terça-feira, setembro 24

Jesus está na berra.

Parece que é ofical: Jesus é arguido. Confesso que tem sido uma espera parecida àquela que antecede o fecho dos mercados de transferências: "Será que vem aquele?", "será que sai o outro?". A angústia é parecida, mas a sensação de calamidade é imensamente maior às saídas no último minuto do Witsel e do Javi.

Passados dois dias, existem algumas conclusões a tirar. Vamos a isso:

1. Ninguém, nem benfiquista, nem sem ser benfiquista, aplaudiu a luta de espadachins perpetrada por Jesus e um ou outro polícia.

2. Mesmo assim, muitos compreendem e até aceitam o comportamento do treinador do Benfica.

3. Alguns, poucos, não perdoam o homem, e aguardam que a sua conduta seja alvo de castigo, porque não se deseja impunidade.

4. Há uma pessoa, Manuel Sérgio, que compara Jesus ao Dom Quixote. A escrita de conteúdos com graça nunca esteve tão em alta, professor.

5. O Benfica arrisca-se a ficar sem treinador, por castigo. No ano passado, no caso Luisão, o mesmo treinador achou imensa graça ao acontecimento e, por inerência, ao castigo de três meses. Será que o brasileiro também se riu no Domingo por pensar que não vai ter de gramar com JJ no banco até ao fim da época?

6. Enquanto alguns benfiquistas olham para tudo isto com tristeza, outros, acham que o importante é comparar uma agressão a um polícia com outras agressões. Comparar a agressão ao polícia com não-agressões é que dá mais trabalho.

7. Quem defende que houve excesso de zelo por parte dos seguranças, com certeza que considera ter havido excessiva benevolência por parte dos mesmos, em relação a Jesus.

8. Aquela máxima que defende que "não há má publicidade", é mentira.

31 comentários:

Pedro Almeida disse...

Da parte do Benfica já vieram dizer que não haverá castigo interno...surprise, surprise.

Estava capaz de apostar que ele apanhará qualquer coisa entre duas a três semanas corridas e com um pouco de sorte e apanhando jogos da selecção falhará uns 2 a 3 jogos no máximo.

Entretanto o estádio cada vez vai tendo menos adeptos...coincidências.

Francis disse...

Com a limpeza que anda a ser feita, a do Manuel Sérgio é de bradar aos céus, atentem no calibre - «"Jesus está tranquilo, já falou com a polícia e este assunto é para morrer. Quando nos agarramos em demasia a um caso como este, é porque não temos coisas importantes a tratar" e "O que se passou não tem qualquer relevância penal. O Jorge Jesus é um homem generoso. Foi por generosidade que ele tomou aquela atitude de defesa dos rapazes que queriam levar as camisolas dos seus ídolos»", não tarda ainda alguém vem exigir um pedido de desculpas publicos pela Policia.
Da próxima vez que um policia me pedir os documentos digo-lhe que sou amigo do JJ.
Aguardo serenamente o desenrolar dos acontecimentos e depois a coerencia no que se passar daqui para a frente.

Guilherme Lima disse...

Tiveram muita sorte em as coisas acabarem minimamente bem, queria ver se no meio daqueles espectáculo decidisse tudo invadir o campo, as coisas podiam ter acabado mal. É de louvar a calma da policia e dos seguranças a deixar que tudo acabassem em bem.

O futebol português esta cada vez pior em todos os aspectos.

LM disse...

Uma questão, caso JJ apanhe uma longa suspensão é possível equacionar um despedimento por justa causa?

Francis disse...

o homem perdeu o relógio, foi violentado...acabem lá com isto.

Filipe disse...

Nas últimas duas épocas o nosso capitão foi castigado por agredir um árbitro e agora o nosso treinador vai levar um castigo por tentar impedir que os agentes da autoridade levassem a cabo o seu trabalho. É uma imagem de desrespeito pela autoridade, quer dentro do campo, quer fora dele, que começa a ficar ligada ao clube; sobretudo porque o clube nem uma reprimendazinha dá a esta malta.

O Benfica devia castigar o JJ internamente. Um indivíduo com responsabilidade no clube não pode desrespeitar as forças da autoridade por muita razão que julgue ter do seu lado. O adepto podia estar a ser manietado com algum excesso de zelo mas não estava a ser espancado, nada justifica a reação do JJ. O homem é um idiota da pior espécie.

Mike Portugal disse...

Filipe,

O adepto não estava a ser manietado com excesso de zelo. O adepto estava a RESISTIR à tentativa de controlo por parte dos agentes. É bem visivel nas imagens.

Como os agentes não podem bater e sim apenas controlar (que é bem mais dificil) e muitos deles nem sequer têm muito treino nessa área, então foram precisos mais para o fazer, dando por isso a sensação que o "pobrezinho" do adepto estava a sofrer.

