quinta-feira, junho 28

Europeu 2012: Portugal.

É consensual: Portugal teve uma digna participação e, no final, fazer parte das quatro melhores selecções europeias, é um grande orgulho.

Ontem, nos penáltis, o falhanço de Moutinho deu a volta à sorte daquela lotaria que tantas alegrias já nos deu. Durante o jogo fomos iguais a nós próprios e a Espanha apenas nos foi superior no prolongamento. Afinal, são os melhores da Europa e do Mundo, e tinham de o demonstrar.

Como equipa fomos sempre humildes e sérios. Agressivos e ambiciosos. Em comparação com o Mundial foi isso que fez a diferença: querermos mais do que o mínimo. Ontem, não fomos felizes nos penáltis, mas não ficou aquela sensação horrível de ter ficado alguma coisa por fazer. Parabéns ao Paulo Bento, por ter recuperado uma selecção destroçada, com abandonos em catadupa, muitos deles mal explicados.

Individualmente:

Patrício – Não fosse o jogo de ontem e teria passado quase despercebido. Não fez nenhuma defesa difícil, não teve culpas em nenhum dos golos sofridos. Não se valorizou. Nem desvalorizou. Eu, que nem sou apreciador do rapaz, reconheço, contudo, que esteve sempre muito tranquilo na baliza, tendo transmitido grande segurança NOTA 7

Pereira – O elo mais fraco do sector defensivo, surpreendeu-me pela positiva. Tem aquele estilo pouco seguro mas fez das tripas coração, nunca virou a cara à luta e falhou pouco. NOTA 7

Alves – Não fosse o jogo de ontem e teria sido um dos melhores. Assim, foi “apenas” bom. Sempre autoritário e decidido, abusou das faltas contra os espanhóis e esteve sempre demasiado nervoso. Falhou o penálti quando não o podia ter falhado. NOTA 7

Pepe – Provavelmente o melhor central do Europeu. Falhou, talvez, no golo com a Alemanha, mas esteve sempre disponível, nunca se escondeu, arriscou, cortou espectacularmente, foi um líder e mostrou uma capacidade física invejável, para quem joga num dos campeonatos mais exigentes do mundo. E marcou um golo. NOTA 9

Coentrão – Esteve sempre igual a si próprio. Muito voluntarioso, sagaz, dedicado. Nem sempre eficaz a defender mas sempre a colocar o seu corredor ofensivo em alta rotação. NOTA 8

Moutinho – Enormíssimo. Esteve em todo o lado e sempre com qualidade. Fez duas assistências o que revela bem a abrangência do seu papel em campo. Deu tudo e merecia mais. Falhou o penálti mas nem isso manchou a sua prestação. NOTA 9

Meireles – Está lá para partir, para esticar. Foi o que fez, por vezes sem grande critério. Mas esteve sempre a um bom nível. NOTA 7

Veloso – Sendo um jogador de quem eu desconfiava muito, só posso dizer que também me surpreendeu pela positiva. Entregou-se e colocou sempre a bola no chão, com classe e tranquilidade. NOTA 7

Nani – Para mim, a grande desilusão. Não esteve mal, longe disso, mas depositava grandes esperanças no extremo do MU. Começou bem, foi perdendo gás e acabou por não marcar um golo sequer. Deveria ter sido ontem. Contudo, teve momentos de classe. NOTA 7

Postiga – Sempre o considerei um excelente jogador e voltou a não me desiludir. Apesar de parecer “mole”, é bastante inteligente na forma como ganha os espaços (ou os “cede” aos companheiros). Marcou um belo golo mas a sua prestação real foi inquinada pela lesão. NOTA 7

Ronaldo – É um orgulho nacional este rapaz. Acabou uma época de sonho, que entrou para a história do futebol mundial (que tem mais de cem anos). É uma arma letal e personifica a força, a rapidez e a vontade de vencer. É classe mundial e se fizéssemos todos um terço do que ele faz, não havia Merkel que nos fodesse o juízo. NOTA 9

Almeida – O mais fraco dos pontas-de-lança. É muito forte fisicamente mas tem pouco jeito nos pés e na cabeça. O jogo da selecção também não o favorece. NOTA 4

Oliveira – Apesar das críticas, acho que fez um bom Europeu para quem começou agora. Protege bem a bola, segura-a e passa. Nem sempre tomou as melhores opções mas ficou na retina aquele lance contra a Alemanha, no falhanço do Varela. NOTA 5

Varela – Mais um que me surpreendeu. Revelou-se um bom substituto e teve o seu momento de glória (Dinamarca), depois do momento de tragédia (Alemanha). NOTA 6

Tenho pena que Paulo Bento tenha rodado pouco a equipa. Havia algumas opções, como Quaresma, que poderiam ter dado mais à equipa.

14 comentários:

jamsilva disse...

Acho que foi uma excelente performance da equipa.

Se forem sempre sérios da forma como fomos neste euro arriscam-se a qq dia darem uma alegria ao pessoal.

Concordo com a avaliação dos jogadores que fizeste exceto no Patricio. Vi duas defesas muito grandes durante este euro.
Uma contra a alemanha, nao me lembro o minuto e outra ontem no prolongamento que evitou que a coisa ficasse logo por ali. E nunca comprometeu.

luis disse...

