sexta-feira, abril 5

O passado recente do Sporting - entrevista de Daniel Sampaio.

Daniel Sampaio deu uma entrevista ao DN que resulta naquilo que muitos de nós já sabíamos: Godinho Lopes era o rosto da incompetência e o testa de ferro para as negociatas que tanto lesaram o Clube de Alvalade.

Aliás, todo o percurso de Godinho na presidência do Sporting foi uma vergonha. Nem vale a pena repetir o que por várias vezes aqui escrevi sobre tal personagem. Muitos não quiseram ouvir. Outros preferiram responder com ignorância.

A entrevista de Daniel Sampaio pode ser lida aqui.

Alguns destaques

Sobre a destruição dos votos

"Houve, no entanto, o episódio da destruição dos votos. Foi feita antes do prazo e comunicada pelo telefone."

"Disse-me [Godinho Lopes] que ia destruir os votos e eu respondi que tínhamos que ver." 

"Foi o vice-presidente Paulo Pereira Cristóvão que avançou para essa situação."

Sobre Paulo Pereira Cristóvão

"Tive uma conversa com esse vice-presidente que é hoje arguido e que muito me inquietou. Nessa conversa comunicou-me que espiava os jogadores."

"Veio ter comigo contando-me episódios da vida íntima dos jogadores e mostrando-me mensagens entre um jogador e a sua namorada. Posto isto alertei o presidente."

"Disse [Godinho Lopes] que todos os clubes faziam isso. Eu disse que não acreditava que todos os clubes vão ao ponto de saber as relações íntimas, e estou a falar de relações afectivas e sexuais".

"[Se Godinho sabia] Evidentemente e achou aquilo perfeitamente natural." 

"Insistimos que o Sporting devia constituir-se como assistente e encarar a possibilidade de pedir uma indemnização. A resposta foi negativa e a partir daí as relações degradaram-se."

Sobre as relações com os bancos

"Não havia reestruturação, havia projectos. A 25 de janeiro fomos recebidos no BCP pelo seu presidente, Nuno Amado, que nos disse que não havia reestruturação nenhuma." 

"Nesse dia percebemos que o principal credor do Sporting, que é o BCP e não o BES, acabava de nos dizer que não havia reestruturação nenhuma. Era uma mistificação do CD."

"Nesse jantar soube histórias espantosas. Um pequeno grupo é que designava o presidente ideal".

"E foi ele [José Maria Ricciardi] que me contou que com José Eduardo Bettencourt procedeu-se da mesma maneira; havia nomes e um grupo escolheu José Eduardo Bettencourt".

"Várias vezes nos disseram que se Bruno de Carvalho fosse eleito o Sporting acabava".

"Estou farto de sportinguistas de consoantes dobradas que deram cabo do clube".

12 comentários:

J. disse...

Eu não consigo ler estas entrevistas. Só prova que a queda do Sporting não começou com os Roquettes como muitos anda para ai a dizer.Bettencourt iniciou e Godinho rematou.

Olha agora não há nada a fazer e só resta saber se a situação é ainda reversível ou não.
Senão, acho que o mais honesto seria ir para uns distritais e começar com tudo de novo: tipo Glasgow.

Jorge Borges disse...

Acho que a última frase do post diz bem o que foi o Sporting nos último anos, e aí reside o seu primeiro problema.

luis disse...

J., o Sporting é recuperável. Não tem a visibilidade do Benfica, é certo, mas tem uma quantidade de adeptos bastante grande.

Saber explorar todo o potencial humano que o Clube tem será meio caminho andado.

Ter pessoas na liderança que queiram um Sporting forte, é outro passo importante.

Trabalhar todos os dias em prol do Clube, também.

É preciso restruturar, fazer apostas que se aproximem ao máximo do certo, não desbaratando milhões em contratos de jogadores de qualidade duvidosa, é preciso também preservar os melhores, ou pelo menos não desbaratá-los, muito menos se for para reforçar adversários.

O Sporting precisa de crédito, como todos os clubes. Se for bem gerido, escusa de começar do zero.

Peyroteo disse...

Lá vem o J. com a conversa dos distritais. Mais parece que é isso que queres, pá!
O Sporting tem a melhor formação do país e uma das melhores da Europa. Se a souber aproveitar, pode perfeitamente ser competitivo, mesmo reduzindo drasticamente os custos.
É preciso reaproximar os adeptos do clube e acho que, nesse sentido, Bruno de Carvalho está no bom caminho.

Pedro disse...

"mesmo reduzindo drasticamente os custos."

Tenho sérias dúvidas que isso seja possível. Pelo menos numa óptica de competitividade sustentada.

Os putos quando começam a dar nas vistas querem logo melhor salário. Se não dás há quem dê como bem sabes. Com formação podes e deves (não só o scp mas todos) aproveitar a matéria prima q tens e evitar gastar em contratações pouco relevantes mas muito dificilmente será possível teres um plantel com qualidade para ganhar só com jogadores da formação. E, repito, se isso acontecer, no ano seguinte metade vai embora que os tubarões europeus não andam a dormir.

Peyroteo disse...

Nem que seja numa perspectiva de apostar na formação e fazer bom dinheiro, conseguindo, com isso, melhorar a situação financeira.

N.T. disse...

J., mas se esses que referes foram colocados lá pelos bancos, há que recuar a quem deu esse poder aos bancos. E vamos dar novamente a Roquete.

J. disse...

Várias coisas que importam aqui esclarecer:

1)Mesmo se o Sporting for bem gerido e começar a dar dinheiro e a ser competitivo, tem já uma divida de quase 500 milhões que ha q ir pagando. Imaginem só em juros o que se pagará.Por isso é importante, a tal reestruturação financeiro....há que tomar a decisão se a tal divida é de facto possivel pagar e depois tomar a decisão;

2) Visibilidade do SCP ou do SLB ou de qq outro. É misturar alhos com bugalhos. Um clube tem um potencial de receitas e tem uma estrutura de custos. Resta adaptar uma á outra, de forma a nao criar desiquilibrios. O Benfica por muita visibilidade qye tivesse era altamente deficitario até chegar a gestão de activos Jesus. E mesmo agora tem que se socorrer a emitir obrigações para pagar a sua divida.

3) A aposta na formação vai fazer o Sporting mais competitivo que aquilo que é agora. E menos caro. Parece-me claro! Logo parece-me uma medida racional. Agora claro, concem esclarecer que nao vai dar para ganhar campeonatos mas pelo menos dará para estar nos lugares da frente. Apartir do momento em que os jogadores da formacao começarem a ter visibilidade, é de vender e ir esperando pela nova fornada.

Papa Francis I disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francis disse...

J, agora percebo porque é que o Luis te edita os post's. :)

J. disse...

hehehe
saiem assim comentários á pressa.
MAs está lá tudo dito!
:-)

Miguel disse...

É verdade que o João precisa de posts editados, mas no comentário das 10.55 fala claramente. E bem!

Recomeçar dos distritais só se colocaria no caso da SAD ser insolvente, o que ainda não é líquido que não aconteça, mesmo com investimento 0 e aposta na formação. Um perdão da dívida poderia, logicamente, ajudar.

Quanto ao ponto 2, tanto o Benfica como o Porto continuam a ter exploração deficitária. Sem receitas extraordinárias afundam-se. O fair play financeiro vai contribuir para nivelar esta "concorrência desleal"...