quinta-feira, setembro 20

Finanças no mundo da bola: uma triste realidade!!!

À falta de posts de rescaldo sobre a jornada europeia de ontem, acho que poderia ser também interessante analisar uma notícia que, talvez pelo timming e pelo facto do foco das atenções estarem no que se passava dentro de campo, tenha passado um pouco despercebida.

Prejuízo de alguns milhões, aumento do passivo, capitais próprios negativos. Isto em ano de receitas recordes!!! Faltarão sair também as contas do Porto, mas eu estou certo (até porque os exercícios anteriores já não tinham sido famosos) que será mais do mesmo.

 Ou seja, em qualquer destes clubes, aquilo que se gasta está já totalmente desfasado daquilo que são as receitas operacionais desses mesmos clubes. Os gastos já estão tão nivelados por cima, que se não for através de avultadas receitas extraordinárias, ninguém consegue ter as suas contas minimamente equilibradas.

As do meu clube, como não conseguimos vender ninguém à séria, já estão desequilibradas há muito tempo. E acredito que seja a dura a realidade de hoje a voltar a pôr as coisas num ponto mais sustentável.

As dos outros dois grandes de Portugal, será a continua capacidade em continuar a vender como venderam nos últimos anos. Seja como for, é da minha convicção que mesmo o futebol em Portugal deveria um dia ajustar-se aquilo que é a nossa realidade actual e não andar em costantes fugas para a frente.

9 comentários:

luis disse...

Quem é que alterou o esquema do Blogger? Se puder voltar ao modelo anterior, agradecia.

Miguel disse...

A mim parece-me tudo igual.

Quanto ao post:

- no Sporting foram 45M de prejuizo.

- no SLB com as vendas Coentrão e Roberto, mais os 1/4 da champions, mais as receitas record de 91M, foram "apenas" 11m de prejuizo. O que é alarmante é que foi um ano bom para o SLB. Ir longe na Europa, fazer 40M em vendas, disputar o titulo... e mesmo assim o clube aumentou o buranco em 11M e o passivo em 50 milhões.

Justificações? Má gestão?

J. disse...

E ainda falta saber o Porto que também vai ser interessante.

Eu não acho que seja má gestão.
É mesmo uma politica declarada viver bem acima daquilo que é a realidade de um clube, sob o pretexto de chegar aos títulos.

Depois se não se chega, é que já é outra conversa...

luis disse...

Má gestão? Aonde, pá?

Está igual? Na parte da edição dos posts, está igual?

Miguel disse...

Viver acima das possibilidades é má gestão, como o comprova a realidade miserável de Portugal.

N.T. disse...

Má gestão, obviamente, e situação preocupoante.

Mas Miguel, sem rejeitar o que dizes, as vendas deste defeso aind anão contam para estas contas. Só entram no próximo balanço e resta saber que valores entram, não só pelo que se distribui por terceiros, mas também por estarmos perante pagamentos faseados.
Mesmo o Coentrão, no caso do Benfica, não sei se já está todo contabilizado. No anterior semestre recordo-me que só surgia parte da verba (à volta de um terço) nas mais valias. O restante era alocado nos empréstimos ao abrigo de uma operação de factoring que garantia os pagamentos futuros do Real.

N.T. disse...

Mas pode, e deve-se, sublinhar que o Benfica terá recebido cerca de 22milhões de euros de receitas da UEFA após a boa campanha europeia da última época.

Riga/V-1-Boy disse...

luis

em relaçao ao blogger, agora ja nao podes voltar ao esquema antigo, agora este já fica definitivo

luis disse...

Obrigado Riga, foi o calculei.