A nota do Patrício está obviamente em baixa não por culpa dele, que teve pouco trabalho. Não me lembro dessa defesa contra os alemães.

Mas esteve sempre seguro e nunca comprometeu, realmente.

J. disse...

Fomos muito bons, mas nao fomos os melhores.
Oxala,fosse smp assim!!!
Se estivesse em Portugal, iria receber estes jovens ao aeroporto pelo excelente comportamento que tiveram.

Virgílio disse...

Mt Bem! Nd a dizer dos nossos rapazes. Foram bravíssimos.

Custou mt perder contra a espanholada nos penalties. O dia de hj trouxe sentimentos ambíguos, a azia, mais da derrota que da jarça de jolas, e o orgulho numa selecção que lutou sempre nos limites e alcançou um lugar de destaque neste EURO. Mais uma vez ficamos nas meias-finais, mesmo a um passo de repetir a final de 2004 e voltar a jogar um jogo de título internacional. No único que fizemos, ficou-me atravessada a derrota contra os gregos. Sabia bem repetir esse feito, sevia de catarse a uma situação ainda mal resolvida na minha mente... :P

Veremos se conseguimos chegar ao Brasil... Dps de apurados td pode acontecer, até descobrir o caminho da vitória! Fomos talhados para corresponder em fases finais com 2 excepções que confirmam a regra: Saltillo e Coreia, onde a (des)organização deitou td a perder...

Não vou fazer destaques individuais. Apenas acrescentar q nenhum jogador me desiludiu. Claro que uns me provocaram maiores alegrias e tb zangas, com o gde capitão à cabeça neste grupo. Foi um CR de sonho contra Holanda e Rep Checa, e desinspirado contra a Dinamarca. Nos restantes desafios esteve apenas... mt bem, o que para o CR é pouco. Ele habituou-nos mal :)

Resta agradecer: obrigado por tanta emoção, rapazes!

Pedro disse...

Coentrão tem que, no mínimo, estar ao nível de Ronaldo e Moutinho.

Acho injusto dares 7 ao Nani e 8 ao Coentrão...

luis disse...

J., se estivesse desempregado também lá ia.

Virgílio, isso tudo.

Pedro, o Nani esteve muito bem, mas faltou-lhe um golo, que seria ontem.

O Coentrão foi dos melhores mas um nadinha abaixo daqueles três. Mas pronto, talvez o 9 lhe ficasse bem (as notas são relativas, apesar de as achar justas).

Visigordo disse...

Mais injusta parece-me a equivalência de notas entre Nani e Postiga.

Virgílio, fazias como eu que passava-te logo a azia: aumentavas no número de jolas á proporção que o sentimento de frustração ia subindo ;)

luis disse...

Postiga marcou e foi importante, por exemplo, no primeiro golo de Ronaldo frente à Holanda.

Nani tem muita classe, tentou, mas acabou por não deixar a sua marca.

Possivelmente, Postiga, sem a lesão, poeria até merecer um 8... ou um 6.

Jorge Borges disse...

Sem desprimorar nenhum dos outros, acho que o Pepe foi o grande jogador de Portugal neste Europeu. Imperial, a este nível apenas é suplantado pela classe do Pirlo.

Depois tivemos o trio do meio campo: Moutinho, Veloso e Meireles,a par do Ronaldo e do Coentrão (muito esforçado).

E logo a seguir vêm os outros, todos eles bravos jogadores que criaram um espírito de grupo fantástico, e fizerem de Portugal uma verdadeira equipa.

Paulo Bento continua a ser o meu treinador português preferido.

Alguém se lembrou do Bosingwa ou do Carvalho? Pois, estavam à espera, não estavam? Azar!
Talvez o segredo da união da equipa tenha sido afastar as "vedetas".

Virgílio disse...

Visi:

Nããã... Que o meu estômago já não é o que era... :)

Jorge:

"Alguém se lembrou do Bosingwa ou do Carvalho? Pois, estavam à espera, não estavam? Azar!
Talvez o segredo da união da equipa tenha sido afastar as "vedetas"."

Mt bem lembrado. Eu estava manifestamente esquecido dessas vedetas... :P

Tb concordo que no conjunto de tds os jogos o Pepe foi o melhor! Um rendimento sempre lá nos píncaros! Brutal.

Luís:

O Postiga não vala a ponta dum chavelho (dizem...) mas do que se viu ainda foi o melhor dos pontas da selecção...

PORTUGAL É UMA NAÇOM, CARAGO! :p

Miguel disse...

Então e a nota ao Custódio e ao Rolando? :)

Pepe foi o melhor.

Nelson Oliveira foi o jogador fetiche do PB.

Não vale de nada lamentar agora, mas o Moutinho no Sporting falhava mais penaltys do que marcava... não percebo porque razão foi ele o chamado.

Visigordo disse...

Nelson Oliveira não foi um fetiche, foi um frete.

Hugo disse...

Apenas acrescento:

Custódio 6 - Entrou bem no jogo com a Holanda e pouco conseguiu fazer contra o vendaval ofensivo espanhol no prolongamento

Rolando 5 - Apenas entrou quando foi preciso "trancar" a baliza.

Peyroteo disse...

Ele devia ter aguentado o Veloso para os penaltys mas não vale lamentar agora.