quinta-feira, dezembro 15

Don Juan de Pereira

Vítor Pereira (quem mais?) começa a marcar uma era no FC Porto. De facto é um epíteto comum dizer-se que não há má publicidade, e é um facto também que onde quer que se possa ler azul se leia também sobre o técnico espinhense. Até aqui nada de grave, pois nada se passa a mais das habituais opiniões sobre as decisões e resultados do técnico. Coisa normal no futebol mas que não deveria sair daí. Contudo, a minha 'Vítor Pereirite' é mais aguda e já me permite ver falhas do técnico em filmes, por exemplo. Shutter Island e Don Juan de Marco são dois filmes que trabalham sobre o chavão 'fake it til you get it', e se num a história do protagonista acaba bem, no outro nem preciso dizer nada.

É uma variante já bem conhecida (mas pouco explicada) da era New Age. Os efeitos placebo despertaram atenções e hoje por hoje ainda não se conseguem explicar de forma a que se possam entender. O que não impediu que várias teorias, e várias pessoas, passassem a depositar uma enorme crença nos sucedidos. Ainda não se vendem mais 'tic-tacs' que Prozacs, contudo são já muitos os seguidores da 'política' 'fake it til you get it'. O nome diz quase tudo e daí se depreende que quem 'fingir' ser o que quer se tornará imune ao que não quer.

Shutter Island e Don Juan de Marco são dois filmes que se podem considerar baseados no assunto. Os dois protagonistas (Leonardo Di Caprio em Shutter Island e Johnny Depp em Don Juan de Marco) fingem realidades paralelas para mascararem a realidade em que se encontram. Em ambas as histórias(spoiler alert!) a realidade principal torna-se secundária até ao ponto da confrontação com a realidade dos outros intervenientes. E, dito isto, é mais ao menos isso que me faz lembrar a situação de Vítor Pereira no FC Porto, a cada conferência de imprensa.

Já aqui foi amplamente discutida a forma como o espinhense comunica. De uma forma quase autista, Vítor Pereira discorre sobre como o Porto fez e aconteceu, sobre como a sua é a melhor equipa, sobre como o jogo correu inteiramente bem e por aí fora. Tudo produtos finais agradáveis... tivesse o técnico razão no que diz. De facto, Pereira, é quase um caso de estudo pois, como nos dois filmes já citados, de cada vez que os protagonistas abrem a boca tudo fica estranho à volta deles. Umas vezes pior, outra vez melhor, mas ninguém fica normal. E assim é na minha relação com as explicações do treinador azul e branco, pois indiferente nunca fico.

Depois, somam-se de um lado da barricada os fieis, que acreditam na história e são capazes de defender o protagonista com unhas e dentes, e os descrentes, os quais consideram as ideias exprimidas de uma realidade possivelmente muito distante. Mas como irá acabar esta história? Irá, pela lei da atracção, Vítor Pereira conseguir o que tanto augura? Ou estará, mesmo aí a falhar em certos pontos? É que se há algo que essas doutrinas ensinam é que os mantras recitados terão que conter energia e sentimento de acordo com o resultado que se pretende. Então, terá o 'Somos Porto', de Vítor, energia suficiente para continuar vivo até se 'transformar' em realidade? ou terá o técnico falta de fé suficiente para continuar a cabecear 'em seco' quando os seus avançados falham golos?

Encontrará este Don Juan a sua amada ou acabará com a cabeça no cepo enquanto continua a defender a sua ideia até ao fim?

Mas como isto ainda não acabou e como - embora não pareça - Vítor Pereira e eu estamos do mesmo lado, aqui fica o meu conselho: pedir ao verdadeiro Mestre da táctica (sim, Esse, o da Old Age) que lhe mostre o caminho:

E tudo o que pedirdes na oração, crendo, recebereis.
(Mateus 21:22)

Vítor já fala como se o tivesse. Menos mal, já só falta (realmente) crer e receber.

4 comentários:

luis disse...

Mais um excelente post.

Num post anterior referi a crença que alguns benfiquistas têm no futebol da equipa.

JJ dá sempre uma ajuda nas CI e fala em supremacias, domínios, controlos e brilhantismos (sim, fomos brilhantes na Madeira).

Eu estou do outro lado. Apesar de, como tu, estar do mesmo lado.

Tasqueiro Emigrante disse...

off-topic

Vejam no youtube o ataque da águia victória ao seu lider vieira...

PRICELESS :)

Joao disse...

Vítor Pereira deveria ter seguido os passos do seu mestre (André Villas Boas) teria sido o caminho mais fácil.

Interessante o percurso de Vítor Pereira. É um gajo com uma carreira académica fiável (a sua tese de mestrado sobre o futebol do Barcelona de Cruiyf foi considerada excelente), elogios nos clubes onde foi passando e o ano passado preferiu dar um passo atrás na carreira de treinador principal para ser adjunto dum gajo mais novo que ele...

O passo atrás foi uma excelente opção mas ao assumir a liderança da equipa técnica Vítor Pereira deu um passo maior que a perna...

Gonçalo disse...

Está perfeito! Antes de ler o teu post vi as declarações dele sobre as decisões de por hulk a ponta de lança e maicon a lateral e só pensava: "mas que mundo é esse em que vives, Vítor?". De facto o que escreves encaixa que nem uma luva e se a isto ainda somarmos a "teoria da conspiração" temos um caso clínico completo.