Já vimos muitas vezes imagens da policia de choque (que é diferente da policia regular) a ir contra os adeptos e a espancá-los, mas estes estavam mesmo a fazer tudo dentro do limite do razoavel.

N.T. disse...

1. Isso não é bem verdade.

2. Eu também compreendo. as pessoas são humanas e erram. Desde que depois assumam os actos, por mim tudo bem.

3. Perdoar não invalida castigar.

4. São amigos e é natural que se defendam amigos. É um não assunto.

5. Não me parece. Se for verdade o que o advogado disse ontem em directo no jornal de desporto da Antena 1, Jesus responderá por resistência à autoridade e não existirá menção a agressões. Se nada estiver escrito nos relatórios de árbitro e delegado da Liga, vale apenas a palavra das autoridades. E se não houver menção a agressão, não haverá a tal punição pesada.

6. O habitual e não é exclusivo dos benfiquistas.

7. Esta não entendo. Querias escreve polícias?, É que os seguranças têm poderes muito limitados e nem sei se podiam agir da forma que o fizeram com o adepto.

8. Essa máxima só é verdade para quem procura a fama a qualquer custo.

N.T. disse...

Preocupa-me mais a questão interna. E aí o Benfica vai errar novamente. Errou com Luisão, vai errar com JJ. E criam-se condições para que novos casos aconteçam.

A não punição por parte do clube é um erro bem mais grave que os erros do capitão e do treinador. A Direção não age a quente, tem tempo para decidir e mesmo assim faz tudo ao contrário.

LM disse...

A direcção acaba por legitimar este caso como outros anteriores, ao não castigar os prevaricadores.

Quem perde é o Benfica que assim lhe é colada uma imagem de carroceiros disposta a tudo. E obviamente retira força para combater o sistema, porque toda a gente vai ficar indiferente ás nossas queixas...

Adolfo Sapinho disse...

Caros benfiquistas,

confesso que estou um pouco surpreendido com a estratégia do slb relativamente a este caso.

É que, parece-me, este era o momento ideal para o slb arrumar a casa. E a meu ver conseguiria sair disto a ganhar em todos os aspectos.

Sejamos honestos. JJ fez merda. Não há desculpas para aquilo. Ele quis mostrar aos adeptos que era mais um deles (o que eles sabem que não é verdade), e como acontece sempre nestas coisas, no desespero para mostrar que ninguém defende mais o slb do que ele, foi mais além do que qualquer verdadeiro adepto do slb iria.

Obviamente que podemos colocar em causa a independência dos jornais (ui, se podemos...) e a seriedade de outros agentes que perante factos mais graves deste nosso futebol tuga decidiram olhar para o lado. Acho que neste aspecto o slb tem alguma razão, mas isso não legitima, nem poderia legitimar, qualquer outra acção censurável, como foi o caso.

Exigia-se pois, a meu ver, que o slb, o clube com mais adeptos em Portugal, olhasse não apenas para o seu treinador actual, alguém que não passará de um mero registo na sua grande história, mas para a sua responsabilidade enquanto uma das principais forças vivas da sociedade portuguesa. E isso implicaria, como é óbvio, condenar o seu treinador pelo sucedido. Tentar suavizar o contexto? Claro! Mas adulterá-lo? Não! O slb tem demasiadas responsabilidades sociais para assobiar para o lado.

Mas mesmo esquecendo a responsabilidade social do clube, e olhando apenas para dentro do mesmo, acho que o slb perdeu uma grande oportunidade de fazer 2 em 1.

2 em 1, pois parece óbvio que há muita tensão naquele balneário e que será apenas uma questão de tempo até nova bomba surgir.

Mas sobretudo por que neste momento há dois treinadores disponíveis que não só resolveriam o problema como certamente acrescentariam uma nova alma ao slb. Falo, obviamente, de MARCO SILVA e de RUI VITÓRIA.

Apesar de valorizar mais o primeiro, acho que qualquer um dos dois estava neste momento mais do que pronto para assumir o slb. Ambos têm experiência nacional, até já têm alguma experiência europeia, são jovens, são ambiciosos, têm um discurso muito sensato, são tecnicamente muito bons e até serão (imagine-se!) benfiquistas...

Confesso que não percebo porque é que o slb não aproveita esta oportunidade. Será mesmo que LFV acredita que JJ é o novo Mourinho? É que só pode...

SL

N.T. disse...

"Exigia-se pois, a meu ver, que o slb, o clube com mais adeptos em Portugal, olhasse não apenas para o seu treinador actual, alguém que não passará de um mero registo na sua grande história, mas para a sua responsabilidade enquanto uma das principais forças vivas da sociedade portuguesa."

