quinta-feira, setembro 15

Alguém se importava que o Fado fosse a música tradicional britânica?

Grande noite europeia na Luz na recepção ao vice-campeão europeu, Manchester United. Desta vez a 'invenção' de Jesus resultou e o meio-campo com cinco elementos conseguiu travar a maior parte das saídas dos red devils para o ataque. Seria pedir de mais que o golo de Giggs fosse evitado até porque para equilibrar o momento fantástico do galês houve a genialidade de Gaitán e a queda para o golo de Cardozo.

Se Obama fosse tão português como é americano e se fosse treinador do Benfica, neste empate contra o campeão inglês, no final da partida diria certamente o seu maior cliché. A verdade é que o Benfica pôde contra uma das melhores equipas do Mundo e a verdade é que as equipas portuguesas podem augurar exibições semelhantes frente aos melhores do futebol.

Jesus analisou bem o futebol do Manchester (será que o homem dorme sequer?) e tapou a zona que fica à frente dos centrais, onde Rooney e companhia conseguem a maior parte de lances que lhes permite gerir os jogos. Para além disso, as saídas do Manchester foram sempre bem controladas pelo meio-campo, extremamente povoado, do Benfica. E depois da perda de bola dos ingleses surgia a irreverência, e talento, dos melhores jogadores encarnados. Witsel é perfume com e sem bola, Gaitán teve, finalmente, vontade de jogar, Aimar é... Aimar, e Cardozo é abençoado no que toca ao lado mais importante do futebol.

Bem vistas as coisas não errará quem disser que o Benfica foi superior ao Manchester United, até porque certamente o foi. Mas na hora do resultado final o Benfica, e restantes equipas portuguesas, continuam a ver os números a não condizerem com as exibições. Isto porque para se equilibrar essa relação, o plano mental é fulcral.

Não será já costume (ou sina) ver equipas de topo jogar em Portugal e conseguirem o(s) golito(s) da ordem por coisas parecidas à que Giggs fez na Luz? Assim de repente lembro-me da última vitória dos red devils em solo português. E de onde lhes virá isso? Certamente do estatuto que lhes confere um lado mental extremamente positivo.

Que eles marcam, de toda a maneira e feitio, já nós sabemos, que nós também o conseguimos, isso... já duvidamos. Na retina ficam-me alguns lances em que o extremo nervosismo foi indisfarçável na hora de iniciar e finalizar alguns lances e é minha convicção que se essa barreira psicológica for ultrapassada, o United, ou qualquer outro, perder em Portugal não surpreenderá ninguém.

Pois e como se faz isso, ó Marco? Epá não sei, não sou especialista da mente, mas se temos especialistas em tudo certamente também destes os haverá por aí. Pois é certo para mim que aqui estávamos muito bem da cabeça.

20 comentários:

luis disse...

Muito bom.

Peyroteo disse...

De facto, é verdade. Em muitos jogos dos nossos grandes contra gigantes europeus os resultados não correspondem às exibições. E quantas vezes não pensamos: "foram lá uma única vez e marcaram" enquanto os nossos jogadores parece que colocam as mãos na cabeça antes de rematar à baliza.

Marco Morais disse...

Tks Luís =)

Peyroteo, é mesmo isso: 'colocam as mãos na cabeça antes de rematar à baliza'. Perfeito!

Deveria ser, sempre, 'não entrou agora entra a seguir!!!!'

Já há historial suficiente para sabermos que temos capacidade. Eles lá continuarão com os seus craques de classe mundial que compram a peso de ouro. Nos por cá formamo-los e devemos dar-lhes condições para que decidam jogos mesmo antes de chegar a colossos.

Sejamos 'sobranceiros' no bom sentido, pois em nada lhes ficamos a dever.

jamsilva disse...

o segundo golo foi fantástico.

Pedro disse...

Uma coisa que se vê habitualmente na Europa é q quando o "pequenito" jogam sem medos contra o "grande" consegue, muitas vezes, bons resultados.

SportingSempre disse...

sem querer tirar merito, porque o tiveram, se alguém merecia ganhar era o essóbé...

mas o ManUtd jogou com apenas 4 titulares (Rooney, Evra, Smalling, Carrick).

nem uma menção deste facto na comunicação social, mas provavelmente fui eu que não tive muito atento

luis disse...

É mentira, por isso é natural que não tenhas visto menção a isso.

Peyroteo disse...

Não foram 4, foram só 3. O Carrick este ano é suplente. Será titular enquanto o Cleverley estiver lesionado.

luis disse...

É isso, Peyroteo. O Evans tem mais jogos sozinho do que o Vidic e Ferdinand juntos mas não conta como titular, Park e Giggs jogaram 2 e 3 respectivamente (em 4), o Nani e o Hernandez (ia jurar que jogaram na Luz) têm 4 e 3, respectivamente, mas só jogaram 3 tituales, dizes tu.

Pensava que já tinhas compreendido que o SLB jogou com uma equipa que deixa Owen ou Berbatov no banco, constantemente.

Mas já agora, posso argumentar que o SLB jogou sem o Saviola (titular, não é?), Amorim (vindo de lesão, não é titular e deixa o campeão do mundo e da europa Cap de fora). Além disso, jogou sem o Nolito e Bruno, habituais titulares (não é?).

Epa, já viste a confusão que vai para aqui?

Titulares? Como é que sabes que o Carrick só vai ser titular enquanto o outro estiver lesionado? Sabes mais do que o Fergunson?

Mais, e para rematar, quantos dos 11 que entraram no MU tinham lugar no teu SCP? Deixa-me adivinhar "tirando o Giggs, nenhum, temos lá o Pereirinha".

