quarta-feira, janeiro 11

5 razões para explicar o que não correu bem no FCP até agora

Apesar da situação estar longe de ser grave é, no mínimo preocupante, pelo menos para mim. Assim, resolvi fazer um exercício ligeiro de análise e tentar identificar o que é que não correu como "devia" nesta primeira metade da temporada de 2011/2012.

1 - Comportamento no mercado. Houve pouco encaixe financeiro para o potencial de venda, devia ter sido vendido mais um ou dois jogadores. Compraram-se jogadores a mais, talvez com a perspectiva da venda, mas primeiro vende-se e depois compra-se. Infelizmente isto só não aconteceu com o ponta-de-lança.

2 - Substituição do Treinador. Ainda não há clones, mas a aposta foi na continuidade. Apesar de no início aparentar que se ia manter a filosofia de jogo da época transacta, a realidade foi muito diferente. Hoje temos um FCP mais na continuidade de Jesualdo que de André Villas-Boas.

3. Falta um Ponta de Lança. A forma como o FCP estrutura o seu jogo obriga a jogar com o homem dentro da área. Os jogadores que ficaram para a posição não foram capazes de agarrar seriamente o lugar. A única aposta verdadeira foi em... Hulk.

4. Má gestão dos Jogadores. Há muito para dizer neste ponto mas é muito difícil deixar de constatar que afastar Sapunaru e Fucile é pouco lógico, assim como deixar James no banco. A aposta em Djalma é muito discutível e a forma como Cebola e Walter foram geridos também causa estranheza.

5. Excessiva rotação. O meio campo do FCP até Dezembro foi um carrossel, não porque a bola circulava em beleza, mas porque era só ver sair e entrar jogadores. A estrutura mudava de jogo para jogo e muitas vezes durante o próprio jogo. Na defesa também aconteceu mas com menos impacto. Quando se quer jogar em posse o papel do meio campo é absolutamente preponderante.

E, no meio desta confusão toda, só perdemos a liderança agora. Para podemos melhorar temos que perceber onde errámos ou estamos a errar. Já vimos que a correcção não vai partir do presidente, só nos resta esperar que o treinador tenha muito apego ao seu emprego e comece a fazer mais e muito melhor.

10 comentários:

luis disse...

A aposta na "continuidade" é algo que não existe. Todos os treinadores têm as suas ideias. Estas, podem ser boas ou más, mas são próprias.

Se calhar, VP é um bom adjunto, apenas.

Para já, parece-me que se endeusa em demasia AVB. Mas também não vou voltar a esse tema.

1. Há muita comissão para ganhar, isso é evidente. Agora, só me faz confusão é a cláusula de Hulk ser de 100M. Se fosse de 60, por exemplo, já cá não estava e as contas estavam saldadas.

3. Também me parece. Kléber não tem estaleca para um clube como o FCP. No SLB e SCP há muitos casos destes.

4. Pois aqui não sei bem. Fucile foi encostado por causa do facebook. No FCP só mijas fora do penico uma vez. Sapunaru não sei bem, até porque acho que representa bem o estilo do FCP.

James no banco é um crime, mesmo. Não há explicação.

Enfim, Djalma, Cebola, Walter... não são jogadores para o FCP.

Falta muita coisa. O FCP continua a ser o mais sério candidato. Se fossem 5 pontos, seria diferente, dois apenas, não é nada.

Joao disse...

Vítor Pereira não é grande líder! Teoricamente pode ser um treinador extraordinário mas para já não têm demonstrado grande competência...

Para mim parece-me cada vez mais com Octávio Machado na forma como gere o balneário!

Tasqueiro Emigrante disse...

Tens razão nisso tudo, até no que dizes no final.
Tanta asneirada feita e só agora é que perdemos a liderança...nem sabemos se estamos mal ou menos bem.

Gonçalo disse...

Luis - a continuidade existe e funciona. Basta olhar para vários modelos implementados com sucesso em tantos clubes europeus (Ajax, Barça, MU, ...). Para isso tem é que existir uma partilha dos fundamentos da filosofia de jogo. Quando vi PdC anunciar VP como seguidor da ideia de futebol que AVB tinha deixado imaginava a equipa a manter e mesma ideologia futebolística. Afinal a aposta era na continuidade mas da época anterior :).

luis disse...

