

Duvido, sinceramente. E não é por uma questão de querer ou não querer, mas por Villas-Boas já ter dito que seria impossível treinar o Benfica.

Peyroteo e Tasqueiro,

Realmente é um mau hábito que certamente se vai prolongar. Fica sempre a dúvida com os malditos erros, que infelizmente fazem parte do futebol. E se só isso já é grave que dizer do clima de suspeição que ensombra as nossas ligas. A qualidade do jogo das equipas é e sempre será o principal indicador, mas com tantas nuvens negras a dúvida persistirá.

Cada vez menos dá vontade acompanhar a Liga Portuguesa. Este ano quase não acompanhei, daí as análises serem vagas.

Miguel disse...

A situação mais vergonhosa da Liga este ano ocorreu esta semana. O Feirense está em luta com a Académica pela manutenção e saiu beneficiado porque a U. Leiria entrou em campo com 8 elementos.

Isto é adulterar a verdade desportiva.

Mas como não afectou nenhum dos grandes...

luis disse...

Miguel, para a semana o SLB recebe o Leiria nas mesmas condições.

O Braga pode queixar-se.

No estádio do Arcos houve tudo menos verdade desportiva. Foi mais uma roubalheira daquelas, encomendada. Bastaria falar dos dois lances de penalti, escandalosos, mas foi toda a actuação tendenciosa ao longo dos 90 minutos.

Mas como não afectou o SCP... o caso mais grave foi o que aconteceu no canpo do Feirense.

Marco, limitei-me a dar espaços no teu texto. Mas este novo blogger é uma bela merda, sim. Não sei quem mudou, eu não fui.

Tasqueiro Emigrante disse...

Enquanto os sócios do Benfica não perceberem que os erros não são só dos árbitros mas também da direcção, vão continuar a perder campeonatos atrás de campeonatos.

Onde estava o Presidente do Benfica quando a sua equipa empatou contra o Rio-Ave?

Por aqui se vê o interesse que ele tem no clube e em defender-lo.

luis disse...

Tem calma rapazola. Não é preciso ofenderes quem aqui anda. És sempre apagado, ainda não percebeste?

Diz lá o que tens a dizer, mas deixa as ofensas de fora das quatro linhas.

Miguel disse...

luis, a meu ver são coisas diferentes. Vou tentar ser claro:

Uma equipa entrar em campo com 8 elementos, é deturpar as condições iniciais do jogo. Condições essas que pressupõem equivalência nas probabilidades de ganhar o jogo (dentro dos limites que decorrem de uma equipa ser melhor ou pior do que a outra).

Relativamente às arbitragens, se houver corrupção, coacção, pressão, etc, aí também existe adulteração da verdade desportiva porque tb estão deturpadas as condições iniciais.

Por isso, se achares que o Olegário foi aos Arcos "pressionado" para prejudicar o Benfica de propósito, então sim, tb houve adulteração da verdade desportiva...

Se acreditares que ele era, à partida, "imparcial", mas errou em 2 lances, no meu ponto de vista não considero adulteração da verdade desportiva porque admito que o erro do árbitro (desde que não premeditado) é parte integrante do jogo.

Senão, no limite, um canto transformado em pontápé de baliza logo aos 2 minutos de jogo ia adulterar a verdade desportiva porque o que acontecesse daí para a frente não deveria ter acontecido.

luis disse...

"Uma equipa entrar em campo com 8 elementos, é deturpar as condições iniciais do jogo."

Mas está previsto tal possibilidade na Lei do jogo. Não é, digamos, uma deturpação intencional. É algo que pode acontecer, e até está regulamentado.

Os erros dos árbitros são sempre não premeditados.... mesmo quando o Saviola é atropelado (viste o lance? tens palavra melhor?) à frente do árbitro.

Além disso, não errou apenas nesses dois lances. Mas não vale a pena esta conversa. Para vocês um roubo foi o do Paixão (e foi!). Mas, garantidamente, no Domingo nos Arcos foi ainda pior (e estranhamente não se vê metade da indignação - sendo o clube da Luz o principal culpado nisso, através dos seus dirigentes).

Pedro disse...

Marco já permites que outros administradores apaguem comentários nos teus posts?

Ou o termo "jotinha" é um insulto?

Peyroteo disse...

Desde que os administradores considerem os comentários insultuosos, podem apagar em qualquer post. Não é apenas o autor do post a fazer isso.
Eu não vi o comentário em questão mas tenho dúvidas que tenha sido só esse termo a motivar a eliminação.

Pedro disse...

Óbvio que não tinha nenhum insulto. Não preciso disso, para me fazer entender.

O "menino" luis que deve andar na casa dos 30 ainda não se acostumou a outras opiniões.

