sexta-feira, setembro 21

Sporting na Liga Europa

Foi mais ou menos o que se esperava. Com um meio campo mais ofensivo, o Sporting jogou um pouco melhor do que vinha fazendo em jogos anteriores, com Izmailov e Pranjic em claro destaque. Mas falta confiança. E se a equipa estava intranquila perante um adversário chato, pior ficou com a paragem cerebral de Xandão. A partir daí, o Sporting ficou limitado ao empenho dos jogadores para segurar o pontinho. A atitude em inferioridade númerica foi boa, os jogadores deram o máximo. O que falta é arranjar um colectivo mais forte e esse é o papel de Sá Pinto, que voltou a errar na saída de Elias, quando se pedia a saída de Capel.

13 comentários:

luis disse...

Obviamente que não foi pelo erro de ontem que considero o Xandão um péssimo jogador. E anda o SLB preocupado por ter de jogar com Jardel?

O que notei mais ontem foi a pouca ligação entre jogadores e treinador. Ou muito me engano ou a partir daqui as coisas vão piorar nesse aspecto.

Em relação ao jogo, faltou tudo: capacidade ofensiva, defensiva, categoria, bom futebol.

A atitude que referes é o minimo que se exige a gajos que ganham milhões.

O SCP joga muito pouco e sinceramente, dos que ontem jogaram apenas aprecio o Elias (mais ou menos) e o Wolfs (que esteve simplesmente sozinho).

A defesa é um susto, aquele Rojo mais o Xandão, e o lateral direito. Mesmo o lateral esquerdo, não acho que faça a diferença, é igual a muitos.

O Izma, claro. Belíssimo jogador, já me esquecia. É daquele que dá ritmo e abvre horizontes ao jogo da equipa. Pena que ninguém o acompanhe.

O trinco... é fraquinho.

Acho que tecnicamente a equipa é, no geral, fraca.

Sá Pinto não tem estaleca para liderar uma equipa como o SCP. Acho que já todos percebemos isso.

Ao fim de um ano o SCP vai continuar a jogar mal e a ver-se à rasca para ganhar jogos.

No SLB, com as devidas distâncias, acontece o mesmo. O que disfarça é mesmo a qualidade de 7/8 grandes jogadores. Os resultados são melhores (em termos de bom futebol também mas é fraco para o plantel que temos) mas no fim, ganhámos uma taça da liga.

J. disse...

Sai sempre o Elias, até irrita...e quando o jogo estava claramente para o estilo dele.
Com espaço livre para correr q nem um maluco.
Espera-se agora uma vitória nos dois próximos jogos, sob a pena de ficarmos já sem treinador.

O Xandão é bom que faça estas exibições, para não termos que largar 4 milhões no final da época por ele.
Na equipa B temos lá bons centrais

Miguel disse...

O Xandão é uma merda. Já se sabia.

O plantel tem qualidade para muito mais.

Sá Pinto continua autista e a insistir nos mesmos erros. Contra 90% dos adversários, este esquema não dá.

Peyroteo disse...

Epá, o Jardel não é melhor que o Xandão, ponto final. Vá lá, são os dois maus, ainda que um tenha vindo do São Paulo e outro do XV de Piraçicaba :)

O Rojo também ainda não me convenceu. Sei que é titular da Argentina e tal mas o Boulahrouz tem sido bem melhor e o esteio da defesa. Ainda assim, o Sporting sofre muito poucos golos.
O defesa direito é bom, muito bom até. Em menos de nada será o titular da selecção.

Epá, o Sporting tem bons jogadores, principalmente no meio campo. O problema é que nem sempre jogam os melhores. O Sá Pinto tem de perceber rapidamente qual o onze ideal. Para já ainda está longe de o encontrar. Não sei bem porquê...

Mike Portugal disse...

Peyroteu,

O 11 ideal é este:

-------- Patricio
Cedric Boula Rojo Insua
-------- Rinaudo
---- Elias Izmailov
Carrillo Ricky Pranjic

Só que enquanto Boula e Rinaudo estiverem lesionados eu jogo com:

-------- Patricio
Cedric Carriço Rojo Insua
-------- Elias
---- A.Martins Izmailov
Carrillo Ricky Pranjic

J. disse...

Sim, o Cédric é um valor seguro mas ontém não esteve muito bem. Perdeu muitas bolas...
O Pranjic no outro lado esteve bem melhor.
O Capel só faz sentido se tivermos lá um gajo forte lá na frente para aproveitar os centros do espanhol.
Como tinha o Kanouté lá no Sevilha.
O problema é que o Wolfs é um pé manso. Não gosta de meter-se em confusões, e não ganha uma bola dividida, um confronto com um defesa central, nada....Só marca golos limpinhos com espaço, sem nada q interfira na jogada.
Ora contra equipas fechadas é quase impossivel que isso acontece.
Logo o holandês fica extremamente ineficaz e o futebol do Capel também e assim não marcamos golos a ninguém.

J. disse...

O Xandão no ano passado ainda tinha um certo benefício da dúvida, este ano acho que se está a confirmar que não é jogador para o Sporting.

O Rojo parece-me que anda um pouco nervoso. Não é mau jogador, mas tem também paragens cerebrais e dps leva amarelos parvos com frequência.

Miguel disse...

"O problema é que o Wolfs é um pé manso. Não gosta de meter-se em confusões, e não ganha uma bola dividida, um confronto com um defesa central, nada....Só marca golos limpinhos com espaço, sem nada q interfira na jogada.
Ora contra equipas fechadas é quase impossivel que isso acontece."


"O Xandão no ano passado ainda tinha um certo benefício da dúvida, este ano acho que se está a confirmar que não é jogador para o Sporting."

100% de acordo com o João!!

Pedro disse...

O Jardel mete dois Xandões no bolso...ai Peyroteo, Peyroteo. ☺☺

Sobre a "atitude". Muito se gosta em Portugal de jogadores que correm que nem uns doidos. Há uma altura em que o sporting com menos um pressionou o gr adversário com dois jogadores. Fossem os suiços melhorzitos com a bola nos pés e tinham dado a estocada final num ou noutro contra ataque em total superioridade numérica.

J. disse...

O Gelson já ganhou a admiração dos velhos da bancada só por isso!!!

luis disse...

É que nem vou comentar isso, ó Peyroteo!

Peyroteo disse...

É melhor, para não dizeres nenhuma asneira :)

Arlindo Tavares disse...

O JJ disse, e concordo, há poucos jogadores com 1,92m com a velocidade do Jardel. Não é um génio da bola mas em certos jogos, como em Glasgow, dá jeito. Adiante.

Ontem o Sá Pinto estava muito nervoso na Flash Interview. As justificações, apesar de terem um português elaborado (redondo, excessivo, incompreensível vá!), deveriam perturbar os adeptos. É que não se vê ali uma solução... porque nem no diagnóstico acerta.

Não são precisos catedráticos para treinar mas também só garra não chega. Aquelas palminhas de insentivo, aquele "Vai, vai", "vamos, vamos" não fazem uma equipa. Podem recuperá-la de um trauma como o do ano passado, deu moral e os jogadores sentiram que alguém os defendia mas não chega para fazer uma equipa. É pouco.