Isto seria muito bonito de a direcção do Benfica visse adeptos. a realidade é que só vêm clientes.

J. disse...

"Não vi ninguém esmurrado ou maltratado, a única pessoa que parece que ficou maltratada foi o Jorge, que que perdeu o relógio"

LFV, 24.09.2013

luis disse...

N.T.:

"1. Isso não é bem verdade."

Sabes bem que não. É uma generalização, com certeza houve quem gsotasse da cena. Mas no geral, a malta não gostou, isso é evidente.

"2. Eu também compreendo. as pessoas são humanas e erram. Desde que depois assumam os actos, por mim tudo bem."

Eu não compreendo muito bem o que leva um gajo normal a desafiar a autoridade quando esta a fazer o seu trabalho. Não sei, não me estou a ver a reagir assim. Nem os meus amigos e familiares. Nem aqui os colegas de trabalho.


"4. São amigos e é natural que se defendam amigos. É um não assunto."

Eu também tenho amigos parvos. Mas dispenso as suas parvoíces. A questão aqui é que o MS é visto e tido como uma espécie de mentor de JJ. E isso, olhando para os argumentos defendidos pelo professor, é um bocado assustador. É que nem inteligência revela.

"5. Não me parece. Se for verdade o que o advogado disse ontem em directo no jornal de desporto da Antena 1, Jesus responderá por resistência à autoridade e não existirá menção a agressões. Se nada estiver escrito nos relatórios de árbitro e delegado da Liga, vale apenas a palavra das autoridades. E se não houver menção a agressão, não haverá a tal punição pesada."

Bem, os advogados têm a tendência para distorcer um bocado as coisas. Isso pode até ser mentira, mas tudo vale na hora de influenciar a OP. De resto, já li algures que o relatório fala em agressão - o que me parece óbvio, visto ela ter acontecido.

"6. O habitual e não é exclusivo dos benfiquistas."

Não disse o contrário.

"7. Esta não entendo. Querias escreve polícias?, É que os seguranças têm poderes muito limitados e nem sei se podiam agir da forma que o fizeram com o adepto."

Os seguranças só terão poder no dia em que um bêbedo qualquer entre em campo e agrida o JJ?

"8. Essa máxima só é verdade para quem procura a fama a qualquer custo."

Concordo.

Pedro disse...

Enquanto se continuar com a treta da agressão não dou para este peditório.

Será irónico se JJ for despedido por algo que irei defender sempre.

J. disse...

Pedro, ás vezes, penso mesmo que já há muito passaste uma linha entre o que é discutível ou não.

N.T. disse...

Luis, a justificação dada para continuarmos a ter polícia no interior dos estádios deriva precisamente da limitação legal imposta aos seguranças.

Não posso responder à tua pergunta porque manifestei uma dúvida. Como não conheço a Lei em detalhe, "não sei".

N.T. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N.T. disse...

E sobre o ponto 4 continuo a achar que é um não assunto. Continuamos com a mania de ouvir 500 pessoas sobre determinado assunto para encher páginas de jornais. A questão devia ser: a opinião do Manuel Sérgio é relevante para o âmbito disciplinar? Não. Para mim é um fait diver.

luis disse...

O MS não é bem um gajo qualquer em relação a JJ. A opinião do Tni, por exemplo, é bem mais dispensável.

MS tem um ascendente sobre JJ e, por isso, interessa-me até saber o que pensa esse homem. Já vi que o JJ não tem nada a aprender com ele, mas é com ele que aprende.

Também gsotei de ouvir o que disse LFV. Não por ter relevância para o âmbito disciplinar. Mas apenas porque é o chefe de JJ. Mais uma vez, fiquei preocupado. Parace que o JJ está rodeado de anormais.

N.T. disse...

Mas esse tem, ou deveria ter, relevância disciplinar. É "patrão", existe (?) um código interno.

Filipe disse...

Pedro, defendes que uma pessoa, com um cargo de responsabilidade no Benfica, deva interferir com agentes da autoridade agindo no cumprimento da lei? É tão simples como isso. A malta que invadiu o terreno de jogo sabia ao que se habilitava, não é o mesmo que uma carga policial sobre adeptos que se limitam a ver o jogo.

O JJ pode ter tido um momento de burrice, mas depois disso, a frio, o Benfica tinha que se demarcar. Era algo que se resolvia facilmente, com um pedido real de desculpa (e não o que o JJ fez, em que continua a não assumir culpas, e não reconhece a enormidade da ação) e um castigo do clube, mesmo que simbólico. A forma como o LFV se refere ao que sucedeu é indigna de um presidente do Benfica.

Pedro disse...

Defendo e defenderei todo e qualquer cidadão que se manifeste contra o abuso de poder e uso excessivo de força por parte das forças da autoridade. Sempre.