É como o tal ditado, pau que nasce torto jamais se endireita.

Jorge Borges disse...

Totalmente fora do assunto:

ups....
parece ue fui eu quem mudou para o novo blogger...
Como foi? gostaria eu de saber...
Há qui dedo obscuro. Isto foi uma cabala monta dpara me incriminar. mas vou provar que sou inocente, que quando carreguei no botão, não era eu...

A sério, acho que fui eu por causa de um mail que recebi. Mas foi sem querer. peço desculpa publicamente aos comparsas.

Pedro:
Não sei o que escreveste, mas se foste apagado é porque a coisa é grave. Modéstia à parte este blogue até é tolerante, o que não significa que se permitra insulto. A quantidade de comentários apagados é ínfima, e olha que às vezes vontade não falta (falo por mim) de apagar quem vem para aqui desconversar e apenas com intenção de provocar, sem acrescentar nada às discussões.

Villas Boas no Benfica?
Penso que a vontade é mútua. O Benfica não quer Villas Boas e Villas Boas não quer o Benfica.
Eu não quero!
Já o JJ no Porto...

Riga/V-1-Boy disse...

pessoal

que tá com problemas no novo blogger

do lado direito nas opçoes do blogger está lá
mudar para o interface antigo

clicquem e aquilo muda.

o novo blogger é info a mais, mas com paciencia dá para entender

luis disse...

Pedro, gostava que me explicasses esse teu fascínio pela minha idade. Já passei da casa dos 20 para a dos 30, não está mau. Sinto-me a crescer, mas continuas a falhar. Tiras-me anos de vida, rapazote.

Tu és um caso raro, felizmente. Apago os teus comentários agressivos e insultuosos e continuarei a fazê-lo sempre que puder.

Que és débil mental, já sabia. Mentiroso, acabei de perceber, apesar de o calcular.

Um gajo como tu, que já aqui quis ofender várias vezes colaboradores e visitantes, dizer que, como é que foi? "Óbvio que não tinha nenhum insulto. Não preciso disso, para me fazer entender." seria de cagar a rir, não fosse triste.

És um gajo que inclusivamente já chamou aos colaboradores deste blogue de "filhos da puta", "otários", "bêbados", por isso, vai-te foder mais a tua pseudo-moralidade.

Nunca te respondi, nem tão pouco te ofendi face às tuas provocações e ofensas.

És um débil mental mas eu não tenho de gramar com a tua constante má educação. Nem eu, nem ninguém que faz deste espaço uma coisa minimamente digna.

luis disse...

Obrigado, Riga, é já a seguir.

luis disse...

Jorge, agora põe-te a brincar com os botões outra vez. :)

Pedro disse...

Camarada, podes escrever o que quiseres. Aqui não insultei ninguém. E pelo menos não desço ao teu nível upa upa moral.

Agora fora daqui, já o escrevi, és um bom filho da puta. Sozinho, que os restantes elementos que aqui escrevem não te acompanham a esse nível.

Agora podes bem apagar este último comentário, mas pelo menos ficou aqui a nota.

É de coração.

Pedro disse...

P.S. Somos Bi Campeões Caralho.

Bi Campeões. Aponta ai. Bi Campeões. E por muito que escrevas e denigras a imagem do meu (e de muitos milhões de adeptos) clube, nós continuamos aqui. De pé. Sempre prontos a encher-te a cabeça de macaquinhos e fantasminhas. Mais uma vez.

Riga/V-1-Boy disse...

luis

se ele voltar a mexer , voltas a mudar para o antigo

eu pensei que ja nao dava, mas afinal ainda deu, enquanto o blogger nao me mudar para o novo e depois nao conseguir voltar para o antigo, nao mudo

luis disse...

Aparentemente vai ficar como sempre esteve, o que é bom. Se for obrigatório paciência.

E a gerência do sectorb32 agradece.

Jorge Borges disse...

prometo que vou tentar, repito, tentar, deixar os botões esquisitos em paz.
prometo, mas não garanto :) :)

Marco Morais disse...

lolol que confusão!!

Luís, o meu texto tinha espaços mas na altura de publicar não apareciam.

Jorge, eu pensei que a mudança fosse obrigatória. Não sabia que se tinha mudado por lapso, nem que dava para mudar outra vez para o antigo. Sabes bem, que nem que tivesses mudado de propósito eu levava a mal (nem tinha nada que levar, ora essa). =)

Sobre os comentários apagados, acho que também já apaguei comentários de posts não escritos por mim. Pedro, se alguém apagou é porque achou que devia apagar. Percebo a tua indignação mas terei de respeitar e confiar em quem apagou. A mim também me deram confiança para escrever e publicar sobre o que bem quisesse.