Peyroteo disse...

Quando falo em jogarem, falo em onze inicial obviamente. Como é que sei que o Carrick só vai ser titular enquanto o outro estiver lesionado? Pela simples razão de que o Cleverley tinha sido titular em todos os jogos do Manchester no campeonato e o Carrick esteve sempre no banco. Tal como Park, Giggs, Lindegaard e Valencia foram titulares pela 1ª vez na Luz. Evans joga porque Vidic e Ferdinand estão lesionados.
Não sei qual é a dificuldade em admitir isto. Não diminui o empate do Benfica, nem garante que o resultado tivesse sido diferente. Muito menos percebo a razão de falarem no Sporting.

Marco Morais disse...

Titulares é um conceito lixado em Inglaterra.

No MUFC há poucos indiscutíveis e qualquer equipa que apresente tem de ser levada a sério.

A equipa que cada um de nós apresentaria, provavelmente, andaria longe daquela que subiu ao relvado, mas connosco um plantel, que nem é nada por aí além - há bem melhor até em Inglaterra -, não se aguentaria tantos jogos.

O Manchester é aquilo e já de há muitos anos que o tem vindo a ser. Muitos jogadores da 'cantera' aparecem do nada. Sorte a deles que esta fornada apresenta alguma qualidade. Já há uns anos...

Contudo não achei fraco o onze que subiu ao relvado e acho que o Benfica esteve muitíssimo bem.

Não pegaria no onze do MUFC, mas sim na relação jogos casa e fora da equipa de Ferguson. A queda de qualidade é sempre bem vísivel. Embora o Manchester consiga também bons resultados fora, o futebol apresentado é sempre pior.

O grande teste do Benfica - como de todas as equipas portuguesas - é em Inglaterra. Se o fizer bem, como no 'célebre' Velodrome cá estarei para lhes dar os parabéns. Agrada-me sempre equipas portuguesas que façam bem naqueles ambientes.

Para dar um exemplo, o último jogo do Sporting que adorei foi em Roterdão. Pena já lá irem uns aninhos.

luis disse...

Peyroteo: contra o Arsenal o Ferdinand esteve no banco. O titular foi o Evans. Mas continua a falar de cor.

Pois também me parece isso tudo, Marco.

Peyroteo disse...

Sei do que falo. O Ferdinand lesionou-se, tal como o Vidic, no jogo com o West Brom. Regressou para esse jogo com o Arsenal mas foi para o banco porque não estava a 100%, tanto assim que foi essa a explicação do Capello para não o convocar para a selecção. Foi titular em Bolton após 1 mês sem jogar e foi novamente poupado para a Luz, mas deve jogar com o Chelsea. Evans é o terceiro central.

Peyroteo disse...

Marco, é verdade, mas Ferguson até tem feito menos rotação do que é habitual. Anderson, Cleverley, Nani, Young jogaram sempre. E Welbeck até se lesionar também. Rooney é um caso à parte.

Hugo disse...

Tenho visto os jogos todos do Man Utd esta epoca e de facto o onze titular apresentado tem sido bem diferente.
Isto nao invalida que o onze apresentado seja de grande categoria e que o Benfica tenha feito um bom jogo, podendo ter ganho.

luis disse...

Acho que ainda não entendeste. A questão principal e aquela que deveria importar é que o Evans jogou nos 4 jogos do campeonato. Se isto não faz dele titular... ou seja, na Luz, jogou mesmo o habitual central. Com ou sem lesões.

Por exemplo, eu não considero que o SLB jogou com menos 4 ou 5 jogadores que costumam ser titulares e podia até fazê-lo.

O Cap não joga porque segundo JJ chegou tarde. É o mesmo argumento que usas para o Ferdinand. Não está a 100%.

Saviola joga sempre e entre Nolito e César há um titular. Além disso, O Amorim jogou vindo de uma lesão, nunca é titular. Finalizando com Eduardo, internacional português e que apenas agora não joga porque, segundo também JJ, chegou tarde (como quem diz que o Artur está em vantagem por isso, apenas).

Mas estas particularidades não vejo ninguém discutir.

Por exemplo, o Nani é um titular no MU? Eu acho que não, pelo menos no conceito que tenho de titular. Não foi titular na final da LC.

Aliás, observa a line up desse jogo e tira as tuas conclusões: Edwin van der Sar; Fabio da Silva, Rio Ferdinand, Nemanja Vidic, Patrice Evra; Antonio Valencia, Michael Carrick, Ryan Giggs Park Ji-Sung; Wayne Rooney; Javier Hernandez.

Oito (e a questão do guarda-redes).

Peyroteo disse...

Mas eu não considerei a equipa que entrou fraca ou muito mais fraca do que com os jogadores mais utilizados esta época. O Ferguson este ano tem optado por outros jogadores mas esses são válidos na mesma. Mas continuo a pensar que o "Unaite" (como diz o Jesus) poupou jogadores neste jogo. Mas é sempre uma equipa fortíssima. Sim, o Evans tem sido titular esta época. Deixa de o ser quando Vidic e Ferdinand estiverem disponíveis.

low desert puke disse...

O Capello é que deve ser estupido. Até jà mete o Smalling a titular na selecçao...

SportingSempre disse...

luis:

se achas que Nani não é titular do ManUtd está explicado porque não consegues atingir que o Fergusen descansou mais de meia equipa pa domingo com o Chelsea.

Pedro disse...

Ferguson

Ora repitam lá: F-E-R-G-U-S-O-N

Beijinhos*