A malta que invadiu o terreno de jogo sabia ao que se habilitava. O que isso quer dizer? Que podem ser espancados por 4 ou 5 gajos? É contra isto que me bato e irei bater sempre.

Acho piada às criticas de que o Benfica está a tentar branquear a situação quando está toda a imprensa nacional e mais outros sectores a quererem "matar" JJ.

Parece que o relatório fala em conduta imprópria e não em agressão. É uma surpresa, não pelos factos pq não houve qqr agressão, mas pq a policia normalmente não gosta de se ver posta em causa nestas situações. Quando espancam as pessoas nas manifestações tb dizem sempre que usaram a força necessária. Enfim.

Quando não se percebe o exacto momento da exaltação de JJ não vale a pena insistir nesta discussão.

A única crítica que lhe faço é a forma como se exaltou. A atitude irei sempre louvar. Sempre. E todos sabem o que penso de JJ.

J. disse...

Não dá mesmo. Até assusta...

Peyroteo disse...

priceless!

zorg disse...

Eu normalmente não concordo nada com o Pedro quando o tema é o JJ, mas desta vez estou genericamente de acordo.

O comportamento do JJ foi excessivo, mas não houve nenhuma agressão a ninguém. Houve uma tentativa de impedir uma agressão da polícia a um adepto e depois a situação complicou-se em termos emocionais. O treinador do Benfica merece ser castigado (e será castigado com certeza), mas não por ter agredido quem quer que seja.

Acho também que alguma imprensa está a tentar empolar o assunto.

J. disse...

Sim sim, vão ver daqui a bocado o quanto a imprensa está a impolar o assunto.

Entretanto, é um bom principio esse.

Eu quando for a andar na rua e vir um policia a usar, o que na MINHA opinão, é um abuso de poder e excessivo uso da força, irei lá empurrar e puxar mas sem agredir atenção,dizer que esse polícia está a agir mal.
E espero obviamente que ele entenda a minha reprimenda e que não faça nada a esse respeito.

Entretanto, convido igualmente todos os cidadãos neste país a usar tais práticas. Que no uso do seu poder de opinião sobre o que é certo ou errado, a agir e intervir caso não concorde com o trabalho de um agente de segurança.
Assim é que deveria ser!!!

Virgílio disse...

Imagine-se que é polícia. Que irá vigilar e manter a segurança num local publico. Imagine que esse local é um Estádio de futebol onde um evento (jogo de futebol profissional) irá decorrer. De seguida, coloque-se na seguinte posição: há invasão de adeptos no relvado no final do jogo, local proibido a esses adeptos por, precisamente, poderem colocar em causa o normal funcionamento da segurança (do jogo propriamente dito já não porque entretanto terminara). Ora, a sua reação terá de ser a de impedir que esses adeptos cometam essa ilegalidade. Daí que tenha de os deter. Para isso, terá que os perseguir e agarrar. Se o adepto que tenta segurar resiste e não consegue impedi-lo das suas intenções, terá que pedir reforços, ou, caso tenha colegas por perto, esperar que lhe acudam e o ajudem na sua missão. Quando se encontra desequilibrado e no chão tentando segurar esse adepto mais rebelde, alguém o tenta impedir batendo-lhe sucessivamente no braço que agarra o prevaricador...

Pergunta final: como classifica o gesto de lhe baterem por várias vezes no braço com o intuito de o impedirem de exercer a sua obrigação?

hipótese a)uma manifestação carinhosa;
hipótese b) uma normal troca de impressões;
hipótese c) uma agressão.


Fica a questão que, muito sinceramente, gostava de ver respondida.

Antecipadamente grato pelo exercício de empatia. Saudações desportivas para todos.

Filipe disse...

O Pedro é hilariante. A malta que invadiu o campo sabia que ia ser detida, e que se resistisse ia ser imobilizada, usando pelo menos um mínimo de força física. O adepto não foi espancado nem nada que se pareça.

Mike Portugal disse...

Pedro,

"Defendo e defenderei todo e qualquer cidadão que se manifeste contra o abuso de poder e uso excessivo de força por parte das forças da autoridade. Sempre."

Certíssimo. Acho que TODOS defendemos isso.

O problema é a TUA definição de abuso de poder. Um adepto que entre em campo e ofereça resistência às autoridades está a cometer um crime, caso não saibas. Os outros que foram detidos não ofereceram resistência, porque é que aquele teve que oferecer? Para mostrar que é muito macho?

LM disse...

Mike esse é um dos pontos. Dos 4 ou 5 que invadiram o campo 2 ofereceram resistência os outros saíram pelo próprio pé a conselho da polícia. Isso vê-se claramente nas imagens.