"Luis - a continuidade existe e funciona. Basta olhar para vários modelos implementados com sucesso em tantos clubes europeus (Ajax, Barça, MU, ...)."

Bem, terás de fazer um grande esforço para me dizeres 10 clubes que o façam.

Mas mesmo esses, repara:

Ajax: ganham alguma coisa?
MU: o treinador é o mesmo, é óbvio que existe continuidade.
Barça: continuidade tem quando os treinadores não mudam. E nem sempre com sucesso.

luis disse...

Mudar de treinador e exigir o mesmo coportamento da equipa é muito complicado, ou mesmo impossível.

Como tu destacas, VP tem algumas dificuldades em gerir o plantel. AVB é tido como um comunicador por excelência. Logo aqui, a diferença na filosofia entre os dois é abissal.

Tasqueiro Emigrante disse...

O Barça não muda a equipa e isso é o que interessa...até podia lá estar o emplastro a treinar que ganhavam na mesma.
A continuidade é relativa.

Nada está perdido...no final fazem-se as contas e normalmente que as faz antecipadamente dá-se mal.

Marco Morais disse...

Luís, não se trata de endeusar o AVB, até porque te digo que o Chelsea não joga um caracol, mas sim endeusar a época que ele fez no Porto.

Mas sim, continuidade era uma ideia que eu acreditava mas que me parece injusta para qualquer um. Anda assim, esperava mais parecenças.

Gonçalo,

Todos os problemas alheios ao treinador seriam encobertos, e logo menos graves, se ele fizesse o seu trabalho. O Falcao não foi, quanto a mim, mal substituído. Tens um Kléber que pura e simplesmente não é aposta.

Todos os problemas tácticos da equipa vêm das escolhas do treinador. Não confia em Kléber, queima Hulk a PL. Tenta rodar James, quando ele já ultrapassou o estatuto de promessa, insiste em Djalma, em Maicon e em Cebola quando seriam suplentes para descansar titulares em jogos feitos. Varela, um dos expoentes da época anterior nem calça... e ainda tens Iturbe.

Se ainda assim alguns defendem VP e a época do FCP, queria ver se ele fizesse o seu trabalho.

A questão do PL é evidente, ainda mais agora que Walter saiu. Mas Kléber é tão bom como V. Wolfswinkel, contudo no banco não o pode provar. E foi bem mais barato. A única condição que tem é psicológica, e essa é facilmente contornável.

Assim, são 3 pontos em 5 com culpas no cartório para VP. Sendo que os outros dois não se poriam se ele fizesse o seu trabalho.

No ano passado por exemplo, só tínhamos Walter para fazer esquecer Falcao. Sapunaru também foi titular em vários jogos, Maicon idem, mas nunca foram nucleares. Mas, hoje em dia, há quem lhes queira dar a importância que eles não podem ter. E a falta de resultados com 'selo de título' está à vista.

Tenho sido 'criticado' por não dar o FCP como real candidato. Mas quem deveria ser criticado é o futebol do FCP que não mostra reais chances de o conquistar. O que provoca ilusão em relação às conquistas? primeiro até pode ser o plantel, depois algum craque insubstituível, mas depois não haja futebol e resultados a ver se essas conquistas aparecem...

A continuar assim, os dois pontos que dão argumentos, serão 4...6...

Gonçalo disse...

Luis - acho que os nossos conceitos de continuidade neste contexto diferem um pouco. É óbvio que as ideias de jogo podem diferir de treinador para treinador, assim como a forma como comunicam com os jogadores ou com o exterior. Mas a filosofia de jogo de uma equipa pode ser mantida mesmo que o treinador mude. Mas tens razão, não é muito fácil apresentar exemplos até porque o futebol muda muito, mas consigo mostrar situações em que a filosofia de jogo esteve acima do tudo e o sucesso foi brutal: Ajax dos anos 70 e final de 90, Milan dos anos 90, Barcelona de agora.

LDP disse...

O Lyon e o Valencia também sao exemplos disso. E, tenho de admitir, o Braga também.