domingo, junho 17

Com Ronaldo e a sua chave ninguém fica à porta dos 'quartos'

Ele tinha de aparecer! Afinal de contas, tal como as grandes equipas não passam muitos jogos sem perder, também os grandes jogadores não passam muito tempo sem fazer o gosto ao pé. E o que define os melhores, é essa mesma regularidade. Não é a toa que Ronaldo é o único que pode ombrear com Messi, mas nos dois primeiros jogos do Euro'2012 quase toda a gente se esqueceu disso. Felizmente, Cristiano não se esqueceu de quem realmente é e liderou com classe a Selecção nesta passagem aos 'quartos'. 

Os melhores não são os melhores por acaso. Ronaldo, o português, é, sem a menor das dúvidas, um deles, mas isso não é garante absoluto de sucesso em todas as acções que faz. Mas, ao contrário dos 'coveiros' que se despacham a fazer o funeral a quem não corresponde às suas expectativas, toda a gente que realmente seguiu (e segue) a carreira de Cristiano Ronaldo sabia que ele tinha que aparecer. Até por uma questão de probabilidade era quase impossível o 7 português não demonstrar na Ucrânia, o futebol e os golos que fizeram dele ídolo nos quatro cantos do Mundo.

Obviamente, aparecendo Ronaldo tudo fica mais fácil, mas para ele aparecer tem - como já aqui escrevi desde que começou o Euro - de haver bola. Portugal entrou mais uma vez à espera de saber o que o adversário podia fazer e mais vez o soube da pior maneira: com um golo sofrido. Contudo, confesso que dei graças por o golo de Van der Vaart ser tão 'madrugador'. É que assim haveria sempre mais tempo para a já habitual reacção da armada lusitana. A partir daí, como noutras partidas, tudo mudou em questão de minutos.

Os centrais passaram a encontrar linhas de passe no meio e não na linha de fundo. A chegada à baliza pensou-se e fez-se de pé para pé com segurança, fazendo passar os holandeses muito mais tempo a defender do que os habituais três, quatro segundos, das transições lusas. E assim, claro como a água e sem grandes explicações secantes, se encontrou na Holanda uma debilidade defensiva que abria espaços a um Ronaldo que queria como nunca ser o protagonista do jogo. Estava escrito que com duas selecções que defendem mal, a que passasse mais tempo sem bola iria ter mais hipóteses de perder.

À saída para o intervalo já o empate não se justificava há muito pois a supremacia de Portugal nas oportunidades criadas, era por demais evidente. A segunda metade trouxe outro registo em muito ajudado pelo mentor do falhanço holandês. Bert van Marwijk, resolveu arriscar para um 3-3-4 que partiu uma equipa que já se encontrava bastante desequilibrada. Fez então sentido (pela primeira vez no Euro) o jogo de espera e transição de Paulo Bento. Com tanto espaço nas costas dos lentos defesas holandeses (só Van der Wiel tinha velocidade), o espaço para Ronaldo, Nélson e Nani criarem foi mais que suficiente para ampliar para números 'justos' a vantagem da Selecção Nacional.

Agora, seguem-se os 'quartos' e segue-se um adversário totalmente diferente dos adversários do 'grupo da morte'. A República Checa é na teoria um adversário mais fraco mas que pode aproveitar a dualidade que Portugal tem apresentado nos seus jogos. Neste domingo, contra a Holanda, o tempo passado a especular sobre o que o adversário pode fazer já não foi, por força das circunstâncias, muito, mas é obrigatório passar o menos tempo possível a defender contra os checos e contra qualquer equipa deste Europeu. É que o mito de que a equipa lusa defende bem, desvanece-se a cada segundo passado em 'organização' defensiva. Já a atacar, tendo a bola no meio-campo adversário, a recuperar alto e a criar oportunidades em espaços de tempo curtos, já se viu que somos bastante bons.

17 comentários:

jamsilva disse...

Entramos mal mas finalmente tivemos um Ronaldo de encher o olho.
Grande joga.

Carlos disse...

Finalmente o CR7 a surgir ao nível que a selecção necessita.
Assim é que se responde às criticas e não com referências ao Messi.
Que continue a este nível e temos as 1/2s à porta.

Muito bem igualmente o JP e o JM.

luis disse...

Obviamente, discordo contigo na apreciação a Ronaldo.

Ontem foi o mesmo de sempre, foi o mesmo do jogo com a Dinamarca: esforçado, dedicado, desejoso de facturar, impaciente, sempre à espera de fazer um sprint de 100 metros, de fazer assistências.

A diferença foram os golos. E não são apenas os golos que definem uma exibição.

Como jogador, em atitude, em concentração, em querer, em disciplina, em garra, ontem, o Ronaldo foi exactamente o mesmo da passada quarta-feira.

O problema é mesmo este: exige-se que o homem marque dois golos, faça três assistências, e mande duas as barrote. Sempre, e todos os dias. Só assim é que joga bem. Tem de ser estratosférico. Não pode ser bom, nem óptimo, nem excelente, porque tudo isso é uma merda, um não joga nada, um cagão e um mimado.

Peyroteo disse...

Não acredito que a atitude de Ronaldo tenha sido diferente. Ele estava era mais inspirado do que no último jogo, sabia que a equipa precisava dele e demonstrou todo o seu valor e podia mesmo ter marcado 5 golos.
Mas é isso, quando a equipa está toda bem, Ronaldo tem mais bola e ficamos mais perto de grandes exibições. Não foi só ele. Nani tem uns pés magistrais, faz coisas incríveis no um para um.
Para além deles gostava de destacar Pepe, Veloso, Moutinho e Coentrão.

Tasqueiro Emigrante disse...

Ontem percebi porque razão a Holanda não ganhou um jogo no Euro e porque deu goleadas nas qualificações...

Sérgio disse...

Concordo com o Luís os Sprints foram os mesmos a vontade a mesma a grande diferença foi que desta vez não falhou ... isso e o facto de a Holanda defender o Ronaldo em 1-1 ou 1-2 nunca com a Dinamarca e a Alemanha 1-2 e 1-3 na maioria dos casos.

Fico feliz senão ganhar a aposta é sinal que Portugal vai continuar a queimar etapas até à final :).

SL,

SL,

luis disse...

Sérgio,

esqueci-me de referir isso também. A Holanda foi a equipa mais fraca defensivamente (individual e colectivamente). Ontem Ronaldo e Nani tiveram mais espaço e além disso, os holandeses foram, claramente, a equipa mais macia fisicamente deste grupo.

zorg disse...

Claro que há mérito da selecção portuguesa e do CR, mas também há muito demérito dos holandeses. Foram muito fracos em termos colectivos e, contra equipas assim, é muito mais fácil encontrar espaço para jogar.

A República Checa é o oposto desta Holanda: forte colectivamente, mas sem grandes talentos individuais. Vamos ver o que acontece nesse jogo.

K disse...

a diferença como dizem foram os golos.... mas... não é isso que define? não são os golos que fazem a diferença?

a história do Ronaldo na seleção nao começou ontem. e os números nao sao os mesmos na seleção e nos clubes.

eu tb quero o Ronaldo forte. eu tb quero o Ronaldo o melhor do mundo mas para isso ele tem que definir mais vezes..

luis disse...

"a história do Ronaldo na seleção nao começou ontem. e os números nao sao os mesmos na seleção e nos clubes."

Isto é mesmo falar de cor, porra.

Então o homem é já o terceiro melhor marcador de sempre, apenas suplantado por Pauleta e Eusébio, é o primeiro a marcar em 5 grandes competições, etc, etc.

Também na selecção está sempre a superar-se a bater recordes, como faz nos clubes.

Não foste tu que perguntaste no outro dia qual teria sido o último golo de Ronaldo, ao mesmo tempo que insinuavas que já teria sido há muito tempo? Eu respondi-te: foi no último jogo a valer, no play-off, que nos deu um lugar no Euro2012.

Que mais queres? E essa insistência em comparar um jogador numa selecção e num clube é disparatada por motivos óbvios.

O Mourinho já falou muito sobre Ronaldo, talvez não fizesses mal em ler algumas dessas declarações.

"a diferença como dizem foram os golos.... mas... não é isso que define? não são os golos que fazem a diferença?"

Sim, os golos são o que fazem a diferença. Mas numa verdadeira equipa, quem os marca, é indiferente. Numa verdadeira equipa um gajo não é ofendido apenas porque não marcou um golo. O futebol é muito mais do que golos, ou melhor, do que marcadores de golos. Mas o Ronaldo até tem 34 golos na Selecção, por isso não entendo mesmo o que queres dizer.

Peyroteo disse...

Isto não é um jogo de computador. Queriam que o Ronaldo tivesse uma média de golos igual às últimas épocas no Real?
Tal como disse o Luís, não se pode comparar clubes com selecção. Acontece exactamente o mesmo com o Messi.

LMGM disse...

Os méritos e deméritos individuais em jogos colectivos sempre me irritaram. Óbvio que em todas as equipas há jogadores mais ou menos influentes mas o seu brilho será sempre maior quanto maior for o brilho do conjunto.

Grande exibição de Portugal a fazer das suas fraquezas forças e a fornecer oportunidades à sua estrela maior para brilhar.

Fazendo um esforço de memória Patricio nos três jogos que já fizemos, pouco ou nada trabalhou, defesas fáceis ou golos onde nada podia fazer. Bom exemplo da qualidade de jogo da equipa.

P.S. - Hoje fica decidido o meu futuro nas Apostas Euro 2012... estou tramado com "f" grande.

luis disse...

Sim, entre hoje e amanhã, muitos apostadores vão à vida. Mesmo assim, nos grupos C e D não há grandes diferenças de apostas pelo que vai ser difícil alguém ganhar aos outros muito mais pontos entre hoje e amanhã.

A minha grande esperança é mesmo se Portugal for à final e vencer. E mesmo assim, pode não chegar.

Peyroteo disse...

E há aqueles que vão recuperando na tabela!

jamsilva disse...

Jovens eu não estou aqui a tentar convencer ninguém de nada.
E não vim para aqui insultar o jovem ronaldo nem dizer que nao vale nada.

Apenas vim fazer uma pergunta: "porque será que o seu rendimento na seleção nao é o mesmo? Será a braçadeira, peso da responsabilidade?..."

Simplesmente Eu acho que o ronaldo nao tem o mesmo rendimento seleção/clube. É só ir ver. é factual.

E fiquei irritado quando por exemplo se verifica que 100% dos golos da seleção vieram do lado esquerdo... e que eu saiba nao deve ser o coentrao que é horrível.
Fico lixado de ver o nani a correr como um cavalo e de ver o Ronaldo na metade das vezes a olhar para o defesa a arrancar por ali fora.

Fiquei lixado contra a dinamarca de ver a apanharmos dois golos por falta de "assistência" e depois falhar aquelas duas oportunidades sozinho.

Pá fico lixado de o ouvir mandar bocas ao messi qd o gajo nao tem nada a ver com a história. Fico lixado qd portugal ganha e a impressa diz que quem ganhou foi o ronaldo. fico lixado qd portugal marca um golo e o ronaldo festeja sozinho.

jamsilva disse...

o jamsilva e o K sao a mesma pessoa. Depende so se fiz o log-in pessoal ou do trabalho

Marco Morais disse...

Jamsilve, parece-me claro que o Ronaldo tem ordens para não descer. Logo, não me parece que seja o culpado dos golos sofridos. Se PB prefere que Ronaldo fique na frente, tem de arranjar alternativa para fechar o lado que tu apontas.

Curiosamente quando pegamos no jogo, não me lembro de nenhum lance perigoso pelo nosso lado esquerdo.